Autor Tópico: Mapeando a trilha de Caragua  (Lida 6180 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Offline acsalles (In Memoryan)

  • ADMINISTRADOR
  • Ironbutt do FOL
  • *****
  • Mensagens: 2.039
  • Sexo: Masculino
  • Carioca perdido em Sampa
    • http://www.alexsalles.com
Mapeando a trilha de Caragua
« Online: Outubro 13, 2006, 01:43:01 pm »
Pessoal, gostaria de compartilhar com vocês uma “aventura” que vivi na semana passada junto com o camarada Fecker.

Tudo começou na sexta-feira. Como eu havia comentado aqui, eu estava decidido a descarregar as tensões da semana em uma trilha. O maluco do Fecker topou na hora e saímos de São Paulo as 22:00 para ir para a trilha. Na minha cabeça nós iríamos direto para o mato dormir por lá mesmo e pegar no pesado pela manhã, mas nosso amigo tinha melhores planos, como uma casa confortável em Maresias para servir de entreposto. E eu imaginando que iríamos montar barraca no mato a noite !

Bom, pela Airton Senna até Mogi das Cruzes, no stress... pilotagem noturna normal... Porém perto da serra e quase até Maresias choveu MUUUUITO, muito muito.

No caminho paramos enxarcados para comer umas ostras e dar uma relaxada nos nervos, afinal não tinha como ficar tenso na Rio-Santos, madrugada com um temporal daqueles.....

Depois de chegarmos em segurança e de botar o papo em dia, fomos dormir quase as 04:00 da matina para acordar as 08:30, tomar um café rapido e seguir para a trilha da Petrobrás novamente – desta vez por outros caminhos.... 8)

Primeiramente tentamos subir por uma suposta trilha avistada no Google Earth e que começaria por uma fazenda. O responsável pelo local (um argentino) não nos permitir subir por alegar que o caminho era perigosíssimo e que nem a pé era posível fazer o percurso. Não nos convenceu muito mas insistiu em nos proibir de entrar pela fazenda .

Meio inconformados, fomos adiante tentando achar uma outra entrada para poder sair depois pela fazenda e provar que era sim possível 8), mas infelizemente não havia outra e seguimos adiante. A próxima tentativa foi atrás dos tanques da Petrobrás mas acabamos no topo de uma favela (!?!?) sem encontrar a entrada.

Por sorte encontramos um pessoal em um caminhão que nos deram as coordenadas para finalmente conseguir entrar na trilha, mas depois de seguir as referências acabamos chegando no mesmo local onde saímos no passeio anterior com nosso digníssimo e honrado camarada Caê. Como a idéia era trilhar um caminho desconhecido, decidimos seguir mais adiante ainda e entrar pelo final da Estrada da Petrobrás. Para mim era um caminho novo, já que da outra vez desviamos da estrada principal para um caminho secundário cuja saída acabei de descrever.

Logo no início, camarada Salles gerou um problema para o camarada Fecker. Minha luva voou depois de um buraco mais atrevido (já estávamos em estrada de chão) e quando o Fecker foi freiar para pegá-la acabou caindo e empenando o pedal do câmbio. O Fecker sacou rapidamente o pedal (eita cara bom de mecânica... Se alguém viajar com ele, vá tranquilo !!!)  e com uma pedra tentamos desempená-lo fora do eixo do câmbio, pois ele quebra se a tentativa de desempeno for com o pedal acoplado.






Depois de alguma tentativas acabamos empurrando a moto poucas dezenas de metros adiante até um barzinho onde conseguimos algumas ferramentas e mesmo com dois pés-de-cabra não conseguimos impor a curvatura correta no pedal.




Enfim depois de muito suar o pedal foi desempenado e seguimos viagem debaixo de uma chuva fina e um terreno cada vez pior.

Conselho : Confiem no que diz o panfleto promocional. O pneu Anakee é para 90% asfalto e 10% terra. Digo isso porque na lama escorregadia (ainda sem muitas pedras como viria a seguir) tomei o maior tombão. Já antes de cair, sempre que acelerava o pneu patinava um pouco e em uma curva, saí de traseira e tive que largar a moto que parece que acelerou e se afastou de mim rapidamente enquanto eu continuava mais lentamente arrastando a mão, o quadril e a perna no chão. Felizmente eu estava de joelheira e depois de rasgar a capa de chuva, de rasgar minha calça jeans, a joelheira segurou a onda e saí com a perna praticamente intacta. A mão já não saiu tão ilesa e ralou mas foi pouca coisa.

RAD meu camarada, lembrei de vc, hehehehe hoje mesmo comprei um safe-hand. Na queda arranhou um pouco da carenagem e cortou a manopla, entortando (pela enésima vez) a manete da embreagem. Nada grave.

Chegamos um pouco depois da ponte que liga o nada a lugar nenhum e lá registrei o nosso querido fórum no pilar de concreto.







Depois pegamos a trilha a esquerda (lembra Caê ?) e subimos o morro, passamos pelo famoso desmoronamento (está melhor ! Já passa jipe, com certeza), pela subida forte e complicada descrita no útimo passeio (não há solo, só pedras) até chegar bem mais tarde a uma bifurcação.

A esquerda, seguia para o mesmo passeio que fizemos meses atrás. Para a direita, uma subida e um  caminho completamente novo,  muito pior do que nós poderíamos ter imaginado....



Neste ponto minha moto entalou na erosão e não queria mais sair. Boa oportunidade para tirar umas fotinhas.





De cara, foi o pior trecho que já havíamos feito na região e depois de vencido veio um trecho razoavelmente plano e de uma beleza indescritível. Neste ponto conseguimos parar um pouco para relaxar e tirar algumas fotos no meio da mata exuberante.




Logo depois veio o momento de maior estresse : Uma p*** de uma descida de lama inclinadésíma antes da qual paramos e pensamos : - “bom, se descer não conseguimos  subir nunca mais.....”. Depois de ponderar alguns segundos decidimos ir adiante e pagar para ver... Depois de fazermos “ski” com as motos, continuamos lentamente e nesse meio termo eu pensava o que fazer se na frente houvesse uma ladeira que não conseguíssemos subir.... Bom, morrer a gente não ia. Era “só” andar uns 40 km sem parar e voltar com ajuda para retirar as motos.... Enquanto ia pensando nisso, olho para a minha direita e vejo o oleoduto subindo em uma faixa de grama de inclinação forte demais para uma pista enlamaçada ao extremo (ainda chovia sem parar). Não tinha jeito, a estrada deveria seguir paralela ao oleoduto. Parei e disse ao Fecker : - “meu, f****”. O camarada corajoso foi na frente mas não teve jeito. As motos tombaram na lama ainda antes de completar 1/3 da ladeirona.

Neste ponto nós já estávamos cansados e mesmo assim não tinha outro jeito a não ser saltar das motocas e empurrar enquanto a moto tinha que ser acelerada inutilmente, pois os pneus já não agarravam mais nada, redondinhos de lama.

Bom, para encurtar o assunto, elas subiram centímetro a centímetro (nao tinha mais jeito de voltar) e quando chegamos lá em cima eu deitei na grama absolutamente sem fôlego preocupado em não ter um treco longe de tudo e de todos.

Mais uns minutos e lá estávamos nós de novo nas motos querendo saber o que tinha mais a frente. 8) Na sequência, um tombo empena o meu pedal de câmbio também e depois do reparo, uma pausa para o almoço (sardinhas e atum em lata) totalmente alheios ao “trabalho” e uma tentativa (infrutífera) de arrancar palmito de uma palmeira caída no meio da estrada.

A estrada era tão difícil para pneus on-off como os nossos que as quedinhas bobas iam se alternando entre nós. Com certeza teríamos menos dificuldade com um pneu biscoito.



Para resumir, nos “perdemos” na mata (voltou o pensamento de ter que voltar tudo a pé e abandonar as motos) e só ficou mais tranquilo depois muito ir e vir, chegarmos a um trecho da estrada onde parecia que passava algo pelo menos duas vezes por mês.Isso deu a esperança de estarmos no caminho certo para voltar a civilizaçao.



Enfim, foram 100km de muita adrenalina para chegar de novo a RJ-Santos só para pegar uma P*** neblina e chuva forte como nunca peguei antes.

Cheguei em Sampa todo dolorido mas extremamente feliz de ter superado o desafio. O camarada Fecker contou que sentiu a mesma coisa.

Estamos combinando de fazer um passeio aqui com o pessoal do fórum (bem mais light) agora que conhecemos melhor a região. Pelo que conseguimos ver pelos mapas, foi o pior trecho das trilhas das redondezas e se pode curtir a mesma natureza pegando um trecho que é bem mais fácil de passar. Esse último passeio foi mais para mapear o lugar.

Abraços a todos !
« Última modificação: Janeiro 14, 2009, 12:33:43 am por acsalles »


Sentado aí fazendo o quê ? Simbora para a estrada...

Offline acsalles (In Memoryan)

  • ADMINISTRADOR
  • Ironbutt do FOL
  • *****
  • Mensagens: 2.039
  • Sexo: Masculino
  • Carioca perdido em Sampa
    • http://www.alexsalles.com
« Última modificação: Outubro 13, 2006, 10:41:01 pm por acsalles »
Sentado aí fazendo o quê ? Simbora para a estrada...

Offline Douglas

  • Esquentando
  • **
  • Mensagens: 94
  • Sexo: Masculino
Re: Mapeando a trilha de Caragua
« Resposta #2 Online: Outubro 13, 2006, 02:20:45 pm »
Putz, acsalles!

Que aventura, hem???

Você e o Fecker realmente são muito corajosos de enfrentar uma trilha dessa magnitude! Estão de parabéns.

Té +

Offline acsalles (In Memoryan)

  • ADMINISTRADOR
  • Ironbutt do FOL
  • *****
  • Mensagens: 2.039
  • Sexo: Masculino
  • Carioca perdido em Sampa
    • http://www.alexsalles.com
Re: Mapeando a trilha de Caragua
« Resposta #3 Online: Outubro 13, 2006, 09:43:28 pm »
Fala Dougas, tranquilo ? Não precisa de coragem não, o máximo que pode acontecer é ter que andar uns 40 km e buscar a moto depois quando secar a lama, hehehe Não existe perigo de vida real.

Se a trilha for feita no seco, é tranquilo.

Se bem que ontem fui na General Osário e um trilheiro da loja me disse que participou de um enduro ali e que um motociclista morreu, mas foi de esforço, alguma coisa no coração... (o pior é que consigo imaginar) Mas fazendo em ritmo de passeio - de novo, no SECO !!! - não é tão complicado quanto foi desta vez debaixo de chuva o tempo todo.

Uma coisa que achei interessante na internet é que há "relatos" de onças na região (li isso ontem na internet) pelos patrulheiros da Petrobrás.

Mas não vimos nem um único ser vivo no caminho todo, só se ouve o barulho dos pássaros.
Abração
« Última modificação: Outubro 13, 2006, 09:56:54 pm por acsalles »
Sentado aí fazendo o quê ? Simbora para a estrada...

Offline Mãinha - In Memorian

  • Ironbutt do FOL
  • ******
  • Mensagens: 4.188
  • Sexo: Feminino
  • Abrantes- Bahia
Re: Mapeando a trilha de Caragua
« Resposta #4 Online: Outubro 13, 2006, 11:05:51 pm »
Ae Salles....... :D

Cara que aventura  ieba .....kkkkkk que relato  super legal...vc e Fecker são malucos...bem, que o Fecker era maluco eu ja sabia....só não sabia que ele tinha discipulos......kkkkkkkkkk i.aia; i.aia;

Muito legais as fotos....e a aventura da lambança.. .clap mas fala serio...na hora de registrar o FOL no pilar de concreto vc no fundo queria ter escrito....FOL....didos...... .. i.aia; i.aia;

Parabens para vcs pela aventura...muito legal....invejo vcs no bom sentido é claro. ,10468

Mas da proxima vez comprem pneus no minimo 40/60 on/off......  kkkkk;
Bjs..... kiss

Ex: XLinha 02-Branca e roxa (Pequena)
Ex: Sahara 97-Roxa (Fenix)
Ex: Falcon 01-Prata (Silver Surf)
Atual: XT600E 97-Branca personalizada (Sara Lee)

Offline CAÊ

  • ADMINISTRADOR
  • Ironbutt do FOL
  • *****
  • Mensagens: 3.972
  • Sexo: Masculino
  • Guarulhos - SP
    • Mercadão Fácil
Re: Mapeando a trilha de Caragua
« Resposta #5 Online: Outubro 14, 2006, 01:16:22 am »
:ira, não acredito que não tava nisso...

Bom, sei o quanto deve ter sido irado estar lá de novo, e ainda mais por novos caminhos, mas a minha moto não tá muito em condições no momento, tenho que trocar a Pneu Traseiro e a minha relação tá muito alongada, então sofreria muito mais que vc´s...

mas valeu, na próxima é nóis... :thumleft:

Offline Rad

  • Ironbutt do FOL
  • ******
  • Mensagens: 6.221
  • Sexo: Masculino
  • Bahia
Re: Mapeando a trilha de Caragua
« Resposta #6 Online: Outubro 14, 2006, 01:30:19 am »
hauahuahaua

que relato maravilhoso, ri demais. Salles Vc tá virando um contador de causos hahahahahaha

maravilhoso, parabéns pela atitude, pela energia, pela aventura.

só faltou voltarem a pé, e encontrarem com a dna onça  kkkkk;

Feckeeeeeeeeeeeer,, tá querendo empinar na lama ???????? :twisted:

Offline NILO

  • Ironbutt do FOL
  • ******
  • Mensagens: 4.065
  • Sexo: Masculino
  • MIRASSOL - SP - REGIÃO SJRP
Re: Mapeando a trilha de Caragua
« Resposta #7 Online: Outubro 14, 2006, 01:46:45 am »
inda criu coragem e embarco numa dessas, mas . . .
sem chuva, please !!!!

Offline acsalles (In Memoryan)

  • ADMINISTRADOR
  • Ironbutt do FOL
  • *****
  • Mensagens: 2.039
  • Sexo: Masculino
  • Carioca perdido em Sampa
    • http://www.alexsalles.com
Re: Mapeando a trilha de Caragua
« Resposta #8 Online: Outubro 15, 2006, 12:47:21 am »
Caê meu camarada, o passeio foi marcado em cima da hora e não deu tempo de chamar o pessoal. Vc ainda tinha me dito que estava enrolado com programação do seu moto-clube...
Rad, Mainha, que bom que gostaram das fotos e dos comentários. Obrigado. Rad, "contador de causos" me deixou triste  kkkkk; kkkkk;

Vamos abrir aqui opções de datas para refazermos a trilha para os inscritos aqui do fórum. Agora que conhecemos melhor a região, também temos condições agora de oferecer 3 "cardápios" : Trilha normal (a estrada da Petrobrás), moderada (a bifurcação que fizemos juntos) e difícil (a bifurcação da bifurcação, a trilha deste tópico).

O que vcs acham ?
« Última modificação: Outubro 15, 2006, 11:35:01 am por acsalles »
Sentado aí fazendo o quê ? Simbora para a estrada...

Offline Beto Salvia

  • Ralando as pedaleiras
  • *****
  • Mensagens: 548
  • Sexo: Masculino
  • Sampa - SP
Re: Mapeando a trilha de Caragua
« Resposta #9 Online: Outubro 15, 2006, 12:58:05 am »
 :cheers:Sem chuva pode contar comigo  :thumleft:
Mas faltou foto de local para abastecimento  combeb04 alcoolico claro  :hihihi
Conhecendo o Brasil sobre duas rodas

Offline acsalles (In Memoryan)

  • ADMINISTRADOR
  • Ironbutt do FOL
  • *****
  • Mensagens: 2.039
  • Sexo: Masculino
  • Carioca perdido em Sampa
    • http://www.alexsalles.com
Re: Mapeando a trilha de Caragua
« Resposta #10 Online: Outubro 16, 2006, 12:02:15 am »
Para conhecer melhor a fauna e a flora da região - que fica no Parque Estadual da Serra do Mar. O parque é enorme e por isso dividido em "Núcleos". As trilhas do tópico atravessam o núcleo de São Sebastião e de Caraguatatuba.

Rad, o contador de causos pode aumentar, mas não inventar 8)
Veja este trecho :
..."Além das fontes de água pura, as matas do Núcleo são refúgio para um fauna diversificada formada por macacos, antas, capivaras, catetos, jaguatiricas, pacas e até onças pintadas..."
http://www.ambiente.sp.gov.br/ppma/unicara.htm

Abraços a todos
Sentado aí fazendo o quê ? Simbora para a estrada...

Offline Rad

  • Ironbutt do FOL
  • ******
  • Mensagens: 6.221
  • Sexo: Masculino
  • Bahia
Re: Mapeando a trilha de Caragua
« Resposta #11 Online: Outubro 16, 2006, 12:24:46 am »
Salles, morei 06 anos em Rondonia, vi onça na estrada, no mato, e rondando a casa  :D  Elas estão por ai  :thumleft: .... falei dos causos, foi a forma narrativa,, que adorei  ,10468

Offline acsalles (In Memoryan)

  • ADMINISTRADOR
  • Ironbutt do FOL
  • *****
  • Mensagens: 2.039
  • Sexo: Masculino
  • Carioca perdido em Sampa
    • http://www.alexsalles.com
Re: Mapeando a trilha de Caragua
« Resposta #12 Online: Outubro 16, 2006, 12:38:40 am »
Putz Rad, meu sonho morar em um lugar destes...  :shock: Definitivamente meu lugar não é na cidade.  :pale: Vou ter que fazer algo a respeito. Quanto aos "causos", não levei a mal não  :thumleft: :thumleft:

Abração !
Sentado aí fazendo o quê ? Simbora para a estrada...

Offline Rad

  • Ironbutt do FOL
  • ******
  • Mensagens: 6.221
  • Sexo: Masculino
  • Bahia
Re: Mapeando a trilha de Caragua
« Resposta #13 Online: Outubro 16, 2006, 01:45:52 am »
ia gostar mais da viagem que fiz,,  :twisted:

trabalhava na telebrás, e uma vez fizeram uma chamada pra saber quem queria andar por toda a amazonia, para cadastrar as repetidoras ( 50 em 50Km´s) e catalogar as antenas e rádios.

só eu e um rapaz da telepará, aceitaram.  ieba

rodei durante 8 meses,, toda amazonia, estados,  todas fronteiras, estradas fantasmas, cidades fantasmas, locais maravilhosos, perdidos, esquecidos, abandonados. foi fantástico,, e tenho é estória prá contar hehehehe,,,

nesta época 90% era estrada de barro,, era agente a toyota e duas dt´s. ficavámos dias sem ver viva alma,, só animais, indios e os sons da floresta.

muito massa. aprendizado de vida

um dia em ibira,, ainda este ano  :sacana ,, te conto mais  :wink:

num vou estender o assunto, mesmo porque este circuito de vcs, é maravilhoso, adorei,, e narrativas como essa, como as do LuisAlmeida é que fazem o FOL ser referencia para apaixonados em moto, e natureza.       :love

Offline fck

  • ADMINISTRADOR
  • Ironbutt do FOL
  • *****
  • Mensagens: 3.018
  • Sexo: Masculino
  • São Paulo - SP
Re: Mapeando a trilha de Caragua
« Resposta #14 Online: Outubro 16, 2006, 03:06:38 am »
A coisa foi maluca mesmo, mas em grande parte pela chuva que castigou bastante no dia anterior.

O passeio masi light pela estrada da Petrobras, saíndo de Salesópolis pode ser feito por todos. É uma estrada de terra de uns 80Kms. Sem lama dá para fazer na boa, é só ter disposição....

Empinei na lama sim, mas foi sem querer....

E eu achava que era louco....mas achei um que é pior. Imagina ir direto para a mata e acampar no mato...no escuro... So o Salles para imaginar uma coisa dessas.....tava até levando barraca o maluco..

Brincadeiras a parte, adoro a natureza e essas trilhas nos permitem ficar no meio da mata em lugares indescritiveis... Se sou louco, um pouco pode ser, mas considero mais perigoso morar em SAMPA e andar de moto no transito...

Vamos? quando?