Autor Tópico: IMPORTANTE - Ruta Nacional 14(Argentina) Policiais Corruptos.  (Lida 10729 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Offline #Marcus

  • Ironbutt do FOL
  • ******
  • Mensagens: 2.188
IMPORTANTE - Ruta Nacional 14(Argentina) Policiais Corruptos.
« Online: Agosto 13, 2010, 01:29:51 pm »
A Ruta Nacional 14 General Agustín P. Justo (Decreto n.º 2.527/1976) ou simplesmente RN 14 é uma rodovia argentina. Une as províncias de Misiones, Corrientes e Entre Ríos, numa extensão de 1.127 quilômetros.

Passando por ela seja de carro, moto ou caminhão vc correrá serios riscos de ser parado
por policiais corruptos que farão de tudo para ganhar proprina. Há vários relatos de viajantes
na net sobre esse assunto, segue alguns...


"Não sei se todos sabem mas a Ruta 14 - que vai de Buenos Aires e sobe em direção à Paso de Los Libres e continua a província de Missiones - é famosa pela abordagem "um tanto agressiva" dos guardas rodoviários da província de Entre Rios. A referida "agressividade" não se traduz literalmente em grosseria ou intimidação física mas sim na maneira sedenta com que eles inventam infrações apenas para poder negociar propinas. Temos relatos de vários motociclistas que foram acharcados e extorquidos naquela região. Eu mesmo já passei por isto e o Adriano também. Julgávamos ser algo realizado somente com turistas mas estávamos equivocados. Além de fazerem o mesmo com caminhoneiros brasileiros também os caminhoneiros argentinos sofrem com essa máfia.
Até então considerávamos apenas os relatos de amigos q já foram extorquidos contrapondo-se a outros - poucos - relatos de quem passou incólume pela região. Agora a coisa tomou ares mais sérios.
No jornal "Clarín" de Buenos Aires em sua edição de domingo - 22 de março de 2009, trouxe o seguinte informe destacado em meia página :"



"Em resumo, a associação argentina dos transportadores rodoviários de carga informa q não vai mais transportar cargas para o estado\província de Entre Rios por causa dos desmandos e extorsões realizados pela polícia local.
Bonito, né? "
http://demotonaterradofogo.blogspot.com/


Paula - 15/01/2010 às 23:34
..."Ruta 14 Argentina. Você certamente será parado por qualquer motivo – não havendo, os policiais corruptos inventarão alguma coisa contra carros brasileiros – será enganado nos postos de gasolina e passará 850km sem ter onde comer, num deserto só"...
http://veja.abril.com.br/blog/10-mais/2010/01/15/as-10-roubadas-que-podem-estragar-as-suas-ferias/5/

VALE LEMBRAR QUE ESSES REGISTROS SÃO SOMENTE NESTA REGIÃO, SENDO O CONTRÁRIO
EM OUTRAS ESTRADAS DA ARGENTINA COM A POPULAÇÃO SUPER HOSPITALEIRA.
« Última modificação: Agosto 13, 2010, 01:52:09 pm por Marcus|Rj »



Offline chinaf

  • Ironbutt do FOL
  • ******
  • Mensagens: 2.032
  • Sexo: Masculino
Re: IMPORTANTE - Ruta Nacional 14 (Argentina)
« Resposta #1 Online: Agosto 13, 2010, 01:39:45 pm »
Vamos ver se vai dar certo!!! heheheheheheheheheheheheheheh

Grande abraço,

P.s.: Sempre lembrando que há reclamações que aqui acontece a mesma coisa com eles e muita vezes com alguns de nós (vou ser honesto comigo nunca aconteceu nem lá e nem aqui, mas lá eu evito a Ruta 14 e aqui, bom aqui todo mundo tem noção de como é)....... embora eu ache que aqui eles sofrem mais com a quantidade incrível de curvas, carros e caminhões......
No momento não estou participando do fórum, por favor não enviem MPs para mim, não poderei responder, sorry.

Offline #Marcus

  • Ironbutt do FOL
  • ******
  • Mensagens: 2.188
Re: IMPORTANTE - Ruta Nacional 14(Argentina) Policiais Corruptos.
« Resposta #2 Online: Agosto 13, 2010, 03:09:49 pm »





"Estou fazendo uma liquidação"

Às 17h do dia 5 de abril, quinta-feira que iniciou o feriadão da Semana Santa, no km 138 da Ruta 14, principal ligação entre Uruguaiana e Buenos Aires, o carro da reportagem foi parado pela quinta vez em uma blitz da polícia rodoviária argentina, a "policia caminera". O diálogo com policiais foi gravado ao longo de 23 minutos de abordagem e negociação, com o testemunho de um jornalista do Clarín, da Argentina. Confira, a seguir, a conversa:

"Vou incomodar pela faixa dupla, chefe"

Policial 1 - Permita-me ver sua carteira de motorista, a Carta Verde (seguro obrigatório para circular no Mercosul) e os documentos do veículo.

Repórter - Aí estão.

Policial 1 - Me avisaram que você passou na faixa dupla amarela. Meus colegas me comunicaram lá atrás, disseram que não puderam pará-lo. Passe por aqui (o policial pede que o repórter saia do carro).

O repórter sai do carro e é levado até o suboficial Omar Sinner, em uma viatura policial de placas ERX 840

Policial 2 - Como vai?

Repórter - Tudo bem.

Policial 2 - Vou incomodar pela faixa dupla, chefe, não sei se se você se deu conta...

Repórter - Creio que não cruzei a faixa dupla.

Policial 2 - Não percebeu a infração?

Repórter - Não. A verdade é que não ultrapassei em faixa dupla. Venho com bastante cuidado, porque não estou no meu país.

Policial 2 - Me passaram isso, que o senhor passou sobre a linha dupla amarela, é possível que não tenha se dado conta. Está mal demarcada. Mas se considera como se estivesse bem (pintada).

Repórter - Ela está mal demarcada, é isso?

Policial 2 - Olha, esta é a sua falta, chefe. Linha dupla amarela. Sabe ler aqui, pode ler? A multa é de 368 pesos. É feito um desconto por pagamento imediato (a lei argentina realmente prevê esta possibilidade). Nós lhe damos um comprovante de pagamento.

"Eu posso te fazer um desconto"

Repórter - Eu não ultrapassei pela linha dupla, o senhor mesmo diz que ela está mal demarcada.

Policial 2 - Olha, aqui, o que eu posso te fazer é um desconto. Se me pagas agora, em vez de cobrar o que está no comprovante, lhe cobro... Se pode fazer um desconto de 25%, 276 pesos (R$ 220), é o que fica no boleto para pagar. Se chegares a ter outro inconveniente na estrada, o comprovante vai lhe servir. Se chegarem a pará-lo em outro posto de controle, ou o que seja, você lhes apresenta esse papel.

Repórter - Desculpe, eu não compreendi essa última parte.

Policial 2 - Eu te dou o comprovante. É a prova que você quitou a infração de trânsito. Se outro policial o parar, por qualquer outra infração de trânsito, você mostra o comprovante de que já pagou aqui. Por 24 horas, não podem multá-lo por outra infração de trânsito.

Repórter - Ah, é como um desconto em outra infração...

Policial 2 - Claro.

Repórter - Então eu posso cometer outra infração e, depois de pagar essa multa ao senhor, eu não pago outra, é isso?

Policial 2 - Exato.

Repórter - É isso?

Policial 2 - Você está coberto, por 24 horas. Aqui em Entre Ríos.

"Podes pagar com reais, pesos ou dólares"

Repórter - Realmente, eu não tenho condições de pagar essa multa. Eu já venho com o dinheiro contado...

Policial 2 - O dinheiro... Podes pagar com reais, pesos, dólares... Eu aceito qualquer moeda para quitar a infração.

Repórter - Ou dólares? E aqui mesmo? Não tenho que ir a um escritório?

O policial tosse, aparenta nervosismo.

Policial 2 - Isso aqui é um posto móvel. Se confecciona o recibo neste lugar.

"Se você não pode pagar 276 pesos, posso baixar para 220"

Policial 2 - Faço o recibo? Em dólares ou pesos ou...

Repórter - É que eu... eu realmente não tenho dinheiro para pagar.

Policial 2 - Quanto você pode pagar?

Repórter - É que eu sou estudante. Sei que o senhor está fazendo o seu trabalho, mas...

Policial 2 - Por isso, até 200 pesos (R$ 160) está bom?

Repórter - Mas como o senhor vai fazer uma multa em um valor menor?

Pelo rádio, chega um chamado de um posto policial localizado dois quilômetros antes do local da abordagem. Este primeiro grupo fica encarregado de avisar sobre carros de placa estrangeira, para que sejam parados logo depois.

Policial 2 - Adiante!

Policial por rádio - ... um paraguaio.

O policial volta a falar com o repórter

Policial 2 - Olha, 220 pesos (R$ 176) é o que eu posso te fazer.

Repórter - Essa é outra infração, então?

Policial 2 - É a mesma. Ou seja... é uma falta grave igual. Se você não pode pagar 276 (R$ 220), posso baixar para 220 pesos (R$ 176). Então, chefe, fazemos o recibo ou não?

Repórter - Tenho alternativa?

Policial 2 - Não tem alternativa.

Repórter - Lamento, mas não tenho como pagar este valor. Se fosse uma infração que eu realmente tivesse cometido...

Policial 2 - 138 pesos (R$ 110), podes pagar? Não posso baixar mais.

Repórter - A original era de quanto?

Policial 2 - 276 pesos (R$ 220), eu posso baixar até 138 (R$ 110).

Repórter - Então eu posso pagar 138 (R$ 110) em vez de pagar... 276 (R$ 220).

Policial 2 - Isso.

"Cobramos mais barato para que a pessoa não tenha problemas adiante"

Repórter - Não vai ficar difícil para o senhor explicar que eu tive uma infração e que está me cobrando menos?

Policial 2 - Acontece que cobramos mais barato da pessoa para que ela não tenha problemas mais adiante. Então, para que você leve um comprovante de pagamento e não tenha problemas mais adiante, lhe cobramos menos dinheiro. Entende?

Repórter - Claro...

Policial 2 -138 pesos (R$ 110) pagas aqui. Faço o recibo e assim já não demoras mais.

"Se você não quiser o comprovante, não te dou"

Repórter - Não podemos deixar por 100 pesos (R$ 80)?

Policial 2 - Por 100 pesos? Mas aí você não leva o comprovante de pagamento.

Repórter - Ah... Por 138 pesos (R$ 110) posso levar o comprovante...

Policial 2 - Se você não quiser o comprovante, não te dou.

Repórter - Não complica para o senhor?

Policial 2 - Não, não. Se você não o quer...

Repórter - Para ser claro. Se eu não quiser o comprovante, posso pagar menos, é isso?

Policial 2 - Exatamente.

Repórter - Não é difícil explicar a multa?

Policial 2 - Te faço então por 100 (R$ 80)?

Repórter - Mas com comprovante de pagamento, pode ser?

Policial 2 - Sim, sim.

"Não tem outra opção"

Repórter - É coincidência, desculpe perguntar, ou sempre param os estrangeiros?

Neste momento, há dois motoristas paraguaios esperando a vez para falar com o suboficial, que mostra impaciência

Policial 2 - Este andou na linha dupla também (apontando para um dos estrangeiros).

Repórter - Mas sempre estrangeiros?

Policial 2 - Ocorre que a maioria das pessoas daqui conhece a estrada, e quem vem de fora não a conhece.

Repórter - Por curiosidade: se por acaso eu não pagar, o que acontece?

Policial 2 - A conseqüência é que depois chega a multa na tua casa.

Repórter - Na minha casa no Brasil?

Policial 2 - Exatamente.

Repórter - Bom... então tudo bem. Prefiro que chegue na minha casa.

Policial 2 - Mas já estou fazendo a multa aqui. A multa é paga no lugar. Essa classe de infrações é paga aqui.

Repórter - Em síntese, aqui eu não tenho outra opção?

Policial 2 - Não tem outra opção.

"Eu fiz um desconto para ti"

Repórter - A infração original era por linha dupla amarela. Qual é a infração pela qual o senhor me multou agora?

Policial 2 - Pela mesma infração.

Repórter - Mas varia tanto assim o valor?

Policial 2 - Você diz que é a primeira vez que anda por aqui. E "bueno", estou fazendo uma liquidação.

Repórter - Liquidação?

Policial 2 - Estou fazendo por pouco menos.

Repórter - Gracias, muy amable...

Policial começa a lavrar a infração. Na pressa, escreve o nome do pai do repórter, que aparece no documento, como autor da infração.

Policial 2 -Te cobro então... te cobro a multa. Te dou o comprovante de pagamento aqui. Me pagas (nervoso)?

Repórter - Ah, tenho que pagar aqui? Mas não vai para minha casa?

Policial 2 - Não. Já fiz a multa aqui. Assina e me paga. Assim, podes seguir viagem. Toma, assina! Eu fiz um desconto para ti... 82 pesos (R$ 65). Toma, assina aqui (mais nervoso).

Repórter - Ah, 82 pesos! Então de 270 pesos (R$ 216) foi para...

Policial - Sim, 82 pesos (R$ 65).

"Te apura, que tenho outro infrator na fila"

Repórter - Só me esclareça uma coisa...

Policial 2 - Te apura um pouquinho, que tenho outro infrator na fila!

Repórter - Ah, o senhor tem outro na fila...

Policial 2 - Assina logo e segue viagem.

Repórter - Se não pagar, o que acontece?

Policial 2 - Tem de pagar, paga-se aqui. Senão, o carro fica detido.

Repórter - E daí tenho que ir caminhando?

Policial 2 - Exatamente. É assim aqui.

Repórter - Aqui é sempre assim, né? Eu não estou sendo enganado?

Policial 2 - É sempre assim. Uma assinatura aqui! Não sei por que tantas explicações e não entende! Eu te expliquei clarinho como é.

Repórter - É que a gente é sempre advertido quando entra para não fazer nada ilegal...

Policial - Te cobro então! Te dou a cópia...

Repórter - Vou pegar no carro (o dinheiro).

"Isso é uma gauchada. Gauchada é amizade"

Depois de 45 segundos, o repórter entrega uma nota de 100 pesos (R$ 80) ao policial. Ao ver o jornalista conversando com o colega do Clarín, pede pressa.

Policial 2 - Eu não estou brincando aqui na estrada, querido. Não estou brincando.

Repórter - Ah, sei, é o seu trabalho né...

Policial 2 - Claro, as pessoas estão apuradas. Dois pesos não tens?

Repórter - Sinto, mas não tenho troco. É um gasto que não planejava ter.

Policial 2 - Faltam dois pesos.

Repórter - Não podes me fazer mais um descontinho? Por 80 (R$ 64)?

Policial 2 - Bueno...

O policial entrega só 10 pesos de troco, para uma nota de 100. O correto seria 18 pesos

Repórter - Mas o senhor me cobrou 90?

Policial 2 - Preciso de dois pesos. Não tenho para te dar o troco.

Repórter - Mas me faz por 80...

Policial 2 - Mas e eu aqui, como é que fico (perde a paciência)? Toma!

Repórter - Gracias.

Depois de 20 minutos, a reportagem volta ao local, alegando ter se perdido.

Repórter - Perdão por voltar. Me perdi. Onde me disseste que preciso dobrar à direita?

Policial 2 - Você tem que ir diretinho até o cruzamento na via. Aí está a Gendarmería, sob a ponte. Vão desviá-lo à direita.

Repórter - Com o que eu te paguei não preciso me preocupar?

Policial 2 - Não, não... Se te pararem na estrada e te disserem algo, você mostra o boleto que pagaste aqui.

Repórter - E digo a eles o teu nome?

Policial 2 - Não, está tudo aqui. Meu nome está aqui no boleto.

Repórter - Como se chama?

Policial 2 - Omar Sinner.

Repórter - E sempre há desconto assim?

Policial 2 - Se você quer pagar no momento, fazemos um desconto... por "gauchada".

Repórter - Ah, por gauchada... E o que é gauchada?

Policial 2 - Você ajuda me pagando, eu te ajudo fazendo um desconto. Para não te cobrar o que é realmente a multa, te cobro algo menos por amizade, digamos. Isso é uma gauchada, gauchada é amizade.

É ILEGAL
O pagamento de uma multa não pode eximir o motorista de cumprir as leis de trânsito. Garantir proteção por determinado período nas estradas é uma forma de extorsão. Zero Hora comprovou que o esquema é reforçado por outros policiais, que aceitam a multa anterior para abrir mão do pedido de propina (leia na página 42). Assim é formada uma rede, na qual o primeiro a receber o pagamento ganha a cobertura dos demais.

É MENTIRA
Se a demarcação não é visível, não pode dar origem a uma multa. Nesse caso, a má sinalização é utilizada pelo policial como estratégia a seu favor com a seguinte lógica: "é compreensível que o senhor não tenha visto a demarcação, mas infringiu a lei e deve ser multado".

É VERDADE
A legislação argentina permite o pagamento em moeda estrangeira e no local da infração, diferentemente da brasileira. O policial deve checar por rádio a cotação em pesos da moeda com que o infrator vai pagar a multa.

É ILEGAL
O policial não pode mudar a categoria de uma multa para forçar o motorista a pagar por uma infração mais barata, como se fosse uma "liquidação". Dizer que é para "não ter mais problemas adiante" é uma forma de pressionar por pagamento imediato, que não é obrigatório.

É ILEGAL
Receber dinheiro por uma infração sem dar ao motorista um comprovante do pagamento configura corrupção.

É UMA ARMADILHA
Nos 23 minutos em que o veículo da reportagem ficou no bloqueio, apenas carros estrangeiros foram parados - dois paraguaios. Embora não haja estatística de abordagens por origem do veículo, automóveis argentinos transitam sem as mínimas condições nas rodovias federais. Nos 1.464 quilômetros percorridos entre Uruguaiana e Buenos Aires, ida e volta, a reportagem passou por cinco veículos sem placa (abaixo), quatro com a luz queimada e dois com o pára-brisa dianteiro quebrado.

É MENTIRA
Conforme o comissário-geral Jorge Alberto Roldán, da Direção de Prevenção e Segurança Viária de Entre Ríos, nenhum condutor é obrigado a pagar na hora uma multa. Ou seja, independentemente da infração, o condutor estrangeiro ou argentino pode pedir que enviem a multa a sua casa.

É MENTIRA
Um carro só pode ser apreendido na Argentina por documentação adulterada, falta de documentos que certifiquem a propriedade do veículo ou se o motorista estiver bêbado. Nunca por infrações como passar sobre a linha dupla amarela ou andar sem o cinto de segurança.
---------------------------------------------------------------
No retorno, a rede de corrupção se completa

Na viagem de retorno de Buenos Aires, iniciada às 8h e terminada às 23h15min do dia 7 de abril, o achaque à reportagem no trajeto de ida deixa de ser um fato singular e se torna parte de uma rede de extorsão. Por duas vezes, o veículo foi parado por policiais, que apontaram supostas irregularidades - primeiro em relação à validade do seguro, depois por excesso de velocidade. Quanto ao seguro, a validade vencia à meia-noite do dia 7 - portanto, estava dentro do prazo. Durante todo o trajeto, a velocidade não passou de 110 km/h - máximo permitido pela lei argentina. Nas duas ocasiões em que ZH foi abordada, o comprovante do pagamento da primeira multa fez os policiais recuarem na intenção de extorquir o motorista. Desta vez, os policiais não foram identificados.

Primeiro bloqueio Km 139, às 16h

Policial - Permita-me ver a sua carteira de motorista, o seguro e a documentação do veículo?

Repórter - Aqui está.

Policial - Está vencido o seguro. Vale por três dias, a partir do dia 4. Hoje é 7... Saia do veículo.

Policial - Vais ter que pagar uma multa.

Repórter - Olha, aqui é Entre Ríos, não?

Policial - Sim.

Repórter - Quando vim, tive a má sorte de falar com o senhor Omar, que parece que trabalha nesta região, não?

Policial - Sim.

Repórter - Ele me multou e me disse que o que havia pago me garantia que não iam me multar de novo.

Policial - Claro. Onde tens essa multa?

Repórter - Tenho no carro.

Policial - E por que era?

Repórter - Por ultrapassar em faixa dupla amarela.

Policial - Ah, por faixa dupla.

Repórter - De fato, como já paguei um monte e não planejava gastar...

Policial - O negócio é que sem seguro... Aqui é onde trabalha Omar, nesse posto. Hoje não está, está em casa. No caminho para o Brasil, vais encontrar muitos postos. E vão te encontrar sem isso (o seguro)...

Repórter - Sim.

Policial - Para chegar a Uruguaiana vão querer te cobrar. O que posso fazer é te fazer mais barato, com um boleto dizendo que podes ir sem seguro, por 92 pesos (R$ 73). Porque o outro controle vai te parar e querer te cobrar 300 pesos, e aí vais ter que pagar. Te faço por 92 porque já te cobraram outra.

Repórter - Juro que já não tenho dinheiro. E como o senhor Omar me disse que era uma garantia...

Policial - E não podes pagar nada? 30 pesos (R$ 24)... Para te dar o papel e assim já não te incomodarem mais... Com recibo.

Repórter - Me servirá para seguir?

Policial - Coloco no papel que te esqueceste do seguro. Não escrevo que está vencido, mas que não tens porque te esqueceste.

Repórter - O que eu tenho é só para comer, não dá para mais nada...

Policial - Bom, anda. Mas se outro posto te parar... Pronto, vai!

Último bloqueio Km 341, às 22h

A última parada ocorre em um posto policial no km 341, às 22h do dia 7. Na blitz, um policial faz a abordagem e leva o repórter para a sala do chefe do posto. Não há pedido de propina, mas novamente o comprovante de pagamento da primeira multa serve como proteção.

Policial - Não viu a blitz?

Repórter - Vi e baixei a velocidade.

Policial - Depois há acidentes e lamentam.

Repórter - A verdade é que eu vinha a 110 km/h.

Policial - Na curva, tem um sinal que diz para vir a 60 km/h. Depois, há outro que diz 40 km/h e um de 20 km/h e depois um policial te manda parar. De onde você vem, de Buenos Aires?

Repórter - Sim, vou para Uruguaiana.

Policial - Vai pagar a multa ou não?

Repórter - Não. Já me multaram em Entre Ríos.

Policial - Onde?

Repórter - Em um posto de Entre Ríos, o senhor Omar me parou e me multou. Não posso pagar mais multas.

Policial - Tens o recibo?

Repórter - Sim.

Policial - Traga-o, então.

O repórter volta ao carro e depois de um minuto apresenta o recibo.

Policial - Mas te cobraram pouquinho...

Repórter - Sim, começamos com 200 e poucos pesos. Ele me multou porque disse que ultrapassei em faixa dupla amarela. Ele me disse também que, se me parassem de novo, em Entre Ríos, que dissesse que já tinha sido multado.

Por um minuto, o policial olha para o papel.

Policial - Pois já está, podes ir.



É MENTIRA
O seguro de três dias começara a valer à meia-noite do dia 4 de abril - ou seja, valeria até a meia-noite do dia 7. Estava dentro do prazo.
MANUAL DE SOBREVIVÊNCIA
> Ao ser parado pelos policiais argentinos mantenha a calma. Irritar o motorista, deixando-o esperar, é uma tática para cobrar a propina
> O pedido de propina dificilmente é feito no veículo. O motorista é levado por policiais a uma sala ou a um carro onde está o coordenador do grupo
> A lei argentina exige equipamentos que não são requeridos no Brasil. Certifique-se de que você tem todos os itens exigidos
> Nas estradas próximas a Buenos Aires, o limite de velocidade é de 130 km/h. Em geral, as rodovias federais apresentam limite de 110 km/h, mas fique atento às zonas urbanas
A LEI
Equipamentos exigidos pela lei argentina para automóveis
> Extintor de incêndio com verificador de carga
> Uma barra para reboque
> Um kit de primeiros socorros
> Dois triângulos
> Cinto de segurança
> Apoio para a cabeça nos bancos dianteiros
> Carteira de motorista
> Seguro obrigatório do automóvel, conhecido como Carta Verde (obtido em corretoras)
> Documento original de propriedade do veículo
> Autorização para dirigir na Argentina, caso não seja o dono do veículo (fornecida pelo proprietário e registrada em cartório)

CONTRAPONTO
O que diz o comissário-geral da Direção de Prevenção e Segurança Viária de Entre Ríos, Jorge Alberto Roldán:
"Vamos investigar até as últimas conseqüências, isso não vai ficar assim. Não podemos ter gente assim trabalhando. Dou minha palavra de que, se houve ilegalidade, ela será punida. No último ano, não tivemos denúncias de pedidos de propina. O suboficial Omar Claudio Sinner está sendo investigado e foi afastado da função que cumpria. Ele já não trabalha em postos da polícia rodoviária e, enquanto a investigação dos documentos avança, atuará como guarda de trânsito na cidade de Diamante."
PROPINA NA RUTA 14
[/b]


MAIS INFORMAÇÕES NESTE LINK:
Extorsão a Brasileiros na Ruta 14 - Argentina
http://www.voudemochila.com.br/phpBB2/viewtopic.php?t=1375
« Última modificação: Agosto 13, 2010, 03:24:17 pm por Marcus|Rj »

Offline Diego Paz

  • Ironbutt do FOL
  • ******
  • Mensagens: 30.854
  • Sexo: Masculino
  • Fol Floripa - SC
Re: IMPORTANTE - Ruta Nacional 14(Argentina) Policiais Corruptos.
« Resposta #3 Online: Agosto 14, 2010, 02:16:24 am »
Meu pai anda praticamente 1 vez a cada 3 meses por aí, e nunca comentou nada parecido ...mas é sabido SIM, que eles são todos corruptos.

A ultima vez subornamos o guarda com um "mate" (chimarrão) e tudo certo.

Mas se não falar "castellano" certinho é caixão ...rsrsrs

Só pra lembrar, aqui no Brasil tem estrada FEDERAL controlada por indios ...

Abs

Offline Geraldinho.

  • Ironbutt do FOL
  • ******
  • Mensagens: 11.476
  • Sexo: Masculino
  • DEUS, livre nossa FOLmília de todo perigos! Amém!
Re: IMPORTANTE - Ruta Nacional 14(Argentina) Policiais Corruptos.
« Resposta #4 Online: Agosto 14, 2010, 02:42:44 pm »
Caramba, que história triste!... :(

Lamentável.

Gente ruim tem em todo lugar do mundo...

Um abraço.
Geraldinho.
"Ninguém morre enquanto permanece vivo no coração de alguém"

http://gerareisgmr8.blogspot.com.br/
MOTO GRUPO NAJA (Pepi e Jana, eternos FOLmigos!...)

Offline Eric Fon Zipper

  • Esquentando
  • **
  • Mensagens: 145
Re: IMPORTANTE - Ruta Nacional 14(Argentina) Policiais Corruptos.
« Resposta #5 Online: Agosto 14, 2010, 03:21:16 pm »


 Olha o Dick Vigarista fardado ´´fazendo´´negócios com a pastinha aberta no banco da moto na AR14!!!!   no meu

caso custou meia hora no´´gelo´´esperando e mais meia hora de negociação pra pagar 60 pesos

de um total inicial de 750 pesos!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! por exesso de velocidade e ultrapassagem em

faixa dupla em zona proxima de Escola e por ai vai...  levou mas não levou facil...   e perdi uma

hora de boa estrada... 

 

Offline chinaf

  • Ironbutt do FOL
  • ******
  • Mensagens: 2.032
  • Sexo: Masculino
Re: IMPORTANTE - Ruta Nacional 14(Argentina) Policiais Corruptos.
« Resposta #6 Online: Agosto 15, 2010, 02:14:15 am »
Pois é, li 3 relatos "recentes" (desse ano).... tão matando em 500 reais......

Eu, penso que o melhor caminho é a travessia por barco..... se é para pagar propina para Camineira, prefiro pagar um barco para evitar essa área, fora que o Uruguai é um país que merece sempre uma visita.

Sempre tive dúvidas de pq enche tanto o Ferry na travessia, hoje eu não tenho mais dúvidas a Camineira na 14 pega muito argentino também.... o pessoal prefere pagar o caro, para não acabar com a viagem antes de sair do próprio país.

Tem uma revista de Viagens que eu comprei, faz quase um ano, o jornalista fez de carro, o famoso trajeto Brasil, Uruguai, Argentina e Chile (sempre indo até Santiago e voltando), também foi parado (por incrível que pareça no caminho para Mendonza) e ia morrendo em alguns reais.... ai "amoleceu" o guarda na conversa, claro que avisou que era "periodista"..... isso deve ter ajudado muito.

No mais é isso,

Grande abraço,

P.s.: O F.Quebramar me disse que esse ano não rolou nada com ele na Ruta 14(apesar dele ter saido da Argentina para entrar no Uruguai), mas que na primeira vez que ele foi.... os caras, levaram ele para o escritório e ficaram gritando na orelha dele por um tempão (coitado não devia ter um troco no bolso)........

P.s.2: Os casos de "achaque" tem ocorrido com motociclistas experientes, muitos que já fizeram 2, 3 viagens para a Argentina, mas repito, não aconteceu comigo nenhuma vez, mas eu evito a 14.
No momento não estou participando do fórum, por favor não enviem MPs para mim, não poderei responder, sorry.

Offline Geraldinho.

  • Ironbutt do FOL
  • ******
  • Mensagens: 11.476
  • Sexo: Masculino
  • DEUS, livre nossa FOLmília de todo perigos! Amém!
Re: IMPORTANTE - Ruta Nacional 14(Argentina) Policiais Corruptos.
« Resposta #7 Online: Agosto 15, 2010, 02:50:59 am »
Não há nada a fazer?

Denunciá-los na Embaixada Argentina no Brasil?

Denunciá-los no site da própria corporação?

Fazer um vídeo e colocar na internet?

Algo precisa ser feito.

Um abraço.
Geraldinho.
"Ninguém morre enquanto permanece vivo no coração de alguém"

http://gerareisgmr8.blogspot.com.br/
MOTO GRUPO NAJA (Pepi e Jana, eternos FOLmigos!...)

Offline Matheusrreis

  • Pilotando na boa
  • ***
  • Mensagens: 163
  • Sexo: Masculino
  • Valinhos City - Terra do Figo Roxo
Re: IMPORTANTE - Ruta Nacional 14(Argentina) Policiais Corruptos.
« Resposta #8 Online: Agosto 15, 2010, 09:47:46 am »
Poxa mto triste!

Estou pensando em ir até Buenos Aires no começo do ano que vem, bom saber , pois se eu puder evitar a 14 eu evito!
Matheus R. Reis
A diferença entre meninos e homens é o tamanho de seus brinquedos!

Offline BIXU*du*MATO

  • Ironbutt do FOL
  • ******
  • Mensagens: 3.850
  • Sexo: Masculino
  • by DIEGO - Imirim - Sampa
    • [b]"Paixão por moto é igual paixão por mulher, ambas dão trabalho e custam caro... mas não consigo ficar sem elas!"[/b]
Re: IMPORTANTE - Ruta Nacional 14(Argentina) Policiais Corruptos.
« Resposta #9 Online: Agosto 15, 2010, 11:39:31 pm »
 :hein


ja recebi informações do TIPO sobre quem estaria para nos ajudar, querendo nos F...%$#&...




 :thumbdown: tenho que evitar a Ruta 14 :thumbdown: em meu planejamento  :thumleft:

www.diamaral.webnode.com.br

Offline rodrui

  • Esquentando
  • **
  • Mensagens: 109
  • Sexo: Masculino
Re: IMPORTANTE - Ruta Nacional 14(Argentina) Policiais Corruptos.
« Resposta #10 Online: Agosto 15, 2010, 11:45:15 pm »
Essa pratica não é isolada a ruta 14.

Em fevereiro deste ano, eu e mais um amigo rodamos com 100 pesos cada no trecho entre Córdoba e Santa Fé, mais exatamente na cidade de San Francisco. Detalhe, não foram policiais que nos pararam, e sim agentes de trânsito como os marronzinhos de São Paulo.

Queriam nos aplicar uma multa no total de 800 pesos, pois "teriamos" ultrapassado em faixa dupla em alta velocidade e varado um sinal vermelho. Ainda tive que escutar o fdp dizer que nossas motos não andam devagar. (Bandit e Hornet).

Na ida pelo chaco tb foram nos pedido "a contribuição" para uma cerveza. Isso mesmo, pediram na cara dura pra tomar cerveja.

Esse pratica vai ser dificil de acabar.

Abs
Vstrom DL 1000

Offline chinaf

  • Ironbutt do FOL
  • ******
  • Mensagens: 2.032
  • Sexo: Masculino
Re: IMPORTANTE - Ruta Nacional 14(Argentina) Policiais Corruptos.
« Resposta #11 Online: Agosto 16, 2010, 04:44:20 am »
Relatos de problemas na Ruta 14 e nas estradas que cruzam o Chaco são antigas, pra mim a novidade tem sido as que tem surgido no caminho para Mendonza e na subida para o Paso Cristo Redentor, esses sim, tem aparecido de um tempo para cá, mas bem recentes..... mas são mais esporádicas.

Grande abraço,
No momento não estou participando do fórum, por favor não enviem MPs para mim, não poderei responder, sorry.

Offline BETO CASSOLO

  • Esquentando
  • **
  • Mensagens: 133
  • Sexo: Masculino
Re: IMPORTANTE - Ruta Nacional 14(Argentina) Policiais Corruptos.
« Resposta #12 Online: Outubro 14, 2010, 01:17:08 am »
Saudações!!!
Essa pratica, lamentavelmente não existe só na Argentina...
Nunca tinha passado por isso, mas em 2009 voltando de Cidad del Leste, me pararam ainda no Paraná, disse que era jornalista, que conhecia o pessoal da Pol. Rodoviária, estava com minha filha menor de idade no veículo, mas mesmo assim, morremos com R$50,00...
Chega a dar nojo, e o mais complicado é que me trataram como se eu fosse o melhor amigo deles, brincaram com minha filha...achei até que pudesse continuar viagem, mesmo porque, estava tudo em ordem com as compras (dentro do limite) e com os documentos do veículo.
Mas não tem jeito...Qdo. querem, cobram mesmo.
Pagamos, sem entender o porque.
 :salut:
JAÚ/SP - Viajar de moto é bom...de FALCON, melhor!