FalconOnLine - Aprecie sem Moderacao

ENCONTROS/VIAGENS => Relatos de viagem/Diários de bordo => Tópico iniciado por: Patrick em Maio 15, 2015, 01:36:53 am

Título: Expedição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Patrick em Maio 15, 2015, 01:36:53 am
Dia 01 - Blumenau x São Miguel do Oeste - 580kms
E aí pessoal, hoje finalmente vou iniciar a escrever os relatos da viagem mais completos. Prometo que vou tentar postar o máximo de informações possível, desde que a minha memória permita.
Chegava a hora da tão esperada partida. Depois de meses de planejamento, coleta de informações e viagens virtuais, chegava a nossa vez. Falando um pouco na primeira pessoa, eu sonhava com esta viagem a pelo menos uns 5 anos. Conversava com amigos que tinham ido, lia relatos, livros e por algumas vezes, ensaiei a minha ida. Infelizmente (ou felizmente), não tinha dado certo. Mas, nada acontece por acaso. Acredito que tudo aconteceu na hora certa e como deveria acontecer. Quando mais me aproximei da minha ida, sofri um acidente, minha moto teve perda total, felizmente eu não tive muitos ferimentos, logo logo, já estava andando de moto novamente. Mas, confesso que na época "tirei o pé" e resolvi esperar um pouco. Fizemos uma primeira viagem internacional para o Uruguai eu e a minha esposa (futura), bom, vocês vão ver no decorrer dos relatos, vou explicar melhor...
Esta primeira viagem, que está publicada neste blog, foi fundamental para o nosso aprendizado. Viajamos por um país muito tranquilo e acolhedor, foram 10 dias incríveis pelo Uruguai, recomendo a quem quiser, é uma viagem bastante boa para se ter um primeiro contato com outro idioma, aduanas, etc.
Depois dessa viagem, estava decidido, era hora de ir pro Atacama, não tinha mais o que esperar, era pegar a moto e ir. Voltamos do Uruguai em março, e começamos a planejar a viagem, a princípio, uma viagem solo nossa. Porém, no decorrer do tempo os amigos Alencar, Gilmar e Débora toparam ir juntos.
Foram meses de reuniões, planejamento, busca por hotéis, informações sobre estradas e aduanas. Pontos turísticos, o que fazer e o que não fazer, etc. Toda esta preparação fez a diferença com certeza, recomendo a quem quiser fazer uma viagem destas, o planejamento é essencial, otimiza seu tempo e também te previne de alguns possíveis problemas que possam ter pelo caminho. Como por exemplo, a passagem da ponte de Corrientes-AR, ou melhor, a avenida que liga à ponte, onde não se pode trafegar pela pista principal de moto. E por aí vai, mais a frente vocês verão.
Mas voltemos ao tema inicial: A partida!
Era dia 31 de janeiro, porém, a movimentação começara já no dia 30. O Alencar que mora em Anitápolis, saiu de lá e veio ao nosso encontro em Blumenau. Ele chegou em Blumenau no meio da tarde, já encarou um pouco de chuva, porém, nada preocupante. Na sexta a noite deixei tudo pronto, encaixei os baús na moto, revisei os equipamentos, coloquei pilhas no SPOT, no GPS, câmeras prontas, etc. Tinha um pouco de receio de esquecer alguma coisa. Sem contar nos documentos e no dinheiro, isso sim poderia ser um grande problema durante a viagem. Porém, tudo certo.
Era hora de ir dar um abraço nas nossas mães. Esta parte foi um pouco difícil, foram beijos e abraços já apertados de saudades, apreensão, etc. Aquela história de amor de mãe sabe? Engolimos o choro e fomos embora. Um momento bastante complicado, nesta hora a minha cabeça fervia, pensava mil coisas. Queria dizer para minha mãe que quando voltarmos faríamos alguma coisa juntos, mas daí me perguntava se realmente tudo daria certo, enfim. Minha cabeça estava muito atordoada, estava preocupado, mas tinha que isolar estes pensamentos, isso poderia atrapalhar o desenvolvimento da viagem. Enfim, assunto encerrado.
Pedimos uma pizza na nossa casa e o Gilmar e a Débora vieram comer conosco, tomamos uma cerveja para relaxar, senão ninguém dormia naquela noite.
Também não posso deixar de falar sobre o carinho dos amigos, muitos mandaram mensagens pelo facebook, wats, etc, desejando sucesso na nossa viagem. Agradeço a todos pela torcida e apoio durante toda a viagem.
Amanheceu o dia 31, nem precisou o relógio tocar e todos estávamos acordados. Na nossa casa, tínhamos acabado com estoque de comidas, então fomos com o Alencar tomar um café no posto aqui perto de casa. Lá, o nosso amigo Flávio Carneiro, da cidade de Brusque nos esperava. Ele veio especialmente para a nossa partida.
O dia estava um pouco cinza, mas nada muito diferente do que os demais dias aqui em Blumenau. A temperatura estava amena, mas prometia um dia bastante quente. Nos reunimos na frente do prédio, tiramos algumas fotos e era a hora da partida.
Saímos pontualmente as 08:00 da manhã, com destino à São Miguel do Oeste, onde era o planejado de dormirmos. Na saída, eu ia pensando no que nos aguardava nos próximos dias, o quanto esperei para este dia chegar, o que aconteceria, enfim. Andar de moto é um pouco solitário as vezes. Você está ali "sozinho" dentro do capacete, pensa em mil coisas, e a únicas respostas que ouve, são as que você mesmo se dá.

 A partida
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0001_zpsvrdc4zk1.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0001_zpsvrdc4zk1.jpg.html)

Reunidos para o início da viagem
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0003_zpsbxe0y299.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0003_zpsbxe0y299.jpg.html)

Já no início, o Alencar me alertou que o pneu da minha moto estava deformando demais. A calibragem não estava boa. Paramos num posto e recalibramos. Pegamos a BR-470, e esta rodovia inspira muitos cuidados, é um trecho bastante crítico, com muito movimento de caminhões e carros ao longo do trecho entre as cidades de Blumenau e Pouso Redondo. E, na minha opinião, o maior vilão deste trecho é a imprudência dos seus usuários, são várias ultrapassagens em locais proibidos, forçadas, etc. Porém, não há muita escolha, é a principal ligação do Vale do Itajaí com o Oeste do estado.
Em Ascurra, ficamos parados numa grande fila. Não sabíamos se era uma obra ou algum acidente. Esperamos sem tirar capacetes, pois pensávamos que seria mais rápido. Porém, o tempo foi passando e nada de andar. Depois de uns 25 minutos parados, começara a andar. O motivo, um acidente entre duas caminhonetes. Não deu pra saber se tinha feridos, mas as duas caminhonetes estavam bastante estragadas e tudo indicava que tinham batido de frente.
Continuamos em frente, apesar do movimento tudo seguia bem. A nossa primeira parada foi na cidade de Pouso Redondo, no Posto Mime, aproximadamente uns 170 kms rodados até a primeira parada. Ali já estávamos chegando na região serrana de SC. Depois de um abastecimento, ida no banheiro, etc, voltamos para a estrada. O planejamento era tocar até a cidade de Erval Velho, para almoçar no restaurante do Gringo.
Pegamos a estrada e depois de subirmos a Serra da Santa e entrarmos no Vale do Contestado, a temperatura mudou bruscamente. Pegamos uns 10° mais ou menos, mas seguimos em frente. Ali o movimento era menos intenso, apenas caminhões com contêineres, e tínhamos facilidade em ultrapassar, devidos aos trechos bastante amplos e sem movimento contrário. Passamos o entrocamento da BR-470 com a BR-116, seguimos por Curitibanos e em seguida para Campos Novos, onde mudamos da BR-470 para a BR-282 que nos levaria até a divisa com a Argentina. De Campos Novos até Erval Velho são uns 30 kms, e a hora do almoço se aproximava.
O Restaurante do Gringo, que fica às margens da BR-282 é parada obrigatória para quem vai pro oeste de Santa Catarina. Comida caseira e farta. Com carnes assadas e tudo mais. E, claro, o Gringo, que é um caso a parte. O Gringo fica no buffet servindo lasanhas e massas para os clientes, e também fica de olho no abastecimento do buffet. Quando alguma coisa está acabando ele pega um microfone e pede pra cozinha abastecer o que é necessário. Lá na cozinha, um sistema de auto falantes se encarrega de alertar as cozinheiras do que está precisando no buffet. Um tanto quanto prático não?
Depois daquele belo almoço, hora de pegar a estrada. Porém, um problema: chuva. O Gilmar não queria vestir a capa de chuva, e nem os demais. Porém, eu não queria já ficar com aquele cheiro de cachorro molhado já no primeiro dia da viagem. Então, decidimos vestir os equipamentos. Não tinha cara de que estava chovendo muito, mas optamos por não arriscar. Vestimos aquela parafernália toda e saímos. Rodamos uns 5 kms, e a chuva parou. Que raiva. Pensei em andarmos até a próxima parada para daí tirarmos a roupa, porém, o calor era tanto, que paramos na beira da estrada e foi uma alegria só.
Havia um local na BR-282 que sempre que eu passava lá, tinha vontade de parar. É um restaurante que do lado, tem uma grande torre, com aproximadamente uns 30 a 40 metros de altura. Lá em cima, um mirante com vista para um grande vale. Uma vez conversando com pessoas da região, descobri que fizeram aquele mirante para avistar a região onde está localizado o município de Vargeão. Eu explico, diz a lenda que aquele local foi alvo de uma chuva de meteoros, e deste mirante daria para ver a grande cratera que se formou. Paga-se uma taxa de R$2,00 para subir no mirante, é um pouco assustador, pois a estrutura de ferro balança com o vento, porém, a vista é muito bonita.

 Esticar as pernas é preciso
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0007_zps0buy4rwb.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0007_zps0buy4rwb.jpg.html)
Vista do mirante de Vargeão
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0012_zpslkddf3nu.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0012_zpslkddf3nu.jpg.html)

Depois dessa parada continuamos em direção ao extremo oeste catarinense. Passando Xanxerê, Xaxim e Chapecó, paramos em Nova Erechim para um abastecimento bastante caro, em torno de R$3,40 o litro de gasolina. Estava muito quente e já nos aproximávamos do nosso destino.
A estrada piorou bastante neste trecho, com muitas ondulações, requereu bastante cuidado nosso, afim de evitar qualquer tipo de problema. Finalmente chegamos em São Miguel, onde paramos no Posto do Mauro, conforme tínhamos combinado, sempre abasteceríamos na chegada a algum destino, para na manhã seguinte não termos que procurar postos.
Liguei para o Alemão, nosso contato do Motoclube Cães do Asfalto,que gentilmente cederam a sua sede para nossa hospedagem. O Alemão veio rapidamente nos encontrar e nos levou para a sede dos Cães. Sem palavras para aquela acolhida, a sede dos Cães é muito bem montada, com alojamento para até 6 pessoas, confortavelmente montada com televisão, banheiro e um maravilhoso ar condicionado.
Lá na Sede conhecemos o Robert e a Nina, um casal muito simpático e também aventureiro das duas rodas. Eles também estavam na contagem regressiva para a Expedição Caracoles. Depois, o Robert voltou à sede, com uma nova e inusitada garupa, a sua cachorrinha Jullyta. A Jullyta sobe sozinha na moto e adora uma voltinha em duas rodas. Muito querida. Um membro da família de respeito!

Nossos novos amigos de São Miguel
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0019_zpstduzfzo1.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0019_zpstduzfzo1.jpg.html)
Jullyta, a cadela motociclista
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/IMG_0604_zpscpvgy0qp.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/IMG_0604_zpscpvgy0qp.jpg.html)
O Alemão nos levou até a sua loja de motos. Ele tem uma bela coleção de motos clássicas restauradas. São Cgs, DT´s, etc, todas em ótimo estado. Ele está vendendo algumas delas, quem comprar não vai se arrepender, as motos estão impecáveis.
A noite, chegou nosso amigo e grande ajudante do planejamento, o Diego Petry Melz, ele estava em São Lourenço do Oeste fazendo uns ajustes em seus baús para a sua aventura. Diego levou a sua mãe na garupa e sua viagem foi um sucesso. Acompanhei pelo facebook. Parabéns Diego pela aventura e pela sua mãe, sua fiel garupa. Foi incrível.

Jantar com o amigo Diego
O Diego queria apenas nos dar um abraço e seguir para casa dos seus pais, porém, foi vencido por nós e acabou ficando na sede conosco. Saímos para jantar na cidade e logo voltamos para dormir. O dia seguinte seria cheio.

"Relato extraído do Blog - www.insetonocapacete.com"
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Resmungão em Maio 15, 2015, 02:07:27 am
 .clap .clap .clap
Relato detalhista; do tipo que gosto. Viajamos juntos  :cheers:
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Patrick em Maio 15, 2015, 02:24:18 am
Vamo que vamo Resmungão, acho que vais gostar... Tem muita informação...

Abraço
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: em Maio 15, 2015, 02:49:50 am
Boa, vamos juntos
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: mmpanela em Maio 15, 2015, 03:04:48 am
boa Patrick!!! acompanhando a moda antiga...
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Polenta em Maio 15, 2015, 11:06:21 pm
PARABENS mais um montão de vezes Patrick nossa próxima Trip será mais ou menos essa!!



"A Vida é muito curta, Portanto curta muito a vida.." Im memorian Maurício Saab
Polenta
(11)999841402
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Patrick em Maio 15, 2015, 11:22:18 pm
Valeu polenta e panela!! Obrigado mesmo! Olha, vale a pena cada km, estou com saudades da trip já.


Enviado do meu iPhone usando Tapatalk
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Kabeça em Maio 16, 2015, 03:36:00 am
 :cheguei

Acompanhando e gostando... ,10468
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: jabahandebol em Maio 16, 2015, 10:09:40 am
Show, parabéns, quando leio relatos começo a viajar junto. Aguardando próximos capítulos. Abraço.
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Patrick em Maio 17, 2015, 08:35:38 am
Que bom que estão gostando. Aí vai mais um relato:

Dia 02 - São Miguel do Oeste x Corrientes-AR - 708 Kms
Domingo, dia 01 de fevereiro, 06:00 da manhã e já estávamos todos em pé, preparando as motos para pegarmos a estrada e cruzarmos a primeira fronteira da nossa viagem. O dia amanheceu relativamente agradável, clima típico do nosso oeste, confesso que para mim estava até frio, mas estava bom. Como estávamos na sede dos Cães do Asfalto, não tínhamos café da manhã All Inclusive. mas também, era pedir demais dos amigos que gentilmente cederam o espaço para ficarmos gratuitamente. E ainda por cima com todo o conforto de um hotel. Ar condicionado, um bom banheiro, toalhas, etc. Agradeço imensamente ao Alemão, Robert, Molin e a todos os demais integrantes pela recepção e atenção conosco, saibam que todos vocês têm casa quando vierem a Blumenau. Será um prazer retribuirmos a recepção em São Miguel.
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/CaesdoAsfalto_SC_zpseastik6r.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/CaesdoAsfalto_SC_zpseastik6r.jpg.html)
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/IMG_5077_zpso14sjp75.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/IMG_5077_zpso14sjp75.jpg.html)
Sede do Motoclube Cães do Asfalto
Mas vamos lá, tínhamos um roteiro a seguir, o dia seria longo. O Diego, nosso amigo, ficou lá na sede conosco, e de lá ia para a casa dos seus pais. Antes, fomos levar a chave da sede na casa do Alemão. Partimos sem café da manhã pois não encontramos nada aberto. Lá de São Miguel do Oeste, continuamos pela BR-282, que para minha surpresa, não acaba em São Miguel do Oeste. Normalmente, quem opta por entrar na Argentina por Santa Catarina, vai por Dionísio Cerqueira, uma fronteira bem conhecida e utilizada, até mesmo pra quem vai para Foz do Iguaçu, dizem ser melhor ir pela Argentina do que pelo Brasil. Mas, como nosso amigo Diego nos sugeriu, e ainda por cima, foi lá conferir de perto antes de mandar alguém, a fronteira da cidade de Paraiso, no Brasil, está funcionando. Também conhecida como Peperi-Guaçu.
IMPORTANTE: Se optar por fazer imigração nesta fronteira, é importante ir com a carta verde feita e com algum dinheiro já feito cambio. A carta verde é obrigatória e não deixarão passar se você não tiver.
De São Miguel do Oeste, até a aduana, são aproximadamente 30 Kms, a estrada está muito boa, totalmente sinalizada e com asfalto excelente. Sem contar que, se tivéssemos ido por Dionísio, rodaríamos 120 kms a mais. IMPORTANTE: Se você colocar a rota pelo Google Maps, ele não vai calcular por este caminho que fizemos, pois ele ainda consta como de terra. Inclusive no meu mapa impresso está de terra. No BING MAPS, até dá pra fazer a rota por lá, mas também indica estrada de terra. Porém, podem ir sem medo, está tudo asfaltado.
Mas voltemos a imigração. Chegamos na aduana antes das 08:00. É um lugar bastante deserto. Tinha apenas um policial e um agente de imigração. Ah, e alguns cachorros também. Chegamos as 08:00 pelo horário brasileiro de verão, porém, na Argentina ele não é válido. Estávamos então, novamente as 07:00.
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0021_zpsledf3lab.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0021_zpsledf3lab.jpg.html)

Fizemos a imigração num processo bastante rápido e seguimos viagem. A estrada é novinha. Toda asfaltada e sinalizada. Esta estrada passa no meio de uma reserva ambiental, com animais silvestres, etc. Pelo caminho, vimos algumas "passarelas", feitas para animais cruzarem a rodovia em segurança. Estávamos andando pela Ruta 20. Naquele trecho, a minha moto ameaçou se desintegrar. Primeiro caiu um parafuso do protetor de mão. Acredito que por causa da vibração da moto. Paramos no acostamento e o Alencar fez uma gambiarra com uma "língua de sogra".

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/IMG_5089_zpsoeobrjqd.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/IMG_5089_zpsoeobrjqd.jpg.html)
Chegamos na primeira cidade Argentina, San Pedro. Paramos num posto Esso à beira da estrada. Estávamos todos com fome, ainda não tínhamos comido nada, a não ser castanhas que levamos. Mas a conveniência do Posto era de dar dó. Não tinha nem um mísero café. Optamos por tentar entrar na cidade e procurar alguma coisa. Ledo engano, a cidade é pequena e estava tudo fechado. Perguntamos a um local, e ele nos disse que seria difícil encontrar alguma coisa. Daí vimos a rodoviária e tentamos lá. Também não achamos nada. Resultado: Castanhas e gel de hidratação foi o que nos restou.
Estávamos rodando na Ruta 14. E assim foi até o próximo abastecimento, na cidade de San Vicente. Lá paramos num grande Posto Shell. Grande pois, tinha até um mini posto apenas para atender moto, me senti muito VIP.
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/DSC_0022_zpswpigov95.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/DSC_0022_zpswpigov95.jpg.html)
Posto para atender apenas motos
Finalmente conseguimos comer alguma coisa, neste posto tinha uma boa conveniência, onde pudemos comer "Media Luna" e tomar um café. Tinha também mini pizza, aquecida no microondas, uma delícia. Já estava na hora de comermos alguma coisa.
Na cidade de Leandro N. Alem (Não adianta me perguntar o que significa o N, porque não vi nenhuma placa com a descrição completa da cidade), lá bateu uma dúvida, pois daria para seguir reto ou virar a direita. Paramos num posto e perguntamos. Era para seguir reto. Antes disso, eu já tinha errado numa outra entrada. Passamos por um comando da policia Caminera, voltamos e, para não passar novamente na frente deles, parei no posto ao lado. Pedi informações e saímos pela lateral para a rodovia que tínhamos que pegar. Eles ficaram olhando, pensei até que viriam atrás, mas felizmente nada aconteceu. Tínhamos muito receio da policia caminera, muita gente nos falou de pedidos de propina pelo caminho. Até agora, tudo certo. Mas era apenas o primeiro dia na Argentina.
Voltamos para a Ruta 14, só que antes de chegarmos na cidade Gobernador Engeniero V. Viraso, teríamos que virar a direita. Eu não sei por que motivo, mas não me dei conta disso e segui reto. Quando estávamos na cidade de San Jose, me dei conta que estávamos errados. Paramos num posto e fomos consultar o mapa impresso (imprescindível), eu fiquei um pouco chateado por termos rodado a mais. Mas, como tudo tem um lado bom, a Débora me lembrou que se não entrássemos naquela cidade, não encontraríamos um lugar para abastecer e comer novamente (já era mais de meio dia). Aproveitamos para um lanche e, claro, hidratação. Fazia muito calor, as retas eram longas e o sol castigava.
Voltamos um 10 kms e viramos a esquerda como deveríamos ter feito antes. Mas enfim, estávamos de estômago cheio e com água para hidratação. A estrada era muito boa, era a Ruta 120, grandes fazendas ao longo da rodovia, com retas enormes, porém, sem acostamento.
A vantagem de fazermos este caminho, é que não passamos por Posadas, uma cidade grande, e que, na minha opinião, podendo fugir dos grandes centros, é sempre bom. Estamos com motos pesadas e largas, andar pelo trânsito de grandes cidades é sempre uma aventura. Agradeço ao Diego pela dica, valeu muito.
Depois da Ruta 120, viramos a direita na Ruta 12. Ela nos levaria até o nosso destino daquele dia. A cidade de Corrientes. Já na entrada da cidade, uma coisa me chamou a atenção. Um pequeno bosque à beira da estrada, uma placa sinalizando que ali era um camping. E, várias pessoas sentadas à sombra, tomando mate e conversando. Este tipo de local seria comum no decorrer dos dias que ficamos na Argentina. O argentino viaja muito, e era época de férias escolares lá. Foi bastante comum ver o povo sentado às margens da rodovia descansando ou fazendo um pic nic durante a viagem.
Nesta rodovia, passamos às margens do Rio Paraná, bastante grande, imponente, e emanando uma umidade gigante. Pensa num lugar quente. Era uma prévia do que nos aguardava no dia seguinte.
Durante este percurso, fomos ultrapassados por um grande grupo de motociclistas brasileiros. Acredito que eram umas 7 motos. Na entrada da cidade de Ita Ibate, o grupo estava parado na sombra, junto com mais dois carros. Nos cruzaríamos várias vezes durante a viagem. Em Ita, não tem posto na beira da estrada, então entramos na cidade e uns 3 kms para frente encontramos um posto. A entrada da cidade é bem bonita, com árvores ao longo da rua.

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0044_zpsv4azb0ar.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0044_zpsv4azb0ar.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0036_zpsicnyjexv.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0036_zpsicnyjexv.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0037_zpspi58gpge.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0037_zpspi58gpge.jpg.html)

Voltamos para o calor infernal e para as grandes retas. E praticamente às margens do Rio Paraná. O calor continuava castigando.
Felizmente já nos aproximávamos de Corrientes. Chegamos na cidade e já de cara entramos na famosa avenida que dá acesso à ponte para Resistencia. Eu explico: Muitos motociclistas relatam que a policia caminera fica de tocaia nesta avenida, chamada de Avenida Independencia, que depois muda de nome. Nesta avenida, segundo a policia, não é permitido o tráfego de motos na pista central, apenas na marginal, ou, como eles chamam, avenida coletora. Quando o motociclista chega na cabeceira da ponte, eles param e começa a ladainha. Dizem que vão multar em 1.000 pesos argentinos, etc, etc. Depois, acertam um valor "por fora" para liberar os motociclistas.
Não iríamos passar a ponte naquele dia, mas fiquei atento, assim que acessamos a avenida, já peguei a avenida coletora à direita. Andamos alguns quarteirões e vi uma viatura da policia, digamos, meio escondida. Eu acredito que aquele lá, é o delator. Passa um rádio pros parceiros da ponte e daí a confusão começa.
Paramos num posto para abastecer antes de irmos para o hotel. Conversei com os frentistas que confirmaram a prática e falaram para andarmos pela via coletora. Mas eu tinha um mapa e uma tática para usar no dia seguinte.
Fomos para o hotel que já estava reservado, bem na frente da praça Plaza Cabral. Com uma bela igreja. Estava muito, mas muito quente, acredito que uns 35° com sensação térmica de 50º.
O hotel era meio "Old School", o elevador tinha aquela grade para abrir e fechar. Pensa na cena.
Aquele grupo do Paraná, chegou logo em seguida e ficaram no mesmo hotel que nós. Neste mesmo hotel estavam mais 3 brasileiros. Um deles se chama Rogério Benvindo, temos um amigo em comum, e quando ele viu o adesivo do meu blog, já perguntou para o Alencar de mim. Foi engraçado, ser procurado na Argentina, o mundo é mesmo uma aldeia. Naquele dia não falei com ele. Somente em Salta nos conhecemos pessoalmente.
Saimos para jantar e cama. O próximo dia seria a primeira provação. A Pampa Del Infierno, a ponte de Corrientes, as borboletas assassinas, o calor, etc...
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0049_zpsgw9dz6db.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0049_zpsgw9dz6db.jpg.html)

"Relato extraído do Blog - www.insetonocapacete.com"
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: em Maio 17, 2015, 09:28:57 am
Boa, continua assim

tapatalk via WP.
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: edson cunha em Maio 17, 2015, 09:32:33 am
Ótimo relato, e uma bela viagem, qualquer hora dessas chega a minha vez de realizar uma viagem parecida.
  Parabéns        .clap    .clap    .clap
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: jabahandebol em Maio 17, 2015, 09:52:27 am
Valeu Amigo. Vamos ver como se saíram da pegadinha da ponte.
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Patrick em Maio 17, 2015, 09:53:09 am
Aguarde e confie. Amanhã eu conto.


Enviado do meu iPhone usando Tapatalk
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Badal em Maio 18, 2015, 07:33:38 am
Por acaso o hotel com a porta do elevador com aquela grade de abrir e fechar seria o Hotel San Martin? Se era, também ficamos lá em março/15, onde encontramos um grupo de Minas Gerais.
Pelo jeito todos os brasileiros ficam neste hotel.... kkkkk;
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Patrick em Maio 18, 2015, 09:14:35 am
Por acaso o hotel com a porta do elevador com aquela grade de abrir e fechar seria o Hotel San Martin? Se era, também ficamos lá em março/15, onde encontramos um grupo de Minas Gerais.
Pelo jeito todos os brasileiros ficam neste hotel.... kkkkk;

BINGO!!

Esse mesmo... uauauau.
Engraçado também é na recepção a caixa de disjuntores. Se não quiser ar condicionado, eles desligam o disjuntor. Impossível, aquela cidade é quente demais... hehehehe
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Patrick em Maio 18, 2015, 12:33:44 pm
Dia 03 - Corrientes x Salta - 822 kms
Olá galera, vamos para mais um dia de relato de viagem. Tem muita coisa pra contar ainda... Está só começando.
Corrientes é uma cidade bastante quente, acordamos antes das 07:00 e a temperatura já estava na casa dos 30º. Já tinha muita gente no saguão do hotel esperando o café da manhã. O grupo de Toledo estava lá, e já era o bastante para encher o salão do café. Fizemos nosso "desayuno", que diga-se de passagem, lá naquele hotel era bem bom. Não tinha apenas media Lunas. Tinha pão, queijo, presunto, frutas, iogurtes, etc.
Partimos por volta das 07:30, seria um dia desafiador, por vários aspectos. O primeiro era passar pela famosa ponte que liga Corrientes a Resistencia sem ter que pagar nenhuma propina. Aquele local é muito conhecido pelos motociclistas, pois na avenida que liga à ponte, há uma pista expressa e a marginal. Os policiais cuidam os motociclistas desavisados que trafegam pela via expressa e abordam quando acessam a ponte. Não sei até que ponto realmente é proibido, só sei que lá a prática é comum de extorsão de dinheiro em troca de não multar as motos. Isto estava me preocupando bastante, não acho justo esse tipo de ação.
Mas vamos lá, vi na comunidade Viagem de Moto América do Sul, um mapa com um esquema para despistar os camineros. O esquema consiste em, antes de chegar na ponte, rumar para a Avenida General Costanera, que vai pela margem do Rio Paraná, por ela, se tem um acesso para a ponte onde se passa por trás do posto policial. E assim fizemos, saímos do hotel pela Avenida Santa fé, pegamos a General Costanera e, quando se está praticamente embaixo da ponte, há um semáforo, nele é só virar a esquerda e pegar uma alça que dá acesso para a ponte, passando por trás do posto de controle. Eu fiz um vídeo, mas preciso editar, pois passei falando algumas palavras de baixo calão que não devem ser ouvidos. Era o meu grito de vitória. Prometo editar o vídeo e postar para vocês. Acho que pode ajudar muita gente.
Pegamos a ponte General Belgrano, que liga as cidades de Corrientes a Resistencia, uma ponte imponente, me parece bastante antiga também. E que passa por cima do grande Rio Paraná. Não sei dizer quantos metros tem de vão, mas é grande. Isso pode ter certeza.
Em Resistencia, a Ruta 16 é duplicada, por um longo trecho. E tem também várias obras no seu percurso. Muitos desvios confusos, trevos não sinalizados, etc. Num deles até ouvi umas buzinadas atrás de nós. Não sei ao certo o que aconteceu.
O calor prometia, já passava dos 30º e não eram nem 9 da manhã. Paramos Presidencia Roque Saenz Peña. Presidencia é uma cidade grande, muita gente que conheço quando vai para aquela região opta por dormir lá. Tem boas opções por lá. A entrada da cidade está cheia de obras, encontramos um posto YPF do lado esquerdo da rodovia, fomos lá aos trancos e barrancos, havia grandes filas. Um menino estava hipnotizado pela moto. Engraçado, ele nem sabia falar direito, mas não tirava os olhos da moto. O Pai dele o trouxe para perto das motos e eu convidei ele a colocar o filho sobre a nossa moto. O menino era só alegria.
Em seguida, já estávamos na famosa e temida Pampa Del Infierno, não sei a razão deste nome, mas, posso afirmar que faz jus a ele. Pois é muito quente naquele lugar. Ali começavam os intervalos de trechos com asfalto muito bom, trechos de obras e trechos praticamente intrafegáveis. Aquele lugar é uma aventura a parte.
Quero fazer um parenteses aqui, antes de entrar na parte da Pampa. Muita gente disse para não irmos por lá, alertando dos problemas com estradas, calor, policia, etc. Mas sabe aquela história que fica o diabinho no lado do ouvido dizendo que você tem que ir lá? Pra ver como é, pra saber como é e pra contar depois como foi? Pois é, o diabinho falou mais alto. E falo para vocês, apesar de ser um trecho com poucas paisagens interessantes, muito calor e péssimo asfalto, foi muito divertido. Vocês verão.
Na parada em Pampa De Los Guanacos, uma coisa inusitada. Víamos várias carroças chegando no posto para abastecer. Curioso não? Eram trabalhadores da comunidade Menonita da cidade. Eles não usam carros, energia elétrica e não tem muito contato com pessoas que não são pertencentes à comunidade. Eles vinham com suas carroças encher alguns galões para usarem nas máquinas agrícolas. Pelo caminho, vimos vários homens trabalhando, todos vestindo aquelas jardineiras, camisas sociais e grandes chapéus de palha.
O trecho se torna monótono, pois são grandes retas sem fim, sem acostamento e sem nada para ver. Mas como a gente faz o lugar ficar divertido, num trecho haviam aberto o acostamento, estava só na terra, ali eu vi diversão. Saí do asfalto e rumei pra terra, levantei uma poeira só. O Gilmar vinha logo atrás e levou um susto, achou que tínhamos caído ou coisa assim. Depois o Alencar também topou participar da brincadeira. Sem contar a infinidade de insetos. Enxames de borboletas pra todo o lado, acho que atropelei umas 700. Sem contar no pombo que se desintegrou no protetor de mão. Foi um monte de penas pro ar, coitado do bichinho.

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/IMG_0647_zpsjkuncmyh.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/IMG_0647_zpsjkuncmyh.jpg.html)
Como o calor era muito forte (máxima de 41º), não conseguia deixar minha viseira fechada. Graças ao defletor que coloquei, isso era possível sem criar muita turbulência. E para esta viagem, comprei um óculos de proteção. Aquele de operário. Porém, nem mesmo o óculos foi capaz de parar um mosquito kamikaze que acertou o meu óculos e não sei como, entrou no meu olho pela parte de cima do óculos. Meu olho ficou muito irritado, tentei limpar e amenizou, porém, não ficou 100%. Fui um tempo com um olho fechado e com velocidade reduzida, até a ardência diminuir.

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/IMG_0627_zpsdop8pg4x.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/IMG_0627_zpsdop8pg4x.jpg.html)
A nossa próxima parada foi em Taco Pozo, Estava ventando muito, e até que encontramos um posto bastante bom para aquela região. Estava ventando muito, levantava muita terra, tava bem difícil. Estava muito quente também. Lá repus a água da mochila de hidratação e comi umas guloseimas. Neste local, dois homens vieram conversar conosco. Perguntaram se éramos do Dakar, foi a primeira de muitas vezes que perguntaram isso pra gente. Imagina! Eles nos contaram uma história da equipe russa que participou do rally, e que encontrou numa estrada, o fantasma de "La Llorona", uma história de um fantasma de branco que vaga pela região de Salta. Segundo eles, a equipe ficou tão assustada com o ocorrido, que desistiram do Rally e voltaram pra casa. Confere aí o video da suposta chorona.
https://youtu.be/AWImG2UJF10

Estávamos quase no final da Pampa, paramos em Joaquin V. González. Uma confusão no YPF, várias motos, carros na fila para abastecer. Mas, acho que os argentinos colocam pouca gasolina, porque em menos de 5 min já estavam abastecendo as nossas motos.
Lá, 4 meninos nos pediram dinheiro pra comprar uma "Gaseosa" (Refrigerante). E um deles pediu para a Sara pra comprar biscoito. Eu não quis dar dinheiro para eles. Então, entrei na conveniência, e pelo vidro, eles escolheram o que queriam e eu comprei. Tentei guardar os nomes dos meninos na memória, mas não consegui. Mas lembro que falamos de futebol, e no fim, eles disseram que o Neymar é o melhor do mundo. E não o Messi. Mas uma coisa que argentino não admite é que o Pelé é o melhor de todos os tempos. Para eles, Maradona impera.
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/IMG_0629_zps3kl5j7qe.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/IMG_0629_zps3kl5j7qe.jpg.html)
 Fila pra Nafta
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/IMG_0628_zps1lhnzbnl.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/IMG_0628_zps1lhnzbnl.jpg.html)
Nossos amigos Argentinos
Depois dessa parada, a paisagem começa a mudar. As longas planícies começam a se transformar em grandes montanhas verdes. Nesta parte do dia, eu tava ficando nervoso, pois eu olhava para a minha direita e tinha muitas nuvens carregadas já despejando chuva pesada e raios para todos os lados. Era um olho nas nuvens e outro no GPS para ver pra que lado íamos. Logo depois, acaba a RUTA 16 e viramos a direita na RUTA 34, e o temporal na nossa direita. Fomos contornando aquele mal tempo todo, graças a Deus.
Depois da RUTA 34, pegamos a esquerda na RUTA 9 que dá acesso a Salta. É uma pista dupla muito boa com limite de velocidade de 110 Km/h. Seguimos por ela, subindo um pouco e vendo as placas indicando Salta, Santo Antonio de Los Cobres e o famoso Paso Sico. Os dois últimos ficam pra próxima.
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0058_zpsjvvcuh97.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0058_zpsjvvcuh97.jpg.html)
Ruta 34
Chegamos em Salta, La Linda!!! Subimos um pouco e demos de cara com a cidade lá embaixo. Para mim, foi muito emocionante, era o primeiro local que eu sonhava em conhecer. E estávamos lá. Não contive as lágrimas, a Sara me abraçou e também chorou, estávamos muito felizes em estar lá.
Mas, lá um pequeno susto. Minha moto vinha apresentando dificuldade em ligar desde que saímos de Blumenau, eu achava que não era nada. Mas, quando fomos sair do mirante de Salta, dei a partida e o painel da moto piscou. Fiquei bastante apreensivo, porém, aliviado em estar numa cidade tão grande, lá seria menos difícil de encontrar uma bateria do que em Susques ou até mesmo San Pedro.
Fomos para o Hostal Yatasto, do nosso agora amigo Hector Penno. um Portenho, que já morou em São Paulo e que vive há 10 anos em Salta. Hector é casado com uma brasileira também. Seu hostel tem boa localização e boas acomodações. Sem contar que o Hector é aventureiro nato. Anda de 4x4, realiza e organiza expedições pela Argentina, etc. Nos sentimos em casa, fora de casa.
Ah, o Hector também faz câmbio! Tem lavanderia no hotel e ele dá todo suporte que se possa precisar.
Em Salta ficaríamos duas noites, era hora de dar uma ajeitada nas roupas, recuperar o corpo, afinal, foram 2 dias bastante difíceis, com altas quilometragens e muito calor. Mas o dia do Chaco, não foi um "Xaco", teve os menonitas, a lenda da chorona, os meninos, o semi Off-Road, enfim. Superamos o primeiro grande obstáculo da viagem. Estávamos muito felizes em estarmos em Salta.
Mas a viagem estava só começando, muito veríamos...
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0080_zpsbamos5b5.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0080_zpsbamos5b5.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0073_zps8j5xxjou.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0073_zps8j5xxjou.jpg.html)

"Relato extraído do Blog - www.insetonocapacete.com"
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Kabeça em Maio 18, 2015, 03:09:16 pm
 :cheguei
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: jabahandebol em Maio 19, 2015, 07:47:59 am
Morei muito tempo em Santa Catarina, sempre no Oeste, Concórdia e principalmente Chapecó. Sempre fazia umas 5 viagens por ano entre Chapecó e Itaunas-ES, sempre numa Ténéré 91 das antigas. Estava me lembrando quando li o primeiro dia de relato, vcs rodando ai no Oeste. Show de viagem e relato melhor ainda. Parabéns.
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Patrick em Maio 19, 2015, 10:25:02 am
Eu vou muito ao oeste (inclusive estou em Chapecó agora) e gosto muito daqui. Pretendo fazer pequenas viagens a fim de conhecer melhor esta região. É muito bonita.


Enviado do meu iPhone usando Tapatalk
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: fck em Maio 19, 2015, 01:27:50 pm
Acabei de ler tudo, google maps ligado e viajando junto de verdade. Coisa boa.

Parabéns Patrick, muito  bom relato.. :thumleft:


Estou de olho, pretendo fazer essa em breve.
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Resmungão em Maio 20, 2015, 12:37:41 am
 :cheguei   .clap .clap
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: André Latau em Maio 20, 2015, 02:01:03 am
 .clap .clap .clap

Show de Bola o relato! Parabéns
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Patrick em Maio 20, 2015, 02:20:55 am
Valeu galera, que bom que estão gostando. Hoje a noite posto mais um dia de viagem.


Enviado do meu iPhone usando Tapatalk
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Gomes em Maio 20, 2015, 10:18:11 am
 :cheguei
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Patrick em Maio 20, 2015, 11:09:51 am
Dia 04 - Salta - 0 Kms
Olá galera, no quarto dia da nossa viagem, não rodamos com as motos. Optamos por ficar em Salta, uma para aproveitar um pouco da cidade e outra para dar uma recuperada no corpo. Foram dois dias bastante intensos, então, todos precisavam deste pequeno repouso.
Salta é uma cidade muito bonita, tem mais de 700.000 habitantes, isso me espantou, não imaginava ter uma cidade tão grande no norte da Argentina.
Na manhã deste dia, a Sara e a Débora aproveitaram as comodidades do Hotel Yatasto para lavar as nossas roupas. Fui até uma mercearia na esquina da rua do hotel e comprei um sabão em pó líquido. Aproveitei para comprar folhas de Coca, já queria me prevenir do mal da montanha nos dias seguintes. Estava um dia bastante quente, propicio para secar nossas roupas. Sem contar nos equipamentos de andar de moto, que já estavam exalando alguns cheiros estranhos.
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/IMG_5132_zpsybgqzhzm.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/IMG_5132_zpsybgqzhzm.jpg.html)
Folhas de Coca
Acordamos logo cedo e, eu estava preocupado com a bateria da minha moto que dava sinais de fadiga. Pesquisei na internet e encontrei o endereço da concessionária YAMAHA de Salta. Mesmo assim, queria uma segunda opção, falei com o Hector que me deu o endereço de outro mecânico de motos da cidade. Porém, eu queria ir logo as 08:00, mas, em Salta, o comércio só abre depois das 09:00. Fecha as 13:00 e reabre as 17:00, fechando por volta das 21:00. Estranho para nós estes horários diferentes do que estamos acostumados. Portanto, o negócio era esperar.
O Gilmar e o Alencar iam depois me encontrar na Yamaha, deixei o endereço da loja e parti antes deles. Eles estavam arrumando roupas, equipamentos, etc. Eu quis ganhar tempo no conserto da minha moto.
O trânsito de Salta, assim como a maioria das cidades grandes brasileiras, também é um caos. Lá ainda é aliado a motoristas um pouco mais inconsequentes, que não ligam seta, furam sinal vermelho, etc. A loja da Yamaha ficava a uns 5 quilômetros do hotel, e lá fui eu em busca da bateria nova.
No caminho, aconteceu uma coisa curiosa, estava parado num semáforo, e um carro parou do meu lado. Era um argentino querendo saber se eu era brasileiro, para onde estava indo. Conversei rapidamente com ele, e ele me perguntou se eu estava gostando de Salta e se estava sendo bem tratado na cidade dele. Falei para ele que era de Blumenau, uma cidade próxima à Balneário Camboriú, e ele logo abriu um sorrisão. Os argentinos adoram as praias catarinenses.
Essa rixa de brasileiros com argentinos não deveria existir. Eles recebem os brasileiros muito bem. Nós mesmo, não temos nada a reclamar do povo argentino. Em todos os lugares que fomos, as pessoas foram muito simpáticas e solícitas.
Mas voltemos ao meu problema elétrico. Cheguei na concessionária Yamaha, uma loja muito bonita por sinal, depois fui nos fundos onde havia a sessão de peças e oficina. Conversei com uma atendente e falei que precisava da bateria para a minha moto. Eu tinha o código da bateria original, passei a ela, porém, naquela Yamaha, não havia baterias da marca YUASA, não queria correr risco, então, queria a mesma bateria que equipa a moto de fábrica. Ela só tinha uma marca que nunca ouvi falar na minha vida. Se não me engano era MOTORBAT. Não quis arriscar. Perguntei à atendente se ela conhecia alguma loja que talvez teria a bateria. Ela me falou de uma loja que só vendia YUASA, pedi que ligasse para lá para ver se havia lá a bateria. Ela ligou e disseram que só conseguiam para o dia seguinte. Nós não tínhamos este tempo. A preocupação batia à porta. Saí da loja e disse a ela que voltaria mais tarde. Não comentei com ela, mas só voltaria se não encontrasse a bateria em outro lugar, daí o jeito era usar a marca que ela tinha mesmo.
Coloquei no GPS para ir até a loja que o Hector havia me indicado. Porém, uns 200 metros depois de sair da Yamaha, passei numa loja que se chama Destino 2 Rodas, e na calçada, havia uma Super Ténéré preta. Não parecia ser de cliente, pois estava em cima da calçada. resolvi parar e dar uma olhada na loja. Era uma loja bem bacana, vendia capacetes conceituados, acessórios, peças, etc. Falei com o balconista que ficou um pouco perdido, daí chamou o dono da moto que estava na calçada e proprietário da loja. Ele verificou no estoque e havia uma YUASA que aparentemente era igual à minha, porém, tinha 2 Ampéres a mais que a original da moto. Verificamos se era o mesmo tamanho, e era. Pronto, tinha resolvido meu problema. Perguntei o preço: $3.500 pesos argentinos. E também perguntei em dólar, ele me falou mas não me lembro quanto era. Eu devia ter pago em dólar, mas como estávamos no início da viagem, fiquei receoso de faltar dinheiro adiante, então paguei no cartão de crédito. A bateria saiu caro quando chegou a fatura do cartão. Mas tudo bem, melhor ter trocado num lugar que tinha estrutura pra resolver o meu problema, do que ficar sem bateria lá em San Pedro de Atacama ou em algum lugar que não haveria assistência.
Quando saio da loja, dou de cara com o Gilmar e o Alencar, eles foram na Yamaha, não me encontraram e estavam procurando um lugar pra lavar as motos. Levaram um susto quando me viram. E ao mesmo tempo ficaram aliviados, pois eles não tinham salvo o endereço do hotel e não sabiam como voltar, hahahaha. Encontramos uma lavação de acordo com o que o Gilmar e o Alencar estavam procurando e ficamos lá, esperando para lavar as motos. Nisso, conversamos com aqueles 3 brasileiros que estavam lá em Corrientes, vindo de São José do Rio Preto. Eles nos contaram que sairam de Corrientes depois das 10:00, pegaram 47º no Chaco e depois chuva. Aquela mesma chuva que conseguimos fugir dela no dia anterior. Nessas horas que o planejamento em sair cedo para pegar a estrada é fundamental. Nós saímos antes, pegamos máxima de 41º, esses 6 graus de diferença fazem toda a diferença no que diz respeito a desgaste físico. Os brasileiros estavam procurando pneus para as motos deles. E estavam assustados com os preços. As lojas lá, todas tem ANAKEE 2, pneu excelente e que parou de ser fabricado. No Brasil, é uma peça rara de ver sem lojas, lá tem em tudo quanto é loja, porém, o preço é absurdo. Um pneu traseiro medida 150, custa quase o equivalente a R$1.000,00, se para nós brasileiros já é caro, imagino para os argentinos.
Depois das motos limpas, voltamos para o Hotel, por aquele trânsito maluco de Salta, até entramos num corredor de ônibus sem querer, mas fomos alertados por um motociclista argentino e saímos rapidinho.
Fomos almoçar num restaurante muito legal próximo ao hotel, se chama "EL CHARRUA", um lugar com fachada histórica, seu interior cheio de peças de colecionador, como placas, garrafas, objetos, etc. Uma volta no tempo literalmente. O restaurante servia pratos requintados e saborosos. Eu comi um entrecorte delicioso. E os preços não eram absurdos, comemos bem e barato.
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0081_zpsaum9ofgs.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0081_zpsaum9ofgs.jpg.html)
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0086_zpstvtnm2qf.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0086_zpstvtnm2qf.jpg.html)

Restaurante El Charrua
De lá fomos explorar a cidade. Seguimos a pé pelas ruas da cidade, todas cheias de grandes prédios com suas fachadas antigas, mas bastante conservadas. São ruas estreitas com muitos prédios, e neles vários comércios, etc.
Fomos a pé até o Parque San Martin, de lá, pegamos o teleférico que leva até o Cerro San Bernardo. É um teleférico bastante extenso, que leva até um dos pontos mais altos de Salta. O teleférico é bastante grande, e seguro. Foi feito nos anos 60 se não em engano, e é de uma empresa suíça. Lá de cima, dá pra se ter uma ideia do tamanho da cidade. E o que é curioso, é que a região de Salta é montanhosa, porém, a cidade está encravada numa grande planície em meio a tantas montanhas. Não se vê nenhum morro entre a cidade, apenas envolvendo toda aquela imensidão urbana.
O Parque San Bernardo é muito bonito, tem cascatas artificiais, mirantes, lojas de artesanato e até mesmo aluguel de bicicleta se você quiser descer o cerro de bike.
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0091_zpspsqnkrii.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0091_zpspsqnkrii.jpg.html)
 Teleférico Cerro San Bernardo
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0109_zps1ppkzhym.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0109_zps1ppkzhym.jpg.html)
 Vista da cidade de Salta

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0110_zpsgiwhqono.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0110_zpsgiwhqono.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0121_zps1f5hgm7y.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0121_zps1f5hgm7y.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0141_zpsn6m6bsy1.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0141_zpsn6m6bsy1.jpg.html)


(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0124_zpsi4ldlb6v.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0124_zpsi4ldlb6v.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0143_zpsngctcfwl.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0143_zpsngctcfwl.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0148_zpssshfj62l.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0148_zpssshfj62l.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0149_zpsrhlrtkcc.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0149_zpsrhlrtkcc.jpg.html)

Voltamos ao parque San Martin e fomos passear numa feirinha que havia lá. Uma espécie de camelô, que vendia todo tipo de coisa. De DVD com música do Enrique Iglesias, a artesanatos em couro, cerâmica, cobre, etc. Lá já começamos as nossas compras. E também já compramos as balas de coca. Lá nesta feirinha, mais uma vez constatamos a receptividade dos argentinos conosco. Conversamos alegremente com um senhor, que estava ali para vender alguns produtos. Um legítimo caixeiro viajante. Era da cidade de Tucumán, conversamos bastante, damos risada, foi muito legal esse envolvimento com o povo local.
Estávamos voltando para o centro, em direção à catedral, quando, na frente de um hotel vimos uma moto brasileira. Fui conferir a placa da moto, era de Foz do Iguaçu, eram o Flávio e a Cris, que eu não via a muito tempo. Foi super legal encontrar os amigos, eles estavam retornando da viagem deles, passaram por vários lugares legais, alguns OFFs e estavam indo para suas casas. Esse mundo é mesmo uma aldeia, olha só, encontrar amigos lá na Argentina.
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/10403000_626985967435117_3595383319463812006_n_zpsbau3yy5i.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/10403000_626985967435117_3595383319463812006_n_zpsbau3yy5i.jpg.html)
Flávio e Cris, encontro inusitado em Salta
Voltamos para o hotel pois o tempo ameaçava chover, e nossas roupas estavam estendidas ainda. Depois voltamos para conhecer a catedral basilica de Salta. Nossa, esse momento foi bastante emocionante. A catedral de Salta é simplesmente deslumbrante. Tem um altar com aproximadamente 5 metros de altura, todo em ouro, uma coisa incrível. Também tem um mausoléu com os restos mortais de vários mártires de guerra argentinos. Eu contei mais de 10 urnas expostas naquele local. Era hora de agradecer por estar ali. E pedir proteção para tudo que ainda estava por vir.
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/IMG_5199_zpsjc9xwqfx.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/IMG_5199_zpsjc9xwqfx.jpg.html)
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/IMG_5172_zpss2a2p35c.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/IMG_5172_zpss2a2p35c.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/IMG_5168_zpsatt4ujdm.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/IMG_5168_zpsatt4ujdm.jpg.html)
 Hora de agradecer e pedir proteção



Na saída da igreja, encontramos o Flávio e a Cris novamente, jantamos juntos no Hotel Salta. Na volta para o nosso hotel, fomos tomar um delicioso sorvete para refrescar.
Salta deixou um gosto de quero mais. O Hector me disse que o norte da Argentina é mais bonito que o Chile. Eu fiquei com muita vontade de voltar para aquela região. Falta explorar mais Salta, conhecer Cafayate, Tilcara, Maimará, Santo Antonio de Los Cobres, etc. Espero poder voltar em breve.
Era hora de nos despedir dos nossos amigos e ir pra cama, o dia seguinte seria a pré-cordilheira, fortes emoções estavam por vir.

"Relato Extraído do Blog - www.insetonocapacete.com"
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Resmungão em Maio 21, 2015, 04:23:26 am
Bah, que coisa de coxinha  kkkkk; kkkkk; kkkkk;  Lavar a moto no 4° dia de viagem  :hãaaa :hãaaa :hãaaa

Viajando junto  :cheers:
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: edwardfc em Maio 21, 2015, 04:45:28 am

 .clap .clap .clap .clap .clap .clap

 viajando junto.. :salut:
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: fck em Maio 21, 2015, 05:01:28 am
Pensei o mesmo Resmunga... :sacana kkk

Animei tanto com esse tópico que me dei conta que larguei o meu tópico da última viagem que fiz.. vou caçar as fotos e terminar ele.

Obrigado por compartilhar Patrick e servir de exemplo. Acredito mesmo que esse tipo de tópico é um dos pontos altos do FOL!!
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: jabahandebol em Maio 21, 2015, 05:19:14 am
Agora que já passou o dia descansando, vamos rodar.
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: em Maio 21, 2015, 09:48:12 am
Trouxe coca?
Que coxinha mesmo lavar a moto no segundo dia

tapatalk via WP.
Título: Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Patrick em Maio 21, 2015, 10:02:42 am
 Resumungao e fecker. Eu pensei a mesma coisa. Kkkk. Eu não lavei a minha, só quando cheguei em blumenau.
O próximo dia foi muito legal. La corniza, costa do lipan, purmamarca, salina grandes, etc.


Enviado do meu iPhone usando Tapatalk
Título: Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Patrick em Maio 21, 2015, 10:03:28 am
Zo, só trouxe chá. Fiquei receoso na aduana chilena e joguei fora.


Enviado do meu iPhone usando Tapatalk
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Resmungão em Maio 21, 2015, 12:49:58 pm
Gostei da ideia para  meu novo nick: Resumungao kkkkk
Título: Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Patrick em Maio 21, 2015, 01:37:07 pm
Hahahaha. Isso que dá dirigir e querer escrever.


Enviado do meu iPhone usando Tapatalk
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: shimada em Maio 22, 2015, 05:01:19 am
Bela viagem e ralatos, preguiça de jogar aqui no google mas quanto dá em reales _3,500 pesos Patrício?
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Patrick em Maio 22, 2015, 07:10:56 am
Bela viagem e ralatos, preguiça de jogar aqui no google mas quanto dá em reales _3,500 pesos Patrício?

Shimada, no cambio paralelo, dava 875 reais aproximadamente. No cartão, deu 1.300,00 reais... affff
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: shimada em Maio 22, 2015, 08:47:21 am
Mamãezinha :O
Mas nessa situação não tem muito o que fazer...tranco em ST que não pode hehe.
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Patrick em Maio 22, 2015, 08:52:42 am
Mamãezinha :O
Mas nessa situação não tem muito o que fazer...tranco em ST que não pode hehe.

Verdade, levando em conta que iriamos para cidades mais remotas, pensei que era mais prudente fazer isso mesmo. Eu até tinha dinheiro pra pagar comigo, mas como a viagem estava apenas começando, fiquei com medo de precisar mais pra frente..
Mas no fim deu tudo certo... GO GO GO
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Patrick em Maio 24, 2015, 04:38:05 am
Dia 05 - Salta x Susques - 277 kms
Este foi, sem dúvidas, um dos dias mais emocionantes da nossa viagem. Tamanhas as belezas que nos deparamos pelo caminho que nos aguardava. Nos despedimos do Hector e do conforto do Hotel Yatasto e saímos por volta das 08:00. O trecho do dia era curto, apenas 277 kms, porém, como já tinha falado com amigos e lido alguns relatos, é um trecho muito bonito. Nas minhas pesquisas também li sobre alguns viajantes que saíram de Salta, e foram até San Pedro de Atacama no mesmo dia. E na maioria, se deram mal. Eu explico: Até San Pedro, são aproximadamente 600 kms, até aí, tudo bem. Dá pra fazer num dia. Porém, pra fazer isso, é necessário passar batido pelas belezas naturais do caminho. Alguns relatos que eu li, os caras ficaram na estrada a noite, o que é muito perigoso na cordilheira. A temperatura despenca para abaixo de zero, e pode acabar muito mal. Vendo isso, resolvi "quebrar" este percurso em dois dias. Parando para dormir em Susques, a última cidade (se é que dá pra chamar assim) do lado Argentino.
De Salta para Purmamarca é possível ir por dois caminhos. Voltar para a RUTA 34 que passamos no dia anterior e pegar a RUTA 66. Ou, continuar na RUTA 9. E este sim é o caminho mais legal para quem vai de moto principalmente. Este trecho da Ruta 9, é chamado de "La Cornisa". Depois que saímos do hotel, paramos para abastecer na saída da estrada e logo estávamos rodando na Ruta 9 novamente. Passamos por La Caldera e de lá, começava a diversão.
Este trecho da Ruta 9, é bastante estreito, acredito que dois carros não passam simultaneamente. É bastante estreito e com longas curvas fechadas. Como precaução, o ideal é buzinar antes das curvas, pois quem vem no sentido contrário, não vê quem está na outra mão.
Na beira da Ruta 9, há um grande rio seco. Acredito que encha apenas no degelo das montanhas. Tem um grande vão totalmente seco. Árido total. Começamos a fazer aquelas curvas todas, em alguns locais, de um lado muita vegetação, do outro, um grande abismo de matas. Todo cuidado era necessário, e claro, velocidade muito reduzida. Também não havia como, era tudo muito bonito naquele trecho. Fizemos algumas paradas para fotos, e em seguida, nos deparamos com a Laguna Campo Alegre, onde também tiramos algumas fotos. Depois da laguna há o dique Campo Alegre.
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0172_zps9xngd8qw.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0172_zps9xngd8qw.jpg.html)
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0178_zpsuamvhmdz.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0178_zpsuamvhmdz.jpg.html)
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0185_zps3cv66zw3.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0185_zps3cv66zw3.jpg.html)
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0187_zpstsnsnevw.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0187_zpstsnsnevw.jpg.html)
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0195_zpsz9vu79lp.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0195_zpsz9vu79lp.jpg.html)
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0196_zpss1yf2gyn.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0196_zpss1yf2gyn.jpg.html)
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0197_zpsnsghnlcf.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0197_zpsnsghnlcf.jpg.html)
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0205_zpsyze0xij8.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0205_zpsyze0xij8.jpg.html)
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0207_zpsuajchuih.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0207_zpsuajchuih.jpg.html)
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0220_zpsanmkyzrk.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0220_zpsanmkyzrk.jpg.html)
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0223_zpsblylpdhi.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0223_zpsblylpdhi.jpg.html)
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0225_zpsmxliy7v1.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0225_zpsmxliy7v1.jpg.html)

Neste trecho, também saímos da província de Salta para a província de San Salvador de Jujuy. Nesta cidade fizemos nossa primeira parada para turistar. San Salvador de Jujuy é uma cidade grande e também a capital da província. Fomos até um centro de informações turísticas, e há muitas coisas para conhecer lá. Mas como se tratava de uma cidade grande e de que não tínhamos como andar com todos aqueles equipamentos, capacetes em mãos. Optamos apenas por uma volta rápida pela cidade e seguirmos adiante.
Na saída da cidade, me confundi numa ponte e erramos o caminho. Cruzamos uma ponte, e, no final dela, eu ia optar por fazer uma "manobra alternativa", virando em cima da cabeceira da ponte. Mas, por algum motivo, resolvi usar o retorno, quando retornamos, me dei conta que havia um policial à sombra da ponte. Ufa! Por sorte evitamos um transtorno com a polícia.
De volta à Ruta 9, próxima parada Salta. Seguimos pela Ruta por mais uns quilômetros, vendo muito verde e também cruzando algumas obras nas estradas.
Mais adiante, saímos da Ruta 9 para pegar a Ruta 52, deu vontade de seguir na Ruta 9, para conhecer Tilcara e Maimará, mas essas cidades ficam para a próxima. O norte da Argentina já deixava saudades.
Na Ruta 52, o deserto começa a mostrar a sua cara, o verde dá lugar às montanhas desérticas, com vegetação típica, mais rasteira e solo bastante árido. Ah, e claro, as cores, são montanhas amareladas, avermelhadas, enfim. Um mix de cores incríveis.
Na entrada de Purmamarca já dá pra ver o famoso Cerro de Las Sete Colores. É uma montanha onde a pequena cidade foi incrustada ao seu redor. O cerro tem um misto de cores incríveis. Eu estava ansioso para chegar lá, pois haviam me dito que o cerro é mais bonito com o sol da manhã que bate nele. Felizmente conseguimos ver ele com todas as suas cores. Paramos para foto e já viramos pela primeira vez celebridades. Uma família argentina estava viajando e parou para contemplar a paisagem e para conversar conosco. Falamos sobre a viagem, sobre a Argentina e foi muito legal. Um dos homens pediu para subir na moto para tirar foto e foi muito divertido. Depois tiramos fotos com todos da família. Ficamos um tempo naquela entrada da cidade para contemplar e clicar aquele lugar incrível. Um casal de amigos havia falado muito daquele lugar, eu estava curioso para conhecer.

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0233_zpsqnh2dnrk.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0233_zpsqnh2dnrk.jpg.html)
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0235_zpsvs3e48qa.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0235_zpsvs3e48qa.jpg.html)
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0234_zpsngzrsfsj.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0234_zpsngzrsfsj.jpg.html)
 Momento celebridade
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0240_zpsjwiuhh1s.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0240_zpsjwiuhh1s.jpg.html)
 Cerro das 7 Colores




(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0242_zps5arj9dcc.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0242_zps5arj9dcc.jpg.html)
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0246_zps1vt5m4nv.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0246_zps1vt5m4nv.jpg.html)
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0252_zpsdnolvknq.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0252_zpsdnolvknq.jpg.html)
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0257_zps0xpkp6ib.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0257_zps0xpkp6ib.jpg.html)
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0261_zpsdqgpzzf1.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0261_zpsdqgpzzf1.jpg.html)
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0264_zpsgbarhhrp.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0264_zpsgbarhhrp.jpg.html)
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0276_zpsynfl36pb.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0276_zpsynfl36pb.jpg.html)

Fomos para a cidadezinha à frente, já na entrada um grande movimento. De carros, ônibus e vans. Era gente de toda parte do mundo. Purmamarca é uma cidade bem pequena, que vive praticamente do turismo. Existem muitas lojas de artesanato, restaurantes e hostels lá. As ruas são de terra, as casas feitas de barro, um visual bastante diferente do que estamos acostumados. Olhamos para o céu e vimos um efeito conhecido como HALO, são pequenos cristais de gelo que se formam nas nuvens formando este aro ao redor do sol.
Na entrada da cidade, um pequeno susto. Um dos baús do Alencar se soltou da moto. Provavelmente não foi preso corretamente em Salta, felizmente não caiu na estrada, o estrago poderia ter sido grande. Mas foi só colocar o baú de volta e seguir.
Paramos as motos ao lado de uma senhora que estava vendendo algo para comer, não dava pra saber o que era, pois ela estava com uma churrasqueira com tampa, só dava pra ver que tinha muita gente esperando pelos quitutes que ela preparava. Descobrimos que se tratava de pizza, ela assava na grelha. Mas antes de comer, fomos às compras. A Sara e eu compramos tocas, casaco de lã para minha sogra, capas de almofadas e mais algumas coisas. A variedade de artesanatos lá era incrível. As vestimentas e tocas feitas de lã de llama são o destaque. Porém, há muitas outras coisas. Eu comprei uma espécie de jogo de xadrez muito bonito. Não sei nem jogar, mas comprei para decorar, uma peça bastante bonita. Lá também compramos uma pomada, parecida com o vick, que se chama Mentisan, nos indicaram para usar em caso de passar mal por causa do mal da montanha.
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0277_zpszkwfbkdo.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0277_zpszkwfbkdo.jpg.html)
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0279_zpsw9xaglpk.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0279_zpsw9xaglpk.jpg.html)
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0282_zpscbi5u5nh.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0282_zpscbi5u5nh.jpg.html)
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0283_zps8gw7gmxd.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0283_zps8gw7gmxd.jpg.html)
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0284_zpswgk0t5tj.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0284_zpswgk0t5tj.jpg.html)
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0296_zpsjkxfn2xy.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0296_zpsjkxfn2xy.jpg.html)
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/IMG_0662_zpsnwtynwml.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/IMG_0662_zpsnwtynwml.jpg.html)
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/IMG_0663_zpsars3q7od.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/IMG_0663_zpsars3q7od.jpg.html)
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/IMG_0664_zpsbs05gglh.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/IMG_0664_zpsbs05gglh.jpg.html)
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/IMG_0665_zpsguwlor7i.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/IMG_0665_zpsguwlor7i.jpg.html)

Voltamos para perto das motos, a fome apertava. Pedimos aquelas pizzas, que custavam 20 pesos se não me engano. Algo em torno de R$4,40. Mas, enquanto comíamos e esperávamos as pizzas, parecíamos celebridade. A cada pouco alguém parava para olhar as motos, perguntar se éramos do Rally Dakar (Vê se pode!), para onde estávamos indo, de onde éramos, etc. Foi muito legal, as crianças queriam ver as motos, tirar fotos, subir, etc. Distribuímos adesivos, conversamos com as pessoas e ficamos muito gratos pelo carinho de todos conosco.

Saímos de Salta por volta das 13:30, voltamos para a estrada, mas não deu nem tempo para começar a esquentar de novo os motores e já estávamos parados novamente. Chegamos nos Cactos gigantes da região. São cactos com 4 ou 5 metros de altura, praticamente uma floresta de cactos no meio daquelas montanhas desérticas. Muito bonito.
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0300_zpskdhfaida.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0300_zpskdhfaida.jpg.html)
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0302_zps71tnyzpl.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0302_zps71tnyzpl.jpg.html)
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0305_zpsadzo9czw.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0305_zpsadzo9czw.jpg.html)
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0306_zpsijy0xsyf.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0306_zpsijy0xsyf.jpg.html)
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0308_zpsoh0ljxao.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0308_zpsoh0ljxao.jpg.html)

Mais adiante, as placas indicavam a "Cuesta Del Lipan", uma espécie de serra do Rio do Rastro, porém, mais extensa, no meio daquele deserto, São curvas e curvas, e a altitude vai aumentando. Purmamarca já está a mais de 2.000 metros, ali na Cuesta, logo se está a 3.000 metros. E continua aumentando.

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0318_zpsahvmxo7g.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0318_zpsahvmxo7g.jpg.html)
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0319_zpstzt3lw8s.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0319_zpstzt3lw8s.jpg.html)
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0313_zpsnpaxxagl.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0313_zpsnpaxxagl.jpg.html)
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0320_zpsjtksh4ry.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0320_zpsjtksh4ry.jpg.html)

Paramos na placa de 4.170 metros, tiramos algumas fotos. Ah, esqueci de contar para vocês. Desde uns dois dias antes, eu já estava com muita tosse. E ali na subida da pré cordilheira, estava bastante forte. E a altitude ajudava a piorar tudo. Lá em cima, até para falar se torna um grande esforço, imagina então pra empurrar a moto para trás. Quando fomos sair, empurrei a moto uns 2 passos para trás, e quando a Sara foi subir, pedi que esperasse um pouco, pois eu estava completamente ofegante.
Continuamos subindo, o altímetro do GPS logo chegou à marca de 4.800 metros sobre o nível do mar. Porém, logo em seguida a descida começa. E, quando estávamos no topo da montanha, a vista é incrível, era o primeiro contato com a Salina Grande. O Deserto de sal lá no alto da cordilheira. Foi de arrepiar, tantas vezes vi fotos, relatos e sonhei estar ali, agora era a minha vez. Nossa, que sensação boa. A salina parecia próxima, porém, ainda estava distante, eram muitas curvas ao longo da montanha, porém, com aquele visual incrível, nem me dei conta que estávamos longe.
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0322_zpslcpyjdv5.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0322_zpslcpyjdv5.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0323_zpsfyz2gklj.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0323_zpsfyz2gklj.jpg.html)
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0324_zpsdp2osd9v.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0324_zpsdp2osd9v.jpg.html)
Chegamos na salina, e para nossa surpresa, em cima do sal, havia água. Havia chovido na noite anterior, e com aquela água em cima do salar, o visual fica ainda mais bonito. O céu se confunde com o chão, propiciando belas fotos. Muitos turistas tomavam banho naquela água que estava morna. Disseram para nós que aquelas águas com sal eram boas para cicatrização, etc.
Antes de irmos embora do salar, paramos numa casinha, onde dois meninos cuidavam de duas llamas, nos cobraram 10 pesos para tirarmos foto das llamas. Eu dei 10 para cada menino, me deu pena de vê-los ali, todos  bastante queimados do sol e do reflexo que ele faz no chão. Fiz um vídeo comendo salgadinho temperado com sal da salina, a pedido do meu amigo Ronan.
Depois, segui a dica do Hector, passei pela parte onde estavam os turistas, passei a área onde os caminhões extraem sal e encontrei um local que dava para entrar de moto no salar. A Sara desceu da moto e eu fui pra dentro do salar dar uma voltinha. Foi muito legal, espero editar logo os videos para poder mostrar para vocês. A Sara tirou várias fotos.
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0327_zpsss58b73o.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0327_zpsss58b73o.jpg.html)
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0331_zpse2jmafbl.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0331_zpse2jmafbl.jpg.html)
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0335_zpswciudw8s.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0335_zpswciudw8s.jpg.html)
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0339_zpsphlaafya.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0339_zpsphlaafya.jpg.html)
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0340_zpsgr7usguo.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0340_zpsgr7usguo.jpg.html)
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0341_zpsp936dxkz.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0341_zpsp936dxkz.jpg.html)
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0343_zpsikuqc8us.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0343_zpsikuqc8us.jpg.html)
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0345_zpsv99xyyav.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0345_zpsv99xyyav.jpg.html)
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0355_zps5cnj2dgq.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0355_zps5cnj2dgq.jpg.html)
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0363_zpsmlpkxero.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0363_zpsmlpkxero.jpg.html)
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0370_zpslbi0xana.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0370_zpslbi0xana.jpg.html)
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0372_zpsshwkrxx8.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0372_zpsshwkrxx8.jpg.html)
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0378_zpsobfnemhe.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0378_zpsobfnemhe.jpg.html)
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0380_zpspjh25a4w.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0380_zpspjh25a4w.jpg.html)
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0387_zpsscc4sf08.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0387_zpsscc4sf08.jpg.html)
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0388_zpso4ykxef3.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0388_zpso4ykxef3.jpg.html)
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0410_zpsnubtk1jm.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0410_zpsnubtk1jm.jpg.html)
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0416_zpsjwmqic1u.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0416_zpsjwmqic1u.jpg.html)
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0417_zpsuumostmd.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0417_zpsuumostmd.jpg.html)
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0438_zpsj6nwqijy.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0438_zpsj6nwqijy.jpg.html)
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0441_zpso9rb86og.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0441_zpso9rb86og.jpg.html)
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0448_zps6jvyqfdt.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0448_zps6jvyqfdt.jpg.html)
O mal tempo se aproximava novamente, nuvens bastante carregadas se aproximavam, com raios e muita chuva nelas. Era hora de apertar o passo para evitar aquela água toda.
Chegamos em Susques, a última cidade Argentina, porém, bastante pequena. Havia um posto de informação na entrada da cidade, perguntei onde ficava o Hotel Unquillar e, em seguida, fomos num posto de gasolina. O posto consistia em duas bombas e uma casinha de barro. O frentista ou sei lá o que veio nos atender e disse: NO HAY NAFTA. Nossa, nessa hora eu gelei, pensei, era só o que faltava, longe de tudo e sem gasolina. Mas, perguntei se havia outro posto e o funcionário me indicou que a 3 quilômetros havia outro posto. Ufa! Fomos até lá e tinha gasolina, foi cara, mais de R$4,00 o litro, mas era o que tinha.
Chegamos no hotel e foi o tempo de tomar um banho e a chuva chegou forte. Um pouco antes, o grupo de Toledo chegou também. Estávamos novamente no mesmo hotel. A noite jantamos no hotel mesmo, que estava com poucos suprimentos e pouca bebida. Tomamos uma garrafa de vinho para tentar amenizar os sintomas da altitude, estávamos em 3.800 metros acima do nível do mar. Eu sentia dores de cabeça e pressão, a sara também. Fomos dormir cedo, pois o dia seguinte prometia, era hora de sair da Argentina e entrar no Chile.
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/IMG_0671_zpsvca2nnjo.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/IMG_0671_zpsvca2nnjo.jpg.html)

"Relato extraído do Blog - www.insetonocapacete.com"
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Resmungão em Maio 24, 2015, 09:05:35 am
Interessante mesmo o salar com a lâmina d'agua  :thumleft:
Seguindo  ,10468
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Patrick em Maio 24, 2015, 09:24:29 am
Resmungão! Tava muito bonito, e se você notar, o tempo estava muito escuro ao redor. Mais uma vez demos sorte em não pegar chuva. Só pra mim mesmo, pegar chica em pleno deserto.


Enviado do meu iPhone usando Tapatalk
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Resmungão em Maio 24, 2015, 09:29:31 am
Sem contar que se chovesse, logo após teriam que procurar um local para lavar as motos  rit50  Estes frescos que andam de Tiger são de matar  kkkkk
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Polenta em Maio 24, 2015, 09:35:22 am
Sensacional esses relatos!!
Parabéns Patrick!!!


"A Vida é muito curta, Portanto curta muito a vida.." Im memorian Maurício Saab
Polenta
(11)999841402
Via iPhone do Polenta...
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: jabahandebol em Maio 24, 2015, 09:54:24 am
Que isso heim. O relato e fotos estão no mais alto nível. Muito bom. Agora uma curiosidade, o que vc usa no assento da super?
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Bastião (Giovani Buzzi) em Maio 25, 2015, 05:27:33 am
Patrick,

Por várias vezes eu vi o título do tópico e me recusei a abrir. Sabia que não não daria pra dar só uma olhadinha. E estava certo.
Hoje parei pra ler, ou melhor, degustar cada palavra.
Me fez lembrar demais da minha viagem. A sensação que se sente ao subir os Andes é indescritível. Ninguém consegue passá-la para o papel ou gravá-la em vídeo. Só quem vai sabe.
Na minha viagem, não paramos em Salta. Ficou para uma próxima, que com certeza vai acontecer.

Aguardando os próximos capítulos.
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Patrick em Maio 25, 2015, 07:59:32 am
Bastião, que bom que postasse por aqui. Lembrei demais do seu relato enquanto andava para aquelas bandas. Realmente é algo que apenas vivendo para saber a real sensação.
Hoje mesmo postarei mais cenas dessa viagem. Abraço


Enviado do meu iPhone usando Tapatalk
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: jabahandebol em Maio 25, 2015, 08:55:59 am
Patrick o que vc usa no assento da Super?
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Resmungão em Maio 25, 2015, 09:45:46 am
Tá com cara de ser uma almofada com gel do Eugenio  :scratch:
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Patrick em Maio 25, 2015, 10:23:18 am
Patrick o que vc usa no assento da Super?

Desculpa, faltou a minha resposta. É uma almofada de gel que um amigo de Rio do Sul produz, eu recomendo, relação custo beneficio muito boa. Custa 200 dilmas apenas.

Sensacional esses relatos!!
Parabéns Patrick!!!


"A Vida é muito curta, Portanto curta muito a vida.." Im memorian Maurício Saab
Polenta
(11)999841402
Via iPhone do Polenta...

Valeu Polentinha


Que isso heim. O relato e fotos estão no mais alto nível. Muito bom. Agora uma curiosidade, o que vc usa no assento da super?

Mais uma vez obrigado, pergunta respondida acima...
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Patrick em Maio 25, 2015, 10:36:56 am
Dia 06 - Susques x San Pedro de Atacama - 233 kms
A noite passada foi de muita chuva. Desde as 18:00 choveu até na manhã seguinte. Isto me preocupava, pois se continuasse chovendo, poderíamos ficar ilhados em Susques. E não era o que gostaríamos de fazer. Pois Susques é uma cidade a 3.800 metros, a noite fora péssima. A Sara e eu dormimos muio mal. Tivemos pressão na cabeça a noite inteira. Sem contar que a noite não passava. Fomos dormir as 21:00 e eu pelo menos acordei várias vezes. As horas simplesmente não passavam. Mas, felizmente amanheceu. Tomamos café da manhã, o Gilmar e o Alencar lubrificaram as correntes das motos e era hora e partir. Era hora de passar pela aduana chilena, no dia anterior, um motociclista brasileiro que vinha no sentido contrário, falou que na sua ida, foi severamente revistado, tiraram medicamentos, frutas, castanhas, etc que ele tinha na sua bagagem. Nós tínhamos uma quantidade de remédios para dor, febre, vômito e para a intolerância a lactose da Sara. Não estava afim de perder os medicamentos. E também tínhamos as castanhas que levamos para comer no caminho onde não encontrássemos lugar para comer algo.
O dia amanheceu com céu limpo, sem nuvem nenhuma, porém, estava frio, na casa dos 8º. Tivemos que vestir segunda pele, luvas térmicas e balaclava. Pois senão congelaríamos.  Saímos do hotel antes das 08:00, o trecho era curto, porém, o processo de imigração geralmente é demorado, pois concentra muitas pessoas e os tramites são demorados.
O frio era intenso, sentia meus dedos ficarem dormentes, a mão esquerda, eu conseguia tirar do punho e esquentar no radiador da moto, que fica do lado esquerdo da carenagem. Já a mão direita não tinha o que fazer. Nesta hora senti saudade da minha 800, que tinha aquecedor de manoplas. Fizemos uma parada para fotos, tirei a luva de couro e levei as mãos no escapamento da moto para esquentar um pouco.
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0457_zpsh7ilotef.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0457_zpsh7ilotef.jpg.html)
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0459_zps3lclv6fa.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0459_zps3lclv6fa.jpg.html)
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0460_zpsvjd6hkg4.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0460_zpsvjd6hkg4.jpg.html)
Este trecho é muito bonito, entre o deserto e aquelas curvas todas, logo estávamos diminuindo a altitude, e, acho que só o fato de estarmos em movimento, minimizava o mal estar. O deserto do Atacama reserva muitas paisagens maravilhosas. Neste trecho, as montanhas mais altas estavam todas cobertas de neve, uma grande sorte nossa, pois é verão. então não é comum ter neve nas montanhas. A neve que víamos era em decorrência das chuvas que estavam caindo naquela época. No alto das montanhas as nuvens se condensam e a água forma a neve que cai sobre os picos mais altos.
Já quase na aduana, paramos no último posto antes do Chile. É um posto YPF, muito bom. Tem gasolina, o mais importante e uma loja de conveniência muito boa. Era hora de tomar um café para se esquentar. Era cedo, acredito que no máximo umas 09:30 da manhã.
Logo em seguida fomos para aduana. Lá já havia 2 ônibus, o que significa muita gente para imigrar e fazer todos os processos de saída da Argentina e entrada no Chile. O lado bom é que agora as aduanas estão integradas. Até pouco tempo atrás, neste ponto se fazia a saída da Argentina e a entrada no Chile se fazia já em San Pedro de Atacama. De certa forma isso agiliza um pouco a viagem. É necessário passar por 6 guichês diferentes para concluir os processos. Já no segundo guichê, o atendente olhou o documento da minha moto e falou: Nossa é uma bela moto! Já percebi que o agente gostava de motos, perguntei se ele tinha moto e ele afirmou que tinha uma R1. Convidei o agente para ir do lado de fora para conhecer as motos, falei que estávamos em 3 motos e seria legal se ele fosse conhecer. Era a primeira tentativa de evitar os confiscos aduaneiros. Depois, fui no controle da vigilância sanitária, onde se preenche um questionário, com perguntas sobre o que se está levando na bagagem. Na pergunta sobre frutas e castanhas, eu falei que tinha sim. Ela disse que eu teria que ser submetido a uma revista na moto, por mim sem problemas.
Estávamos do lado de fora esperando a revista, quando o agente Francisco veio revistar a minha moto e do Gilmar. Ele abriu apenas o baú traseiro da moto do Gilmar, deu uma olhada, viu as castanhas, tirou dois pacotinhos apenas e mandou ele fechar o baú e estava liberado. Depois na minha moto, o mesmo procedimento, sem nenhum confisco. O Francisco era muito simpático, posou para fotos e estávamos liberados para viajar,  Ainda faltava o Alencar que foi revistado por uma agente chilena, também não fez nenhuma ressalva e estávamos liberados.
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/IMG_5400_zpsqc8jywou.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/IMG_5400_zpsqc8jywou.jpg.html)

Ficamos bastante aliviados em não termos nenhum tipo de transtorno com a aduana e imigração. O que me surpreende é que eles pedem poucos documentos para conferencia. Por exemplo, ninguém nos pediu se tínhamos o seguro SOAPEX. Um seguro que segundo a legislação do Chile, é obrigatório para veículos estrangeiros. Vai entender. Em todo caso, tínhamos feito o seguro e estava conosco. Se alguém pedisse, estava conosco. Ganhamos lá um papel com carimbo, depois precisaríamos dele em vários controles aduaneiros pelo país, onde tínhamos que parar e carimbar esse papel.
Saímos da Aduana e seguimos para a fronteira do Chile. Era hora de subir subir e subir de novo. Logo estávamos na placa que divide os países. Era mais uma grande conquista dessa viagem.. Já estávamos no outro lado do nosso continente, estávamos quase em San Pedro de Atacama. Um dos principais lugares da nossa viagem. Tiramos fotos, colocamos adesivo na placa que indicava as principais distâncias a partir daquele ponto. Conversamos com uma família brasileira de Chapecó que estava viajando de carro.
Continuamos vendo lindas paisagens e começamos a descer uma longa serra. Dava para ver longe as cuvas serpenteando aquelas montanhas. Pelo caminho, alguns belos mirantes para contemplar a paisagem.  E também uma bela laguna, infelizmente fico devendo o nome. Passamos pela entrada para a Bolívia e logo começamos a descer ainda mais, era um longo trecho de uns 16 kms ladeira abaixo. Nesta parte eu desliguei a moto e desci em ponto morto até lá embaixo.
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0480_zpslciesvq9.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0480_zpslciesvq9.jpg.html)
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0481_zpsufzjychj.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0481_zpsufzjychj.jpg.html)
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0483_zpsd8m3mkrc.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0483_zpsd8m3mkrc.jpg.html)
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/IMG_5441_zpsli2ys6gv.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/IMG_5441_zpsli2ys6gv.jpg.html)
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/IMG_5442_zpsoyx7rpxu.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/IMG_5442_zpsoyx7rpxu.jpg.html)
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0488_zpsgaldcdvb.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0488_zpsgaldcdvb.jpg.html)
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0487_zps0cydnc6h.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0487_zps0cydnc6h.jpg.html)
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/IMG_5476_zpszsmjqfui.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/IMG_5476_zpszsmjqfui.jpg.html)
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/IMG_5499_zpsgec2r3fl.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/IMG_5499_zpsgec2r3fl.jpg.html)

Chegamos à San Pedro de Atacama!!! Não dava para acreditar, era muita alegria chegar naquela cidade! Eu estava muito alegre com aquele momento!! Paramos para tirar fotos na placa da entrada da cidade e em seguida, fomos procurar o hotel. San Pedro tem pouco mais de 2.000 habitantes, mas acredito que a quantidade de turistas lá, deve ser maior que a população. As ruas são de poeira, as casas são de adobe, uma espécie de argila e algumas tem telhado de palha. Sofremos um pouco para encontrar o nosso hotel. Estava bastante quente e é um pouco difícil andar pelas ruas estreitas de San Pedro, são muitas pessoas para todos os lados. Felizmente encontramos o HOSTAL JAMA, a Nancy nos recebeu e nos mostrou os quartos. Estávamos acomodados.
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0462_zpsb1nkd4et.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0462_zpsb1nkd4et.jpg.html)
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0470_zpssveqtx7w.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0470_zpssveqtx7w.jpg.html)
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0471_zps09d40thk.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0471_zps09d40thk.jpg.html)
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0463_zpsiqkyi7g3.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0463_zpsiqkyi7g3.jpg.html)
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0477_zpskznqmtha.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0477_zpskznqmtha.jpg.html)
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0490_zpslgmw23zj.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0490_zpslgmw23zj.jpg.html)
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0491_zpsa4y1esti.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0491_zpsa4y1esti.jpg.html)
Saímos para conhecer a cidade em seguida, e também para almoçar, estávamos todos com fome. Almoçamos na praça da cidade, próximo à igreja que está em reforma. E também já fomos reservar o passeio para os Geisers Del Tatio para o dia seguinte. Nesta hora vale muito a pena pesquisar. O passeio para os Geisers tinham na primeira agência o custo de $20.000 pesos chilenos, depois encontramos por $14.000 pesos chilenos, algo em torno de R$56,00 por pessoa. O passeio contempla a van que leva até o parque, são aproximadamente 100 kms de San pedro e também guia e café da manhã no local dos passeios.
Também aproveitamos para ligar para casa e avisar a todos que estávamos bem! Também precisava fazer câmbio, e mais uma vez, pesquisar era preciso. Lá em San Pedro tem várias lojas que fazem câmbio, e é muito prudente fazer uma pesquisa antes de trocar. A diferença beirou os 10% de uma casa para outra. Também estava mais rentável trocar reais por pesos chilenos do que dólares.
Aproveitamos o restante do dia para descansar, andar pelas lojas e fazer algumas comprinhas. O próximo dia seria o de começar a conhecer os encantos de San Pedro.

"Relato extraído do Blog - www.insetonocapacete.com"
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Bastião (Giovani Buzzi) em Maio 26, 2015, 03:34:49 am
Muito legal este trecho depois da Aduana. Ali geralmente tem um vento que muda constantemente de direção, fazendo parecer que estamos andando em cima de um vidro molhado.
Legal também aquela descidona pouco antes de San Pedro. Sei lá, a gente desce cerca de 1500 metros de altitude em poucos km.

Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Patrick em Maio 26, 2015, 08:56:52 am
Muito legal este trecho depois da Aduana. Ali geralmente tem um vento que muda constantemente de direção, fazendo parecer que estamos andando em cima de um vidro molhado.
Legal também aquela descidona pouco antes de San Pedro. Sei lá, a gente desce cerca de 1500 metros de altitude em poucos km.


Bastião, realmente muito bonito. Praticamente não pegamos vento... E aquela descida é incrível, acho que são 16 kms
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: em Maio 26, 2015, 09:07:15 am
show
continua ai
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Patrick em Maio 26, 2015, 09:31:49 am
show
continua ai

Valeu Zô, hoje acho que não consigo postar, mas amanhã se der eu posto...
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: jabahandebol em Maio 26, 2015, 11:33:41 am
Maravilha. Pode desligar a moto em uma grande descida?
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Patrick em Maio 26, 2015, 12:59:56 pm
Cara, eu desliguei e desci sem problemas. Só na hora de ligar, tive que praticamente parar a moto.


Enviado do meu iPhone usando Tapatalk
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: EPS - Du em Maio 26, 2015, 02:23:01 pm
Patrick meu parça!

Muito obrigado por compartilhar sua experiência conosco.
Só estou vendo as fotos, esta meio corrido por aqui, mas no final de semana eu vou ler todos os relatos.

Show..............parabéns.
Simplesmente sensacional.

Enquanto eu não vou, ficarei aqui viajando nas suas imagens e relatos.
Obrigado.

Abs..
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Bastião (Giovani Buzzi) em Maio 27, 2015, 02:33:51 am
Pois é, Patrick, todos nós que viajamos, ou pretendemos viajar, necessitamos das informações daqueles que foram antes.
Foi assim comigo, foi com você.
E a melhor maneira de retribuir é justamente isso que você está fazendo, como eu também fiz, compartilhar a experiência, dando subsídios para os futuros viajantes.
Sem contar que para mim é super gratificante ler relatos de viagem. Sempre viajo junto.

Parabéns amigo, e obrigado por compartilhar conosco.
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: ROMERO em Maio 27, 2015, 03:05:11 am
viagem linda, dos sonhos para muitos de nós.
Obrigado pelos relatos.
Fotos e lugares lindos.

@braços
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: mmpanela em Maio 27, 2015, 04:54:30 am
que merd"!@#$%¨&* , resisti até hoje não ler esse topico , pois tinha certeza , que não ia dar pra dar só uma olhadinha !!! agora to com o serviço atrasado e a culpa é do Patrick!!!

parabens Patrick , como sempre texto irretocavel e otimas fotos !!

Panela
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Patrick em Maio 27, 2015, 12:06:12 pm
Patrick meu parça!

Muito obrigado por compartilhar sua experiência conosco.
Só estou vendo as fotos, esta meio corrido por aqui, mas no final de semana eu vou ler todos os relatos.

Show..............parabéns.
Simplesmente sensacional.

Enquanto eu não vou, ficarei aqui viajando nas suas imagens e relatos.
Obrigado.

Abs..

Du meu querido!!! Obrigado cara... Espero que goste dos relatos também... hehehe

Pois é, Patrick, todos nós que viajamos, ou pretendemos viajar, necessitamos das informações daqueles que foram antes.
Foi assim comigo, foi com você.
E a melhor maneira de retribuir é justamente isso que você está fazendo, como eu também fiz, compartilhar a experiência, dando subsídios para os futuros viajantes.
Sem contar que para mim é super gratificante ler relatos de viagem. Sempre viajo junto.

Parabéns amigo, e obrigado por compartilhar conosco.

Bastião, verdade. Colher informações antes, nos evitou alguns perrengues pelo caminho. Valeu muito a pena planejar tudo antes, a execução ficou muito mais fácil... E é um honra poder compartilhar com o povo as nossas vivências nessa experiência...

viagem linda, dos sonhos para muitos de nós.
Obrigado pelos relatos.
Fotos e lugares lindos.

@braços
Brigado Romero!!!

que merd"!@#$%¨&* , resisti até hoje não ler esse topico , pois tinha certeza , que não ia dar pra dar só uma olhadinha !!! agora to com o serviço atrasado e a culpa é do Patrick!!!

parabens Patrick , como sempre texto irretocavel e otimas fotos !!

Panela

hahaha, foi mal Panela!!!! MAs que bom que gostasse, vai guardando um tempo aí, porque ainda tem 11 dias para contar da viagem... heheheheh

Abraço
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Patrick em Maio 27, 2015, 12:34:50 pm
Dia 07 - San Pedro de Atacama - 0 Km
Madrugamos neste dia, o passeio para os Geisers Del Tatio começa muito cedo. Devido à distância de San Pedro até lá e também ao horário que é mais comum ver o espetáculo das águas quentes brotando da terra.
A van nos pegou no hotel as 05:00. Estava escuro ainda e em San Pedro estava bastante frio. Eu vesti segunda pele, calça, luvas, toca, etc. Não tava afim de passar frio. De lá do nosso hotel ainda passamos por vários outros hotéis até a van estar lotada. O guia nos falou que poderíamos descansar que o trajeto era longo até os Geisers. Acho que, na verdade, ele deu essa dica pra gente não ficar preocupado com aquele sobe e desce e curvas sinuosas que haviam pelo caminho. Eu e acredito que todo mundo que estava na van, dormimos. Chegamos no parque dos Geisers ainda não tinha amanhecido. Os primeiros raios de sol apareciam. Paramos na entrada do parque para quem quisesse usar o banheiro e também ouvimos uma pequena explicação sobre cuidados e sobre o parque. Lá no parque a temperatura era de aproximadamente 4º. Haviam alguns motorhomes lá, de vários lugares, mas principalmente europeus e alguns alugados no Chile. E claro, muitas vans, vindas de San Pedro.
O sol começava a aparecer e dava pra se ter uma boa ideia do lugar que estávamos. Estávamos ao cercados por altas montanhas que, para nossa sorte, estavam cobertas por neve. Tínhamos que caminhar alguns metros até chegarmos aos geisers. A altitude deixava o ar pesado e o nosso guia dizia: Sua mente controla seu corpo! Ah vá! Nem sempre é assim. Mas não custa tentar.
Os guias vão mostrando os geisers e falando. Segundo eles, até onde eu entendi, a água sai da terra devido ao choque das placas tectônicas nas profundezas da terra (bonito isso hein), mas sei lá, o cara falava em espanhol, eu até entendo, mas não consegui entender tudo que disse. Mas lembro que ele falou que a temperatura da água varia de 80 a 300º.

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0510_zpsjiimm6yz.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0510_zpsjiimm6yz.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0518_zps4izmfjuq.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0518_zps4izmfjuq.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0512_zpsx3vqxvl3.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0512_zpsx3vqxvl3.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0521_zpsndrcbfnx.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0521_zpsndrcbfnx.jpg.html)

Existem também alguns tipos diferentes de geiser. O geiser, a geiserita, etc. Mas, se quiser mais detalhes, sugiro procurar no wikipedia, porque eu não consegui entender tudo. Até porque o guia não gostava muito de brasileiros e foi um pouco mal educado comigo. Mas, dessa viagem quero apenas guardar as coisas boas. Deixa os pequenos problemas para lá, foram insignificantes.
Lá aconteceu algo curioso. Minha mãe tem uma loja em Blumenau que vende souvernirs, camisetas, canecas e todo tipo de coisa relacionada a Oktoberfest. Vi de longe um rapaz com um moleton da confecção dela. Logo fui conversar com ele, pensei se tratar de um brasileiro. E na verdade era um chileno que estivera em Blumenau recentemente. Fiquei muito surpreso, tirei uma foto para mostrar para minha mãe que seus produtos estavam dominando a América Latina (nada pretencioso!!).
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/DSC_0550_zpsrd1is4bn.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/DSC_0550_zpsrd1is4bn.jpg.html)

Depois de uma aula sobre geisers, era hora do café da manhã, estávamos famintos. E até aquele dia, aquele foi o melhor café da manhã da nossa viagem.Tinha pão, manteiga, queijo, presunto, café, chá e um creme feito de abacate preparado na hora. Aquele povo come tudo com abacate (Palta), até cachorro quente.

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0529_zpsg42dqtdb.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0529_zpsg42dqtdb.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0532_zpsxsopobj9.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0532_zpsxsopobj9.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0533_zpsvgkyeied.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0533_zpsvgkyeied.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0535_zpsaoezwkqu.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0535_zpsaoezwkqu.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0544_zpsx54bvdrx.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0544_zpsx54bvdrx.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0552_zpse2va6biq.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0552_zpse2va6biq.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0554_zpsvyowos0f.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0554_zpsvyowos0f.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0561_zpsymosjky4.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0561_zpsymosjky4.jpg.html)

Depois daquele belo café, fomos pra perto das vans e onde havia a lagoa onde pode-se tomar banho nas águas termais. Muita gente dentro daquela lagoa e a temperatura fora dela, não era maior que 10º, apesar do belo sol que brilhava.

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0570_zpsr5cpsr1t.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0570_zpsr5cpsr1t.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/IMG_5547_zps2ea4vh93.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/IMG_5547_zps2ea4vh93.jpg.html)

O que me chamou a atenção, foi que todos falam dos geisers, porém, ninguém fala da Laguna Putana, que fica no caminho e que paramos para apreciar. Um lugar muito bonito, cheio de llamas e alguns flamingos. Essa região que fica os geisers e a laguna, fica praticamente na fronteira com a Bolívia, as montanhas nevadas já pertenciam à Bolívia. Como havia amanhecido, entendi a dica de dormir durante a ida, a estrada é muito sinuosa e não tem asfalto. Dá medo só de olhar.
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0605_zpsm8i50alf.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0605_zpsm8i50alf.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0609_zpssiwgyd2p.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0609_zpssiwgyd2p.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0614_zpslcdi95qt.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0614_zpslcdi95qt.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0626_zpsuledbbbx.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0626_zpsuledbbbx.jpg.html)

Avistamos outro animal local na estrada, porém, os leitores me desculpem, pois não me lembro o nome. Mas parecia uma lebre. Depois disso, ainda paramos numa pequena vila de moradores chamada de MACHUCA. Lá há banheiros e algumas coisas para comer. Aproveitamos para tomar um chá para aliviar um pouco o mal da montanha.

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0631_zps8oncbwvj.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0631_zps8oncbwvj.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0635_zpsezy3jnqz.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0635_zpsezy3jnqz.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/IMG_5575_zpsqyrluhdh.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/IMG_5575_zpsqyrluhdh.jpg.html)

Chegamos novamente à San Pedro por volta das 12:30. Combinamos de ir apreciar o por do sol no Vale da lua. Saímos do hotel as 16:00 com destino ao vale, chegamos até a entrar no parque, porém, um mal tempo se formou e não conseguimos ir adiante. Isso frustrou meus planos. Ah, eu também me sentia bastante mal, tossia muito e sentia dores pelo corpo. Estava com uma tosse seca já a uns 3 dias pelo menos.
Voltamos para o hotel, e lá, tive que fazer um pedido à Sara. Eu havia planejado em fazer isso no Vale da lua, porém, o mal tempo não permitiu. O jeito era fazer ali mesmo. Pedi ela em casamento. Ela não acreditava, chorou, me abraçou, foi muito bonito. Graças a Deus ela aceitou.
Mas ainda tinha mais. Avisei a ela que o nosso casamento seria no dia seguinte. Ela ficou branca. Não entendia nada. Como? Eu explico: A mais de 6 meses eu havia contactado a diocese chilena, um senhor chamado Alvaro fez a ponte com padre Gilberto, de San Pedro. No dia da nossa chegada, despistei a Sara e fui falar com ele. Que prontamente se dispôs a fazer a nossa benção, bastava escolher o dia.
O Gilmar e a Débora me ajudaram levando as alianças, que descobri o tamanho do dedo da Sara, usando uma colega de trabalho dela para descobrir o tamanho do dedo.
O seu vestido, o Alencar levou no seu baú, este, ela mesmo provou aqui no Brasil, comprei escondido dela, não deixei ela comprar pois no dia coloquei um defeito nele, mas era uma mera desculpa para ela não levar.
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/IMG_5599_zpsdh1ab3s9.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/IMG_5599_zpsdh1ab3s9.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/IMG_5609_zpshpsvgmgw.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/IMG_5609_zpshpsvgmgw.jpg.html)

Estava tudo armado. Essa viagem estava cada vez mais surpreendente. Fizemos chover no deserto, havia um casamento no dia seguinte e nem estávamos na metade da viagem.
A Sara e a Débora foram atrás de flores e de um sapato para ela (isso eu não consegui levar), felizmente a Nancy, do hotel, conseguiu uma mulher que nos vendeu um grande buque pelo equivalente a R$8,00. E a Sara comprou uma sandália bem estilo "hippie".
Neste dia a Sara comprou pra mim um xarope caseiro, este me fez me sentir melhor e expelir aquela bronquite toda que eu ainda não sabia que tinha.
Choveu pra caramba naquele final de tarde e na noite toda. Isso começava a nos fazer mudar os planos para os dias seguintes.

"Relato Extraído do Blog - www.insetonocapacete.com"
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Dr.MD em Maio 27, 2015, 03:47:33 pm
I M P R E S S I O N A N T E ! ! !

 .clap .clap .clap .clap .clap

 ,10468 ,10468 ,10468

 ieba ieba ieba ieba ieba
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: em Maio 27, 2015, 11:39:20 pm
Agora continua

tapatalk do Zô.
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Patrick em Maio 28, 2015, 12:12:13 am
Calma... To dando um tempo pra todo mundo ler. Rsrsrs


Enviado do meu iPhone usando Tapatalk
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Resmungão em Maio 28, 2015, 12:41:07 am
Olha, da Laguna Putana talvez não falem muito, mas dos filhos dela, que no Brasil "trabalham" de terça até quinta em Brasília, até que fala-se bastante  rit50

Quer dizer que quase ficou viúvo um dia antes de casar  :hahaha :hahaha :hahaha  Imagino o susto da Sara  kkkkk; kkkkk;

Vamo que vamo ...
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: em Maio 28, 2015, 12:43:08 am
Cara, chuva, frio, to com bastante tempo

tapatalk do Zô.
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: ROMERO em Maio 28, 2015, 01:51:01 am
Sensacional !!!
Que imagens lindas.
Agora estou curioso, quanto ao casamento. Parabéns !!  .clap .clap .clap

@braços
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Bastião (Giovani Buzzi) em Maio 28, 2015, 03:01:35 am
Muito show.

Patrick, lembro deste lago, só não sabia que tinha este nome. Na minha viagem passamos por ali, mas o guia se referiu a ele como "Lago dos Flamingos". Até postei umas fotos:

(http://i152.photobucket.com/albums/s187/giovanibuzzi/Atacama/100_5045.jpg)

(http://i152.photobucket.com/albums/s187/giovanibuzzi/Atacama/100_5046.jpg)

(http://i152.photobucket.com/albums/s187/giovanibuzzi/Atacama/100_5049.jpg)

Será que é o mesmo?
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Patrick em Maio 28, 2015, 06:19:04 am
I M P R E S S I O N A N T E ! ! !

 .clap .clap .clap .clap .clap

 ,10468 ,10468 ,10468

 ieba ieba ieba ieba ieba

Valeu!!!
Olha, da Laguna Putana talvez não falem muito, mas dos filhos dela, que no Brasil "trabalham" de terça até quinta em Brasília, até que fala-se bastante  rit50

Quer dizer que quase ficou viúvo um dia antes de casar  :hahaha :hahaha :hahaha  Imagino o susto da Sara  kkkkk; kkkkk;

Vamo que vamo ...

Resmungão, poderíamos levar os filhos dela e jogar lá dentro, o que vc acha?

Sensacional !!!
Que imagens lindas.
Agora estou curioso, quanto ao casamento. Parabéns !!  .clap .clap .clap

@braços


Obrigado Romero, foram mais de 3.000 Click´s hehehehe

Muito show.

Patrick, lembro deste lago, só não sabia que tinha este nome. Na minha viagem passamos por ali, mas o guia se referiu a ele como "Lago dos Flamingos". Até postei umas fotos:


Será que é o mesmo?


bastião, guardei bem este nome.. hehehehe
Então, como eu falei no relato, todo mundo dá ênfase aos Geisers e deixam de fora este lugar tão lindo que se visita no caminho..

Cara, chuva, frio, to com bastante tempo

tapatalk do Zô.

Zô, vou matar um pouco de trampo e postar o próximo dia... Foi EMPOLGANTEEE hehehehe
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Patrick em Maio 28, 2015, 06:27:39 am
Dia 08 - San Pedro de Atacama - 0 Km
Depois de uma noite inteira de chuva, isso mesmo, chuva no deserto. Brincamos que o nosso santo estava muito forte, pra chover daquele jeito em pleno deserto. Fomos até indicados para quando chegarmos no Brasil irmos para a região das represas de São Paulo, talvez resolvesse os problemas de faltas de chuva por lá. As ruas ao redor do hotel estavam todas alagadas, pois, por se tratar de uma cidade de clima desértico, praticamente nunca chove, então, não há estrutura nenhuma para escoamento das águas (poucas diga-se de passagem) das chuvas. Até porque, deve chover só 3 dias por ano, justamente os 3 dias que ficamos lá.
Bom, mas felizmente não estava chovendo. A Nancy serviu nosso café da manhã: pão, manteiga, café e omelete. Estava uma delicia.
A Sara, Eu, Gilmar e Débora decidimos que iriamos à Bolívia para conhecermos a Laguna Verde. Para ir para a Bolívia, é necessário fazer a imigração na aduana que existe em San Pedro de Atacama. Chegamos lá, e levamos um grande susto. Devia ter umas 50 vans, uns 50 carros e muita gente lá esperando. A aduana estava fechada. Fui me informar sobre o que estava acontecendo e segundo o agente federal, a aduana estava fechada pois as chuvas da noite anterior haviam provocado na estrada para o Paso Jama e Paso Sico. Ou seja, ninguém entrava, ninguém saía. E não havia previsão de liberarem a aduana. Estávamos na dúvida entre esperar ou voltar para o hotel. Nisso, chegou um grupo de Chapecó, estavam voltando do Peru. Conversamos um pouco e nisso o agente nos informou que a aduana seria aberta e que poderíamos seguir.
Fizemos a nossa saída do Chile e rumamos para tentar ir para a Bolívia. Porém, uns 3 quilômetros depois, já avistamos de longe uma grande fila de carros, caminhões, vans, todos parados. A frente, havia uma espécie de lamina d'água sobre o asfalto. Uma mistura de lama, água e pedras. Paramos e pelo espelho da minha moto, vi que o Gilmar fazia sinais que não iriam adiante. Pedi que a Sara descesse e fosse a pé, de preferência por fora da estrada, pois havia uma grande lamina de barro no asfalto. E lá fui eu, tenso com aquele barro todo, muito liso e água voando até na altura dos meus joelhos. Fui devagarinho, porém, com aceleração constante e fui me sobrepondo à tanto barro. Ufa! Consegui! Agora era só subir aquela cordilheira e ir pra Bolivia. Grande engano! Logo na frente, uma viatura dos carabineros de Chile bloqueava a estrada. Eu não acreditava. Conversei com o policial, ele disse que havia alguns bloqueios pela estrada e que não era possível ir adiante. E também não havia previsão de liberarem a estrada.
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogger-image-1261126067_zpsturcr0bj.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogger-image-1261126067_zpsturcr0bj.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogger-image--582420962_zpslpteo2h4.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogger-image--582420962_zpslpteo2h4.jpg.html)

Como naquele dia, ainda teria nosso casamento, achei mais prudente abortar o passeio, pois não saberia que horas poderíamos sair dali, e se realmente conseguiríamos chegar até a Bolívia. Nisso a Sara chegou e comentei com ela que voltaríamos. Ela concordou.
Na volta, vi uma estrada no nosso lado esquerdo, isso evitaria de passarmos novamente naquela lama toda. Consultei meu GPS e vi que dava para chegar novamente na mesma estrada que viemos, porém, uns quilômetros à frente. Lá fomos nós, quem disse que aquele dia não acompanharia o pacote aventura? Só que, antes de entrar na estrada, eu não reparei que ela estava bloqueada por guard-rails. Enfim, segui adiante. Depois de andarmos um pouco, vi que a estrada havia sido levada pelas águas. Ou seja, a água arrancou a estrada e se transformou num pequeno rio. Daí me dei conta porque estava bloqueada por aqueles guard rails. Novamente pedi a Sara que descesse que eu ia cruzar. Do outro lado ela subia novamente. Lá fui eu, colocar em prática tudo que sei sobre OFF ROAD: Quase nada! A Tenere, possui controle de tração (TCS), e o fabricante recomenda que em condições de pilotagem em terrenos fofos, ele seja desligado ou amenizado. E eu esqueci disso. Quando comecei a cruzar a areia, tudo certo, porém, quando chegou na parte que tinha areia + água, a coisa piorou. A moto começou a "pipocar", e eu vi que ia ficar atolado ali, no meio do nada. Quem mandou querer cortar caminho não é mesmo? Bom, pensei comigo: Devia ter desligado o controle de tração. Será que agora vai resolver ainda? Não custa tentar. Desliguei o controle de tração e desloquei meu corpo para frente, tirando peso da roda traseira, fui acelerando moderadamente e devagar consegui desatolar a moto. Ufa! Se eu tivesse que ir chamar alguém pra me ajudar a desatolar a moto, eram uns 4 quilômetros de caminhada pelo menos.
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/IMG_5619_zpspcgxnqs8.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/IMG_5619_zpspcgxnqs8.jpg.html)
A estrada desapareceu
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogger-image--413464156_zpsncjtb27x.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogger-image--413464156_zpsncjtb27x.jpg.html)

Passamos pela aduana para fazer a entrada novamente no Chile, porém, ainda tinha muita gente lá. Conversei com um agente que sugeriu que voltássemos mais tarde.
Voltamos para o hotel. Chegando lá, pensei que encontraríamos o Gilmar e a Débora, porém, não estavam lá. Convidamos o Alencar para irmos conhecer o Salar de Atacama. Ele topou e lá fomos nós. Fomos sentido a cidade de Toconao, pela Ruta 23. Toconao é uma cidade bem pequena, com algumas casas feitas de adobe, uma igrejinha e alguns turistas andando pelas ruas. Parece uma cidade fantasma.

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0666%201_zpsqgbbnizk.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0666%201_zpsqgbbnizk.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0657_zps6515jafu.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0657_zps6515jafu.jpg.html)
Lá tirei uma dúvida sobre o caminho a seguir, e lá fomos nós para uma estrada de terra. Aproximadamente 25 quilometros. Uma estrada até que boa, com alguns pontos com lama, mas nada preocupante. Junto com o Salar do Atacama, tem a reserva nacional de Flamingos. São muitos flamingos aproveitando aquele belo local. Os guias pedem para não fazermos barulho para não afugentar os pássaros. Sinceramente, foi legal ir até lá, mas não é um lugar tão bonito assim.
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0673_zpsuvidcgpc.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0673_zpsuvidcgpc.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0724_zpsnmo2bntu.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0724_zpsnmo2bntu.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0681_zpssrowddxu.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0681_zpssrowddxu.jpg.html)


(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0678_zpsvejdkedo.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0678_zpsvejdkedo.jpg.html)

Queríamos ter ido até a Laguna Cejar, não estava muito longe da gente, porém, nos alertaram que as condições da estrada não era das melhores, mais uma vez, por causa da chuva.
Voltamos para San Pedro e fomos andar pelo centro da cidade. Conhecemos o Paulo e Nanci, de São Paulo. Eles estavam chateados, pois até mesmo o passeio para os Geisers Del Tatio, havia sido cancelado. Papo vai e papo vem, comentei com eles que a noite seria nosso casamento, e se eles quisessem, estavam convidados. O Paulo não acreditou, naquele mesmo dia eles completavam 29 anos de casados. Eles ficaram bastante felizes com o convite e confirmaram que iriam a noite na igreja.
Passamos a tarde andando pelas ruas de San Pedro, visitando as lojas e não dá pra resistir, tem muito artesanato lá. São inúmeras lojas para todos os lados. E com preços bastante atraentes. Compramos várias coisas, como porta copos em couro, desenhados a mão, cachecóis, imãs de geladeira, etc.
Por volta das 16 horas, o Gilmar e a Débora apareceram. Eles acabaram indo para a Bolívia. O Gilmar disse que quando eles chegaram novamente na aduana, o agente disse que a estrada estava liberada para subir, então eles resolveram ir. Nesta hora eu devia estar lá naquele atoleiro tentando sair.
A noite chegava e também a hora do nosso casamento. Fomos para a igreja, a missa começava as 19:30. Nesta missa havia um casamento local, estávamos esperando entre os convidados da outra noiva. E, para nossa grande alegria, aquele grupo de Toledo que vinhamos encontrando frequentemente pelas estradas, estavam todos lá para assistirem a missa. Ficaram muito felizes em saber que também seria o nosso casamento, e no fim das contas tínhamos convidados. Ah, o Paulo e a Nanci foram também.
A capela de San Pedro está em reforma, então na casa paroquial há outra igreja, onde estão acontecendo as cerimonias enquanto a igreja não fica pronta. Conhecemos uma freira brasileira que vive lá e trabalha na igreja. A irmã Luciana, natural de Recife, uma pessoa muito simpática e alegre, nos recebeu muito bem e nos deu toda atenção. E também conhecemos a irmã Esperanza, uma chilena, porém que já morou no Brasil. Estávamos em casa.
E ainda pra completar os nossos convidados, a Nancy, que cuida do hotel que ficamos, estava lá com toda a família e até mesmo a senhora que trouxe as flores para a Sara.
Aguardamos ao final da missa, e o padre nos chamou para frente do altar. A Sara estava com os olhos mareados e eu estava nervoso também. Foi uma benção bem rápida, porém, muito bonita. Como eu disse para a Sara, a cerimonia anterior, serviu como um link, as leituras foram muito bonitas.
Na hora da troca de alianças, falei as palavras que o padre repetia com a voz embargada, olhando nos olhos da Sara que sorria para mim. E na hora que eu dei a minha mão pra ela, ela estava nervosa e combinado ao meu nervosismo, dei a mão direita pra ela sem perceber. Ela, sem também perceber, empurrou tanto a aliança que quase virou uma pulseira. Claro que depois disso, rolou o beijo, as palmas e tudo mais. Comentei com o Padre que havia um casal completando 29 anos de casado na igreja conosco e ele os chamou no altar e deu uma benção neles também. Foi muito emocionante, o Paulo e a Nanci ficaram muito felizes.

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0726_zps7o8clzne.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0726_zps7o8clzne.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0730_zpswoqazsfa.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0730_zpswoqazsfa.jpg.html)

Sandália "Vida Loka" comprada em San Pedro

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0748_zpsauncmddf.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0748_zpsauncmddf.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0749_zpsntghftgm.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0749_zpsntghftgm.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0751_zpsp0tglfio.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0751_zpsp0tglfio.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0780_zpsrxvrsyfu.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0780_zpsrxvrsyfu.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0822_zpsbprtg6nk.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0822_zpsbprtg6nk.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0823_zpsj2vr0ctu.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0823_zpsj2vr0ctu.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0834_zps9tihaepx.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0834_zps9tihaepx.jpg.html)
Paulo e Nanci, nossos amigos que completaram 29 anos de casados
Agradecemos imensamente ao Padre Gilberto, às freiras Esperanza e Luciana pela acolhida na igreja e pelo carinho conosco. Também agradeço ao Gilmar, Débora e Alencar, por serem meus cúmplices no plano perfeito. A Sara não desconfiou de nada.
Na saída da igreja, ganhamos até uma chuva de arroz, aquele povo era muito animado. Recebemos os cumprimentos emocionados de todos, mensagens de carinho e felicidades para nossas vidas, enfim, foi um dia inesquecível para nós. Era mais uma etapa da nossa viagem concluída, com sucesso, alegrias e surpresas.
Fechamos a noite jantando no restaurante Delicias Del Carmen, tomamos um bom vinho, brindamos à vida. Foi uma noite incrível. Estávamos selando nossa passagem por San Pedro de Atacama. Decidimos que abreviaríamos em um dia nossa estada em San Pedro e no dia seguinte seguiríamos para Iquique.
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0843_zpsyzzcgnqu.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0843_zpsyzzcgnqu.jpg.html)
 Um pequeno erro de mão
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0844_zpsnpbbpiad.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0844_zpsnpbbpiad.jpg.html)

San Pedro marcou muito para nós. Não só pelo marco que representa para quem viaja para aquela região, mas por termos abençoado a nossa união lá. Temos um laço com aquele lugar, precisamos voltar de vez em quando, temos um pedaço de nós no Chile daquele dia em diante.
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: em Maio 28, 2015, 08:25:40 am
No dia do casorio o cara acha q ta no rally, ou tava tentando escapar

tapatalk do Zô.
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Patrick em Maio 28, 2015, 10:10:31 am
No dia do casorio o cara acha q ta no rally, ou tava tentando escapar

tapatalk do Zô.

Kkkk
Zo, imagina que era pra ter ido pra Bolívia. Hehehehehe
Pena que não deu certo, mas assim fica aquela vontade de ir lá de novo. 
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: jabahandebol em Maio 28, 2015, 10:29:28 am
Achei que já tinha visto tudo, mas pelo jeito, ainda não. Casamento no meio da viagem, escondido da noiva, essa foi demais.Parabéns duplo, pelo relato e fotos e pelo casamento.Querendo se isibir com a super no dia do casamento, doido pra fazer merda.
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Patrick em Maio 28, 2015, 10:47:52 am
Kkkk. Tudo milimetricamente calculado. SQN!!!!


Enviado do meu iPhone usando Tapatalk
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: edson cunha em Maio 28, 2015, 11:06:42 am
Mais uma vez Parabéns, casamento em San Pedro, ideia genial e única. Muita saúde e paz para o casal, que este espírito aventureiro seja sempre a marca registrada de voces.
 .clap        .clap           .clap
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Patrick em Maio 28, 2015, 11:54:11 am
Mais uma vez Parabéns, casamento em San Pedro, ideia genial e única. Muita saúde e paz para o casal, que este espírito aventureiro seja sempre a marca registrada de voces.
 .clap        .clap           .clap

Obrigado!!! :)
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: ROMERO em Maio 28, 2015, 02:31:50 pm
 :cheers: :cheers: :cheers: PARABÉNS PATRICK E SARA  :cheers: :cheers: :cheers:

Que essa união, seja eterna e com muitos passeios.  .clap .clap

@braços
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Resmungão em Maio 29, 2015, 01:43:03 am
 .clap .clap .clap .clap .clap

Muito bacana. Este dia foi especial mesmo   :D Parabéns e felicidades  :thumleft:
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Patrick em Maio 29, 2015, 04:25:48 am
:cheers: :cheers: :cheers: PARABÉNS PATRICK E SARA  :cheers: :cheers: :cheers:

Que essa união, seja eterna e com muitos passeios.  .clap .clap

@braços

Valeu Romero!!!


Obrigado Resmungão!
 .clap .clap .clap .clap .clap

Muito bacana. Este dia foi especial mesmo   :D Parabéns e felicidades  :thumleft:
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Patrick em Maio 29, 2015, 04:59:07 am
Dia 09 - San Pedro de Atacama x Iquique - 490 kms
Era hora da partida de San Pedro de Atacama, apesar de planos frustrados lá, ficam boas lembranças da cidade e dos locais que visitamos. Fica também um gosto de quero mais, pois muita coisa legal ficou sem ser vista por nossos olhos. A Laguna Cejar, A Laguna Verde e o Vale da lua e da morte. Assim fica aquela vontade de ir novamente, de voltar e conhecer o que faltou, de voltar em alguns lugares, rever as pessoas que conhecemos, que nos ajudaram e que de alguma forma marcaram as nossas vidas depois do nosso casamento. Obrigado a todos de San Pedro de Atacama, aquele lugarzinho acolhedor tem um lugar especial nos nossos corações.
Mais uma vez choveu durante a noite, mas amanheceu com céu azul e temperatura agradável, pelo menos lá em San Pedro. Eu aproveitei 4 litros de gasolina que o Alencar tinha no seu galão e fiz um abastecimento improvisado. Nossa primeira parada para abastecimento seria em Calama, a pouco mais de 120 kms. Era tranquilo para chegar lá.
Nos despedimos da Nancy, que cuida do hotel e que cuidou de nós como filhos, ajudou a Sara com alguns pequenos detalhes para o nosso casamento e que também foi até lá. Obrigado a você Nancy e a sua familia pelos cuidados e atenção conosco. Tiramos uma foto com ela e pretendo enviar a ela como forma de agradecimento. Ela nos pediu que voltássemos, quem sabe um dia.
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/IMG_5668_zps46lmc7s6.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/IMG_5668_zps46lmc7s6.jpg.html)

Eu ainda tossia muito e sentia dores nas costas, porém, não reclamei dessa dor em momento algum da viagem. Achava que era cansaço. Eu estava bastante abatido com tanta tosse e dores pelo corpo. Mas estava tomando alguns medicamentos e era hora de voltar à estrada.
Saimos de San Pedro, passamos pela entrada do Vale da Lua, me bateu uma vontade danada de não ir embora sem conhecer aquele lugar, mas infelizmente, não deu. Começamos a subir um longo vale, cheio de curvas sinuosas e montanhas de tons avermelhados. E claro, com a altitude veio o frio, que não estava nos meus planos e de nenhum de nós. Ninguém vestiu segunda pele naquele dia, pensamos que seria um dia normal, com temperatura amena. Fomos subindo e a temperatura caindo. Não imaginava que ainda teríamos que encarar altitude naquela parte da viagem. Estávamos a mais de 3.000 metros, neblina e frio. Fizemos uma parada à beira da estrada, pois todos precisavam se agasalhar melhor. Todo mundo vestiu segundas peles, luvas térmicas e até uma bala de coca era bem vinda, a altitude mostrava seus sinais.

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/IMG_5676_zpsmnxttbek.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/IMG_5676_zpsmnxttbek.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/IMG_5678_zpsmfmolzn2.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/IMG_5678_zpsmfmolzn2.jpg.html)

Mais a frente, cruzamos por dois motociclistas europeus, a bordo de duas XT660R, as motos estavam muito carregadas, uma delas parecia que tinha no banco traseiro uma espécie de caixote e não baú como estamos acostumados. Sem contar na sujeira, acho que eles deviam ter cruzado a Bolivia inteira para estarem daquele jeito, ou talvez terem vindo pelo Paso Sico, enfim, sei lá. Passamos por eles e os cumprimentamos.

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/IMG_5686_zpsczsp0dvp.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/IMG_5686_zpsczsp0dvp.jpg.html)

No Chile existem muitas fazendas eólicas, e neste trecho passamos pela primeira delas na nossa viagem. É de perder as contas de quantas unidades tem espalhados pelo deserto. São enormes e deslocam uma grande quantidade de vento para produzir energia. Lá eles são obrigados a aproveitar as energias do vento, pois é um país que tirando a costa do Pacífico, quase não tem água, os rios estão secos onde ainda existem os leitos deles.
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0849_zps0zm8yc2f.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0849_zps0zm8yc2f.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0854_zpsaw5ccpy9.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0854_zpsaw5ccpy9.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0861_zpsn6h8swxf.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0861_zpsn6h8swxf.jpg.html)

Chegamos em Calama e fomos abastecer as motos, paramos num Posto Shell e dois frentistas estressados vieram nos atender. Terminaram de abastecer e já gritaram para que tirassemos as motos. Pedimos para usar o banheiro e eles falaram que não tinha. Tudo bem, fazer o que. Fomos para o Petrobrás em frente ao Shell, lá, havia banheiro na conveniencia, pelo preço de 300 Pesos chilenos. Argumentamos que iriamos comer alguma coisa e a resposta foi: NO IMPORTA!!! Eu hei, povo chileno estressado viu. Mas enfim, vamos adiante.
Na saída de Calama, uma linda serra serpenteava uma montanha desértica, lá de cima, dava pra ver a cidade lá embaixo. E começava a aparecer as placas indicando a mina de Chuquicamata. Maior mina de cobre a céu aberto do mundo. Estava agendada uma visita nesta mina, porém, para o dia seguinte, pois estava nos planos ficar até segunda em San Pedro, porém, como o mau tempo nos adiantou um dia, resolvemos seguir adiante. Mais na frente vimos uma grande fila de caçambas de modelo fora de estrada. Aquelas com grandes rodas e com capacidade de carga absurda, devia ter umas 20 enfileiradas. Nossa, que pena, queria muito conhecer aquele lugar. Mas, planejar a viagem é bom, porém, é necessário estar preparado para ocorrer mudanças e alguns imprevistos. Felizmente não tivemos nenhum tipo de problema grave, porém, esta foi uma das pequenas mudanças, mas nada que tirasse o brilho da viagem.
De Calama, dá pra ir direto a Tocopilla e Antofagasta, porém, fomos mais ao norte, Saimos da Ruta 23 e pegamos a Ruta 5, nosso destino era Iquique e a região de Alto Hospicio, onde fica a cidade fantasma de Santiago de Humberstone. Já vou contar sobre esta parte, mas antes vou discorrer sobre o trajeto até lá.
A temperatura já tinha subido novamente, era hora de tirar as luvas e demais roupas extras, já estávamos com temperatura na casa dos 30º. Neste trajeto, existem vários locais indicados como "EX OFICINAS", trata-se de pequenos povoados que existiram no passado, devido a mineração no local. Com o fim das minerações na região, os povoados foram abandonados, para trás, ficaram escombros e algumas paredes de casas e prédios que existiam.
Na divisa das regiões, para nós chamado de estado, tivemos que parar num posto de controle. Pensei que se tratava apenas para turistas, porém, todos carros, ônibus e caminhões paravam lá. Era necessário apresentar passaporte e carimbar uma folha que recebemos lá no Paso Jama. Aproveitamos para um lanche num pequeno quiosque que havia lá. Era o que tinha, mas a moça fez uns lanches enormes e muito saborosos. Tomei um café em seguida e lá fomos nós novamente.
Este trecho é bastante deserto, sem cidades ou povoados. Mas no meio daquele deserto, passamos pela reserva nacional do Tamarugal, um lugar com muitas árvores e bastante verde, nem parecia que estávamos no meio do deserto. Mais a frente, paramos no que parecia um posto COPEC, mas só havia duas bombas, nem telhado tinha.
Fomos no bar que havia anexo, um lugar bastante antigo, decorado com muitas placas antigas e parecia que estávamos nos anos 50. Acredito que aquele bar seja um resquicio dos tempos aureos da mineração na região. Dentro do bar, música bem alta, com clássicos dos anos 80. Uma volta ao tempo. A dona do bar, bastante simpática, disse que lá é sempre assim. Muita música para fazer todas as atividades do seu dia a dia.

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/IMG_0726_zps0wtvkn3t.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/IMG_0726_zps0wtvkn3t.jpg.html)



(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/IMG_0728_zpsy2nphtqk.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/IMG_0728_zpsy2nphtqk.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/IMG_0727_zpstbh8z5cb.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/IMG_0727_zpstbh8z5cb.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/IMG_0731_zpsucbw3aqz.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/IMG_0731_zpsucbw3aqz.jpg.html)
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/IMG_0732_zpsuncp0mo5.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/IMG_0732_zpsuncp0mo5.jpg.html)

Estávamos quase chegando ao ponto alto daquele dia: A cidade fantasma de Humberstone, a poucos quilômetros dali, já avista as placas indicando para virar a direita e cruzar a rodovia. Avistei a cidade de longe e fiquei muito animado. Este era um dos lugares que mais esperava conhecer. Desde que assisti o DVD Caminhos da América, fiquei muito curioso para conhecer aquele lugar.
Vamos à história: Santiago de Humberstone foi fundada no final do século 19, com a finalidade da produção do salitre e abrigar os seus trabalhadores. Lá também funcionava uma fábrica de iodo e de outras coisas. É uma cidade completa, com casas, hospital, escolas, igreja, praça, corpo de bombeiros, hotel, teatro e claro, a fábrica que funcionava ao fundo. Em 1960 as fábricas são paralisadas e em 1969 o último morador deixa a cidade. Em 2005 o local é reconhecido como patrimonio da humanidade pela UNESCO, e vira ponto turistico e de preservação da história local.
Para entrar na cidade o custo é de 5.000 pesos chilenos se não engano. E prontamente o vigia do local nos indicou um local para guardarmos capacetes, jaquetas, etc.
A principio é um passeio bastante mórbido. Imagina você andar num lugar que é uma cidade inteira, porém, lá não vive ninguém a mais de 50 anos.
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0992_zpstg95gljb.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0992_zpstg95gljb.jpg.html)

São vários prédios, todos bastante preservados e alguns, montados como se as pessoas tivessem acabado de sair dali. Um exemplo é a casa do médico, tem o seu consultório, com utensilios, máquina de escrever, quarto das crianças com brinquedos e berço arrumado. Pela parede, algumas fotos da família, enfim, uma casa completa.
Algumas casas exibem alguns utensílios, como latas de alimentos, equipamentos elétricos e todo tipo de coisa daquele lugar.

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0872_zpsmix0lywq.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0872_zpsmix0lywq.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0875_zpsi7sevq5d.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0875_zpsi7sevq5d.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0877_zpser7iqlq5.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0877_zpser7iqlq5.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0878_zpsi8zc0qpc.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0878_zpsi8zc0qpc.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0887_zpshhbgyrrv.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0887_zpshhbgyrrv.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0890_zps2mahyoki.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0890_zps2mahyoki.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0895_zpstshbo6gl.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0895_zpstshbo6gl.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0897_zpsb2u2o0zl.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0897_zpsb2u2o0zl.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0908_zpso9d0hg5u.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0908_zpso9d0hg5u.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0909_zpsqvuy2erw.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0909_zpsqvuy2erw.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0916_zpsevpfj3zj.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0916_zpsevpfj3zj.jpg.html)

Fomos conhecer a planta de produção de salitre e iodo, primeiro a casa de máquinas. Onde dois grandes motores ainda estão lá, impressionante ver tudo aquilo abandonado. São enormes galpões de zinco, com algumas folhas soltas que se batem com o vento e aumentam o clima propício de uma cidade fantasma.
Fomos ao setor de manutenção, onde cada galpão era uma oficina diferente. Oficina das máquinas a vapor, máquinas elétricas e mecânica em geral. São inúmeras coisas lá, como vagões de trem, guindastes, grandes engrenagens e painéis elétricos.
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0933_zpsdyjewfws.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0933_zpsdyjewfws.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0920_zps2arim0ov.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0920_zps2arim0ov.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0923_zpsg7h9rdrx.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0923_zpsg7h9rdrx.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0925_zps9wnt9q5i.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0925_zps9wnt9q5i.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0934_zpsssnipxka.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0934_zpsssnipxka.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0929_zpsmkf4qjoe.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0929_zpsmkf4qjoe.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0929_zpsmkf4qjoe.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0929_zpsmkf4qjoe.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0946_zpsw7uei8oz.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0946_zpsw7uei8oz.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0947_zpsvua2lvof.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0947_zpsvua2lvof.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0948_zpsjcl3c8ro.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0948_zpsjcl3c8ro.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0919_zpscxwradvx.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0919_zpscxwradvx.jpg.html)
De lá, fomos para a cidade. Esta é a parte mais mórbida, primeiro fomos ao teatro. Um grande prédio que para mim pareceu ser de madeira por fora. Tirem as suas conclusões. Este ficava na praça central da cidade, onde concentrava os principais atrativos da cidade naquela época. Dentro dele, parece que nunca ficou abandonado, todas as cadeiras arrumadas, um grande palco com cortinas vermelhas completam o cenário. No teto, uma espécie de claraboia, fazia um barulho estranho e algo se mexia. Paramos por alguns minutos e ficamos olhando para cima, um pouco assustados, depois descobrimos que eram uns panos pretos que balançavam com o vento.
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0964_zpsko51isod.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0964_zpsko51isod.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0967_zpsxlgkakxe.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0967_zpsxlgkakxe.jpg.html)

Fomos à escola, com trabalhos pendurados nas paredes, carteiras de madeira e quadros negros, como se as crianças estivessem de férias escolares. Um lugar que depois descobrimos uma história bastante triste.

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0982_zpspesvjvjz.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0982_zpspesvjvjz.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0980_zpstmrhonxr.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0980_zpstmrhonxr.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0983_zps5f8mvwni.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0983_zps5f8mvwni.jpg.html)

Fomos ao centro de compras da cidade, que atualmente é um dos poucos lugares que pessoas trabalham por lá. São algumas lojas de artesanatos e uma pequena lanchonete. Comprei um jogo de copos decorado com couro e pintado à mão. Ainda visitamos a igreja, muito bonita, com um crucifixo grande no altar e um belo terço emoldurado.
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0978_zpshzujqvqz.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0978_zpshzujqvqz.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0986_zpsctafxj8a.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0986_zpsctafxj8a.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0956_zps6xagf7vt.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0956_zps6xagf7vt.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0955_zpsgeyryk54.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0955_zpsgeyryk54.jpg.html)

A UNESCO vem mantendo o lugar a quase 10 anos, preservando a história daquele local. Há muitas casas dos operários e o hotel ainda na praça, todos lá, para serem visitados. Nas paredes, existem várias pichações datadas dos anos 80, época que aquele local estava largado à degradação do tempo. Porém, isso é curioso, após tantos anos lá, o estado das coisas é bastante bom ainda. Acredito que seja por ser um lugar que chove muito pouco e que se tem baixissima umidade do ar. Isso faz com que a corrosão ocorra de forma mais lenta.
Na saída da cidade, um senhor fazia o trabalho de cuidar dos carros, em troca de algum dinheiro. Ele foi muito simpático, nos contou que sua esposa nascera naquela cidade. Também nos contou que durante a guerra do Pacífico, a cidade fora invadida e dentro da escola que visitamos, houve uma grande chacina com a morte de 270 crianças. Imagina que coisa mais triste. Também nos contou a história de uma mulher de branco que anda pela cidade a noite a procura do seu noivo. Saimos de lá bem antes do sol se por. Humberstone é um lugar incrível, recomendo a quem for ao Chile e tiver a oportunidade, que visite aquele lugar, vale muito a pena.
Rumamos pela Ruta 16 com destino a Iquique. A ruta 16 está em obras, quase toda duplicada e em breve cobrando pedágio, felizmente passamos batidos. Mais a frente dava pra seguir para Iquique via Alto Hospicio ou virar a direita por uma serra que não me lembro o nome. Só lembro que tinha algo como "Los Toros" no nome. Meu GPS mandou virar a direita e as placas mandavam seguir reto. Passei reto, depois deu peso na consciencia e voltamos para virar a direita. E foi acertado, pois pegamos uma serra linda, descemos um bocado até chegarmos em Iquique.
Iquique é uma cidade portuária, na entrada vimos muitos depósitos de máquinas, carros e containers. Todo tipo de coisas. Naquele lugar uma coisa me intrigava. Estávamos a 500 metros sobre o nivel do mar, porém, Iquique é uma cidade litorânea, eu me perguntava onde estava o mar. Visto que estávamos num nivel tão alto com relação ao Pacífico. Passamos por um bairro com casas amontoadas, muitos carros nas ruas e aparentemente um pouco perigoso. Pegamos um desvio devido a um desfile de carnaval que estava acontecendo, as ruas eram estreitas e haviam muitos carros estacionados sobre calçadas e na rua mesmo.
Continuamos andando e eu intrigado com o mar, depois de andarmos alguns quilometros por uma grande avenida, tive uma grande surpresa. Avistamos o mar, lá embaixo, bem distante de nós, e na nossa frente uma longa serra de pista dupla, em meio à dunas de areia, e entre a cidade e nós, havia outra duna enorme. Foi muito legal ver aquela vista do Oceano Pacífico, era a primeira vez que ele se apresentava para nós durante a viagem. Fomos descendo aquela grande encosta e logo estávamos rodando no centro da cidade. Iquique é uma cidade bastante antiga, tem uma grande avenida no centro, chamada Paseo Baquedano, com casarões antigos, de pé direito alto e com cara de terem sido construidos a muitos anos. Todos bem conservados. Esta avenida é na verdade um grande calçadão, ainda há os trilhos do bondinho nele. O que assusta nesta cidade é a quantidade de placas alertando sobre áreas de evacuação de Tsunamis. Confesso que isso assusta um pouco. Ficamos no hotel LA GRAN CASONA, que fica no Paseo Baquedano. Era uma grande casa antiga, totalmente reformada no seu interior, com vários andares que por fora não dava para ver. Não havia garagem, porém, nos fundos havia um ginásio que nos foi disponibilizado para estacionarmos as motos.
Tentamos ir no mesmo dia até a ZOFRI, um grande shopping com todo tipo de coisas. Óculos, perfumes, eletrônicos, relógios, roupas, etc etc.
Pegamos um taxi, e lá, os taxis não possuem taximetro. Você combina o valor com o taxista e ele te leva. O taxista era um chileno muito simpático, que nos contou que nasceu em Humberstone, questionei ele sobre a lenda da noiva e da chacina das crianças. Ele confirmou a história e que a lenda rola pelo Chile da noiva. Também nos contou que naquele dia pela manhã, fora sentido um abalo sismico lá. Com Epicentro na Argentina, para nossa sorte não presenciamos o ocorrido. E para nossa tristeza, a ZOFRI estava fechada, era domingo, pensei que abria, mas não deu certo. Estávamos conversando sobre a quantidade de carros diferentes dos que temos no Brasil, e também da quantidade de carros usados vindos do Japão e China que iam para Bolivia e Paraguai. O taxista nos levou conhecer a região portuária, onde haviam várias lojas de carros usados. Segundo ele, vindo dos Estados Unidos. Os preços beiram o ridiculo se comparados aos preços brasileiros. Um New Beetle, custa em torno de U$5.000,00. Um popular equivalente ao Gol, custa U$1.000,00. Porém, há uma ressalva, só podem rodar dentro da região de Antofagasta, ou seja, não podem sair do estado por um período de 5 anos se não me engano.
Voltamos para o centro e fomos ver o famoso por do sol no Pacífico. Sem dúvidas, um grande show! Bastante marcante, saber que no nosso lado do continente, vemos o sol nascer no Oceano Atlântico, e que, naquele momento estávamos do outro do lado do continente, assistindo o sol se por no Oceano Pacífico. Ficamos por mais de meia hora lá, contemplando aquele belo espetáculo.
Jantamos num restaurante no Paseo Baquedano, tomamos umas Corona e relaxamos, a noite estava agradável. Era o fim daquele frio todo a noite, pudemos curtir a noite numa boa, depois cama, pq no dia seguinte tinha muito mais.

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/IMG_0738_zpsr2hteqzx.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/IMG_0738_zpsr2hteqzx.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/IMG_0748_zpshjp4r5ly.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/IMG_0748_zpshjp4r5ly.jpg.html)

"Relato extraído do Blog - www.insetonocapacete.com"
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: em Maio 29, 2015, 05:47:08 am
Ficou curioso pela noiva né?

tapatalk do Zô.
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: João_Biela em Maio 29, 2015, 06:03:03 am
Cara esses lugares parecem Silent Hill, que medo desses lugares a noite! VAPUUUU
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Patrick em Maio 29, 2015, 07:23:03 am
Ficou curioso pela noiva né?

tapatalk do Zô.

kkkkk... Deu vontade de esperar anoitecer...  calada1 calada1 calada1 calada1 calada1

Cara esses lugares parecem Silent Hill, que medo desses lugares a noite! VAPUUUU

Mano, pensa num lugar mórbido, mas valeu a pena a visita, teria ficado mais tempo lá.
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: João_Biela em Maio 29, 2015, 07:31:06 am
kkkkk... Deu vontade de esperar anoitecer...  calada1 calada1 calada1 calada1 calada1

Mano, pensa num lugar mórbido, mas valeu a pena a visita, teria ficado mais tempo lá.


Sélokooo! Eu não teria ficado lá a noite neeeem amarrado!  i.aia; i.aia; i.aia;
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Patrick em Maio 29, 2015, 07:36:16 am

Sélokooo! Eu não teria ficado lá a noite neeeem amarrado!  i.aia; i.aia; i.aia;

kkkk, rasga tanga... PRONTO FALEI! uauauaua

Mas falando sério, é um passeio muito legal, apesar que as energias que correm naquele lugar não são das melhores... hehehehe
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: João_Biela em Maio 29, 2015, 08:14:36 am
Sabes que vendo as fotos imaginei isso, deve ser um ambiente carregado, mesmo com tanto sal por perto!  kkkkk; kkkkk; kkkkk;
Aquelas fotos antigas, ambientes vazios, utensílios abandonados, tava pensando exatamente nisso...
Meu terço que anda no bolso da calça chegaria a ferver!  i.aia; i.aia; i.aia;
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: jabahandebol em Maio 29, 2015, 10:53:21 am
Bom demaisssssssssss.
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Dr.MD em Maio 29, 2015, 02:57:49 pm
Estou tendo problemas com a patroa.

A cada dia da mais vontade de fazer o mesmo, e o bico dela tá aumentando . . .  :hein :hein :hein
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: verdinho em Maio 29, 2015, 11:01:11 pm
Patrick como sempre dando show nos relatos de viagens.  .clap .clap .clap .clap .clap
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Patrick em Maio 29, 2015, 11:37:42 pm
Sabes que vendo as fotos imaginei isso, deve ser um ambiente carregado, mesmo com tanto sal por perto!  kkkkk; kkkkk; kkkkk;
Aquelas fotos antigas, ambientes vazios, utensílios abandonados, tava pensando exatamente nisso...
Meu terço que anda no bolso da calça chegaria a ferver!  i.aia; i.aia; i.aia;
hahaha, terço com vibra call Biela? uauauaua

Bom demaisssssssssss.

 ,10468 ,10468 ,10468 ,10468


Leva ela junto! Ela não vai se arrepender. Se quiser, peço pra minha patroa falar com ela...

Patrick como sempre dando show nos relatos de viagens.  .clap .clap .clap .clap .clap
Estou tendo problemas com a patroa.

A cada dia da mais vontade de fazer o mesmo, e o bico dela tá aumentando . . .  :hein :hein :hein

Verdinho, saudades de você.. Acho que não moramos mais na mesma cidade... uauaua

Valeu meu queriduuu... Vamos combinar alguma coisa
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: João_Biela em Maio 29, 2015, 11:44:12 pm
hahaha, terço com vibra call Biela? uauauaua

Irmão não chega a vibrar, mas ajuda!  kkkkk; kkkkk; kkkkk; kkkkk; kkkkk;
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: tom crazy em Maio 30, 2015, 05:06:45 am
Durante a viagem fui acompanhando as fotos do face, mas não tinha parado pra ler o relato pós viagem. Hoje pensei, vou começar a ler o relato, acabei lendo todas as páginas até aqui. Show de bola  combeb04 combeb04 combeb04
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Patrick em Maio 30, 2015, 08:33:19 am
Durante a viagem fui acompanhando as fotos do face, mas não tinha parado pra ler o relato pós viagem. Hoje pensei, vou começar a ler o relato, acabei lendo todas as páginas até aqui. Show de bola  combeb04 combeb04 combeb04

Valeu Tom, vou postar mais um dia agora...
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Patrick em Maio 30, 2015, 08:37:58 am
Dia 10 - Iquique - 0Km
09 de fevereiro, uma data muito especial, pelo menos para mim. Este é o dia do meu aniversário, e em 2015 me dei de presente a realização deste sonho de ir para o Atacama de moto. Era o dia do meu aniversário, longe de casa, da minha mãe e da maioria dos meus amigos. Porém, eu estava muito feliz, pois estava realizando um sonho antigo, postergado por diversos motivos anteriormente. Também não sou hipócrita em achar que demorei para realizar, ao meu ver, tudo aconteceu no tempo que deveria acontecer. Tive como me preparar, pessoal, financeira e psicologicamente da melhor forma. Estava fazendo as coisas no tempo que tinham que acontecer. Agradeço demais a Deus por tudo. Estava tudo perfeito.
E o dia já começou com fortes emoções. A Sara me preparou uma surpresa incrível. Estávamos tomando café da manhã e ela disse que tinha um vídeo para me mostrar. Era o Biela meu amigo de Ribeirão Preto, me desejando feliz aniversário. Nossa, isso já foi demais, pois o Biela é um amigo que considero demais e ele tinha enviado um vídeo para me desejar os parabéns. Porém, não parou por aí, tinha muitos videos de amigos me desejando os parabéns. Como meus amigos já sabem, sou chorão, e não teve como conter a emoção. Chorei a cada vídeo. Foi muito emocionante, estar tão longe de todos e mesmo assim ser agraciado com tamanho carinho. Inclusive minha mãe, meu pai e meus irmãos mandaram feliz aniversário. Me senti abraçado por todos, foi demais. Agradeço a todos vocês pelo carinho, como sempre digo: Quem tem amigos, tem tudo!! Prometo editar os videos e postar aqui pra vocês verem.
O dia era de compras, fomos para a ZOFRI, uma área de livre comércio da cidade. Um grande shopping como todo o tipo de produto. Roupas, óculos, perfumes, etc. Chegamos antes das 10:00 pois eu havia me informado e o horário de abertura seria as 10:00. O nosso intuito era fazer as compras e no inicio da tarde partir para Antofagasta. Porém, ao chegarmos lá, descobrimos que só abriria as 11:00. O jeito era esperar, e também decidimos permanecer mais uma noite na cidade para no dia seguinte partir para Antofagasta.
A ZOFRI é uma tentação, a Sara me deu um óculos de aniversário. Compramos perfumes, bastão para GO PRO entre outras coisas. Já aproveitamos e almoçamos lá mesmo.
Voltamos para o hotel no início da tarde e quando chegamos na recepção, o dono do hotel veio até nós e nos disse que havia tirado as nossas coisas dos quarto e colocado no corredor. Eu não avisei que ficaríamos mais uma noite, até porque não sabíamos que ficaríamos lá. E eles estavam com reservas feitas para o dia seguinte. O Gilmar ficou preocupado e subiu correndo para os quartos para ver se as nossas coisas estavam no corredor. Imagina, capacetes, Câmeras, baús. Porém, conversando melhor com o dono do hotel, ele explicou que colocou tudo num quarto só e as coisas estavam acomodadas. Foi um momento de preocupação, pois a cidade estava cheia de turistas e seria difícil conseguir outro hotel naquela altura do campeonato. Porém, o dono do hotel foi muito prestativo. Ligou para outro hotel,  que pelo que entendi, ele é sócio, e conseguiu nos acomodar por lá. Este hotel não tinha café da manhã nem garagem, porém, ele disse que deixássemos as motos lá e que no dia seguinte viéssemos tomar café ali.
As meninas foram com ele de carro até o outro hotel, aproximadamente uns 1.000 metros dali, e nós seguimos a pé mesmo. Saímos do hotel La Gran Casona e fomos para La Casona. O Senhor Jaime nos recebeu, um chileno bastante simpático, conversamos por um bom tempo no jardim nos fundos do hotel. Uma grande casa histórica, toda reformada e com ambiente bastante acolhedor. Aproveitamos para lavar algumas roupas e estender no amplo terraço do hotel.
Fomos finalmente ver o espetáculo do por do sol no Pacífico. O Gilmar gravou em "time-lapse", foi um belo espetáculo, e bastante marcante. Estávamos do outro lado do continente, vendo o sol se por, sendo que aqui no Brasil, o sol nasce no mar. No finalzinho do por do sol, um grande navio cargueiro ficou em frente ao sol, um grande espetáculo.
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/IMG_0785_zpsogptpkkf.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/IMG_0785_zpsogptpkkf.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/IMG_0779_zpszn7k7dyb.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/IMG_0779_zpszn7k7dyb.jpg.html)

Passeamos pela Paseo Baquedano, um grande calçadão com casas históricas e também com trilhos do bondinho. Que acredito que não circule mais. No inicio da Paseo, conhecemos o Casino Español, uma construção com mais de 100 anos, onde inicialmente fora mesmo um cassino, porém, atualmente é um restaurante. É uma construção muito bonita, com paredes pintadas a mão, vitrais, etc.
Jantamos num café próximo e fomos para o hotel dormir, dia seguinte Antofagasta nos esperava.

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/IMG_0784_zpsqd3fg3bt.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/IMG_0784_zpsqd3fg3bt.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/IMG_0789_zpsyjwdiaoj.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/IMG_0789_zpsyjwdiaoj.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/IMG_0793_zps7qcuhbvq.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/IMG_0793_zps7qcuhbvq.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/IMG_0782_zpsepuacgm4.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/IMG_0782_zpsepuacgm4.jpg.html)

"Relato extraído do Blog - www.insetonocapacete.com"
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Fabio dos santos em Maio 30, 2015, 08:45:19 am
Acompanhando e viajando junto parabens Patrick. :salut: :salut:
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: em Maio 30, 2015, 09:11:31 am
 boa, depois posta o video da galera

tapatalk do Zô.
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Patrick em Maio 30, 2015, 09:16:56 am
boa, depois posta o video da galera

tapatalk do Zô.

Zô, o video não está comigo...
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: tom crazy em Maio 30, 2015, 09:46:32 am
Zô, o video não está comigo...
Te vira, também quero ver  :hihihi :hihihi :hihihi :hihihi
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: jabahandebol em Maio 30, 2015, 10:03:45 am
Já tenho até hora marcada para ler os relatos.
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: ROMERO em Maio 30, 2015, 10:24:17 am
Parece um REI sentado na poltrona.  :hihihi :hihihi :hihihi kkkkk; kkkkk; kkkkk;

@braços
Título: Re:Exepdição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Gomes em Maio 30, 2015, 11:50:19 am
Show de bola, Patrick!

Estranho que lembrei de um conhecido que comentou a mesma coisa quando viajou pro Chile... "Lá a gente vê o pôr do sol no mar" Ele tinha ficado tão impressionado com isso que toda hora falava, de tão encantado que ficou com a cena.

Até deu vontade de adiantar os relatos vendo no blog, mas vou esperar pra acompanhar no FOL.  rit50

Ah, também tô na espera dos vídeos da galera!  :hihihi

 :cheers:

Gomes.
Título: Re:Expedição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Patrick em Junho 01, 2015, 11:17:29 am
Dia 11 - Iquique x Antofagasta - 436 Kms
Mais um dia na estrada, e este bastante especial. Iamos andar na Ruta 1 ou Ruta Panamericana, uma rodovia que vai pela beira da costa do Pacífico por mais de 400 quilômetros.
Saímos do hotel e fomos abastecer as motos. Já no posto a Sara deixou cair seu celular, só que ela não viu, felizmente naquela hora eu estava olhando para ela e percebi que o telefone havia caido. Infelizmente a tela do telefone não funcionou mais. Mas pelo menos não perdeu o aparelho.
Partimos em direção à Antofagasta, um caminho bastante tranquilo, com longas retas e de um lado o deserto, com grandes montanhas, e do lado direto, o mar, com toda a sua beleza de águas de tons de verde, muitas encostas de pedras onde o mar quebrava enormes ondas.
Pelo caminho, muitos carros e caminhões de mineradoras. A base da economia chilena. São grandes caminhões com capacidade de carga muito grande.
A Ruta Panamericana estava nos meus planos a muito tempo, desde que li alguma coisa sobre ela num blog de um motociclista que foi para la de Fazer 250cc. É um belo visual passar por aquele caminho à beira do oceano Pacífico.
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/DSC_0013_zpsltobs3sf.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/DSC_0013_zpsltobs3sf.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_1002_zpsyy7rystw.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_1002_zpsyy7rystw.jpg.html)

No Chile não dá pra se descuidar com a polícia, eles estão por todos os cantos e são rigorosos com excessos de velocidade. Um parâmetro que levei em conta, foi os motoristas locais. Dificilmente vemos algum motorista chileno andando além dos limites estabelecidos, então, o jeito era andar no mesmo ritmo. Se eles que são de lá respeitam, nós vamos respeitar também. Diferente da Argentina, onde os locais aceleram mesmo, andam forte e não está preocupados com a policia.
Então o jeito era curtir a paisagem e seguir olhando para deserto à esquerda e mar à direita. Em alguns pontos, passávamos à uma certa altura do mar, onde dava para avistar as encostas e rochedos onde as ondas estouravam.

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogDSC_0997_zpsq8zuq38q.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogDSC_0997_zpsq8zuq38q.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/DSC_0004_zpsmlfxynw5.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/DSC_0004_zpsmlfxynw5.jpg.html)

Também passamos por diversas praias, com grandes campings. Como já falei anteriormente, era época de férias, e assim como os argentinos, os chilenos gostam muito de viajar. Eram campings enormes, que pareciam pequenas cidades de barracas, algumas maiores que as outras, com lonas formando espécies de "povoados" de barracas. Bastante curioso pelo menos para mim.
Passamos por Tocopilla, onde fomos abastecer num Posto Shell e comer alguma coisa. Pagamos até os copos descartáveis que usamos para consumir os refrigerantes comprados lá mesmo. Sem contar no banheiro e no péssimo atendimento.
Mais adiante, a estrada se tornava uma grande auto pista, indicando que estávamos perto de Antofagasta, passamos pelo aeroporto local e logo em seguida, meu GPS e as placas indicando o monumento natural chamado "La Portada".
Fica às margens da rodovia, num lugar muito bonito, com um grande mirante, com bar, banheiros, etc. Não é cobrado para entrar lá. Avistei uma escadaria que dava acesso à praia, porém, está interditado.
O monumento é muito bonito, uma bela obra da natureza, não tem intervenção do homem naquele local.

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/DSC_0036_zpsnhmelvvu.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/DSC_0036_zpsnhmelvvu.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/DSC_0034_zpspskkk8hq.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/DSC_0034_zpspskkk8hq.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/DSC_0016_zpsa5jkak1p.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/DSC_0016_zpsa5jkak1p.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/DSC_0027_zps6a3lihgr.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/DSC_0027_zps6a3lihgr.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/DSC_0038_zpsy7eh2o2z.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/DSC_0038_zpsy7eh2o2z.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/DSC_0046_zpsypvmyuo6.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/DSC_0046_zpsypvmyuo6.jpg.html)
De lá partimos para a cidade, onde fomos para o Hotel Spark, um belo hotel à 2 quadras do mar. Estávamos merecendo aquele nível de conforto. Era um hotel digno de 5 estrelas, com camas amplas, lençóis brancos e tudo mais. Foram 73 dólares muito bem pagos.
Lá em Antofagasta, do lado do hotel havia uma troca de óleo, mas nada parecida com as nossas no Brasil. Consistia numa casa, com os produtos expostos e quando o cliente chegava, era prontamente atendido na calçada mesmo. Sem elevador, apenas as ferramentas e uma bacia para coletar o óleo velho.
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/IMG_0808_zpsnv7wpijn.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/IMG_0808_zpsnv7wpijn.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/IMG_0809_zpsbzyjl2bf.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/IMG_0809_zpsbzyjl2bf.jpg.html)

Fomos assistir o por do sol novamente no Pacífico, e eu aproveitei para molhar meus pés nas águas do oceano.
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/IMG_0814_zpsksfgy4z5.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/IMG_0814_zpsksfgy4z5.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/DSC_0077_zpsvu8nuukb.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/DSC_0077_zpsvu8nuukb.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/DSC_0079_zpsxx9kebg7.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/DSC_0079_zpsxx9kebg7.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/DSC_0081_zpssezfyty9.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/DSC_0081_zpssezfyty9.jpg.html)

Jantamos de frente para o mar num restaurante de culinária peruana. Com direito a Pisco Sour e tudo mais.
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/IMG_0832_zpsgl86edi1.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/IMG_0832_zpsgl86edi1.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/IMG_0834_zpsvwftk1g1.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/IMG_0834_zpsvwftk1g1.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/IMG_0835_zpsuiulom7y.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/IMG_0835_zpsuiulom7y.jpg.html)

Foi uma bela noite, ótima para dar uma revigorada e continuar na nossa viagem
Título: Re:Expedição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: João_Biela em Junho 02, 2015, 12:33:38 am
 .clap .clap .clap .clap .clap .clap

No Chile também tem a pedra furada!  kkkkk; kkkkk; kkkkk;
Título: Re:Expedição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Resmungão em Junho 02, 2015, 02:28:48 am
Biela, pensei a mesma coisa ao ver a foto  :thumleft:
Título: Re:Expedição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: João_Biela em Junho 02, 2015, 02:46:48 am
Biela, pensei a mesma coisa ao ver a foto  :thumleft:

 :salut: ,10468
Título: Re:Expedição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Bastião (Giovani Buzzi) em Junho 02, 2015, 02:48:03 am
Show de relato  .clap .clap .clap

A vida é feita de emoções. E emoção é que não falta no seu texto. Estou viajando e sentindo a viagem a cada linha dos seus posts.

Título: Re:Expedição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Patrick em Junho 02, 2015, 06:23:16 am
Show de relato  .clap .clap .clap

A vida é feita de emoções. E emoção é que não falta no seu texto. Estou viajando e sentindo a viagem a cada linha dos seus posts.

Obrigado Bastião!!! O próximo dia foi também de grande emoção, vou tentar postar hoje ainda.


Abraço
Título: Re:Expedição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Patrick em Junho 02, 2015, 09:48:15 am
Dia 12 - Antofagasta x Vallenar - 732 Kms
Depois de uma noite revigorante naquele hotel de Antofagasta, era hora de partir. Mas antes ainda tomamos um belo café da manhã digno dos hotéis das serras gaúcha e catarinense. Fazia alguns dias que não tomávamos um café com tamanha variedade de doces, salgados e pães. Normalmente era apenas 1 pão, uma xícara de café e manteiga. O Hotel Spark atendeu e superou todas nossas expectativas em Antofagasta, recomendo a todos. Mas recomendo reservar com antecedência, pois aparentemente está sempre lotado.
Estava um belo dia de sol, sem nenhuma nuvem no céu, e nosso primeiro destino era a Mão do Deserto. Que fica a 50 quilômetros de Antofagasta no sentido sul. Era o ponto que dava nome à nossa expedição e que tinha grande importância para mim, e para muitos motociclistas que vão até lá. Apesar do sol e céu limpo, a temperatura era bastante amena, na casa dos 20°, e tinha um pouco de vento.
Pegamos a Ruta 5, em direção ao sul, era o início da volta pra casa, porém, com muitas coisas pelo caminho para ver. E aquele dia era muito especial. Finalmente chegaríamos a mão do Deserto. Já ouvi que é apenas uma escultura de concreto no deserto, porém, de tanto ver fotos e relatos de motociclistas que foram até lá, e ver o quanto alguns consideram aquele local, criei uma grande vontade de ir lá. Para mim, foi o marco da viagem. O marco do sonho realizado. Estar lá, do outro lado do nosso continente, a bordo de uma moto, era uma aventura que para muitos que conheço, um pouco comum, porém, para tantos outros, uma loucura. Para mim, um sonho antigo, um desejo que carreguei por anos e que finalmente se tornava realidade.
Passamos o trevo onde vai em direção ao litoral e pelo mapa do GPS via o alfinete da mão se aproximando cada vez mais. Até que a mão começava a dar o seu ar da graça, no horizonte, em meio à todo aquele deserto, uma grande mão surgia, um momento inesquecível para mim. E bastante emocionante também. Dentro do meu capacete, um filme passava na minha cabeça, as dificuldades, as desistencias em outras épocas da viagem, enfim. Tudo passou rápido na minha cabeça. E ao mesmo tempo eu pensava: Nossa, chegamos aqui! Eu não acredito. E você leitor, deve estar se perguntando: Nossa, tudo isso por causa de uma escultura? Sim caro leitor, tudo isso por chegar numa mão de concreto. Do outro lado do nosso continente, depois de rodar uns 4.000 quilômetros, passar frio e calor, e graças a Deus pouca chuva. Depois de ver muita gente chegar lá, chegava a minha vez. Agradecia a Deus por aquilo tudo, por estar ali com segurança e pedia a Deus que nos protegesse na volta, que ainda era longa. Eu estava realizado naquele momento.
Tiramos muitas fotos, esperamos um pouco para que alguns turistas terminassem as suas fotos para que começássemos o nosso "book". Inclusive, tiramos fotos nas costas da mão, muito bem feita, com todos os detalhes de uma mão de verdade.
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/G0744932_zpskjnt5i2d.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/G0744932_zpskjnt5i2d.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/G0754936_zpsnjedubjm.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/G0754936_zpsnjedubjm.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/DSC_0090_zpsxub1jars.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/DSC_0090_zpsxub1jars.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/DSC_0096_zpshpecfrwh.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/DSC_0096_zpshpecfrwh.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/DSC_0109_zpsyos6iugz.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/DSC_0109_zpsyos6iugz.jpg.html)



(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/DSC_0115_zpsmnjne523.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/DSC_0115_zpsmnjne523.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/DSC_0121_zpsotb9dule.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/DSC_0121_zpsotb9dule.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/DSC_0128_zpscgg0arhn.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/DSC_0128_zpscgg0arhn.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/DSC_0137_zpswc8kreuz.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/DSC_0137_zpswc8kreuz.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/DSC_0127_zpsgdllf17c.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/DSC_0127_zpsgdllf17c.jpg.html)

Lá conhecemos um motociclista solitário, a bordo de uma Tiger 800XC, ele era de Honduras e estava a caminho do Ushuaia. Ia fazer a revisão de 10.000kms em Santiago de sua moto, depois encontraria alguns amigos em Buenos Aires para seguir para o fim do mundo. Pensa no tamanho da aventura.
Depois de muito fotografar, era hora de seguir viagem. Muita gente, segue ao sul pela Ruta 5 mesmo, porém, resolvi acatar a sugestão do amigo Beto, e voltamos uns 15 kms sentido norte, e viramos a esquerda, sentido Paposo. Por este caminho, volta-se para a beira do mar. E antes de chegar próximo ao Pacífico, descemos uma linda serra. Lá de cima, dava pra avistar o povoado de Paposo. No caminho, vários monumentos em homenagem à pessoas que morreram naquelas curvas sinuosas. Um tanto quando mórbido, porém, nos ajuda a manter a cautela pelo caminho, são belas paisagens, com belas curvas, mas que se não feitas com cuidado, podem ser fatais.
Lá em Paposo, procuramos um posto para abastecer as motos, porém, sem sucesso, na cidade não há posto nenhum. Gasolina somente em Taltal. Fomos na ponta dos dedos, estava apreensivo que alguém ficasse sem gasolina. Felizmente chegamos sem maiores problemas. Encontramos um posto Copec, onde abastecemos e fizemos um lanche.

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/DSC_0147_zpskjfqc42w.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/DSC_0147_zpskjfqc42w.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/DSC_0146_zpsjtaec71p.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/DSC_0146_zpsjtaec71p.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/DSC_0148_zps5xzquomi.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/DSC_0148_zps5xzquomi.jpg.html)

Seguimos em frente, com a próxima parada na cidade de Chañaral, cidade que foi drasticamente afetada por uma grande enchente recentemente, passamos apenas para abastecer e seguimos adiante. No caminho, muitas obras pelo caminho, as estradas estão todas em obras. Com grandes desvios, alguns chegamos a andar uns 2 kms deserto adentro até voltar ao asfalto. As paradas eram longas, dava pra tirar o capacete, descer da moto e esperar. Num desses desce e sobe na moto, quando a Sara foi subir na moto, eu não estava com os pés bem firmes no chão e a moto foi pendendo para o lado direito, a Sara tentou segurar a moto com um dedo (risos), e eu pedia a ela que deixasse a moto encostar no chão. Eu fui deitando a moto devagar, até que o baú encostou no chão e felizmente a moto não prensou meu pé ou da Sara. O Alencar nos ajudou a levantar a moto, e atrás de nós, muitos carros aguardavam levantar a moto para seguirem. Nada grave, graças a Deus.

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/G0875004_zps377fiylh.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/G0875004_zps377fiylh.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/G0875012_zpsxxkrklqw.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/G0875012_zpsxxkrklqw.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/G0935109_zpsexxbkxuv.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/G0935109_zpsexxbkxuv.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/G1125426_zpsrdry6web.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/G1125426_zpsrdry6web.jpg.html)

Passamos ainda pela cidade de Caldera, onde abastecemos novamente, e depois disso, saímos da beira do Pacífico definitivamente. Chegamos em Copiapó e novamente encontramos o Hondurenho que seguia para o Ushuaia, já era umas 5 da tarde, resolvemos comer, um belo prato de "lomo A lo Pobre", um belo prato antes de chegarmos no hotel.
De Copiapó até Vallenar, pista dupla. Um show! As estradas do Chile são grandes tapetes negros, porém, todo bônus tem o ônus: Pedágios, assim como no Brasil, e motos pagam. Neste dia pegamos muitos ventos laterais, isso desgastou a todos.
Chegamos em Vallenar, abastecemos as motos e fomos para o Hotel Esmerada, um hotel simples, porém, bastante limpo e acolhedor. O Senhor José nos recebeu com muita simpatia, nos ofereceu água e nos mostrou os quartos. Ele não tinha mais quartos de casal disponível, porém os de solteiro tem aquelas camas de viúvo, pronto! Problema resolvido. Nos hospedamos e fomos descansar.

"Relato extraído do blog - www.insetonocapacete.com"
Título: Re:Expedição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: em Junho 02, 2015, 12:04:34 pm
Fiquei imaginando a Sara segurando a moto pra não deitar

Viajando junto

tapatalk do Zô.
Título: Re:Expedição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: André Latau em Junho 03, 2015, 12:27:40 am
Muito legal seu relato em relação a escultura da Mão!

Ao chegar neste local de moto, deve ser uma sensação muito louca! De desafio cumprido, uma etapa vencida!!!

Showw


Título: Re:Expedição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Patrick em Junho 05, 2015, 01:46:03 am
Dia 13 - Vallenar x Los Andes - 622 Kms
Este era o último dia inteiro no Chile, a volta para casa estava cada vez mais próxima, mas ainda tínhamos a Argentina e algumas belezas para apreciar. Tomamos café logo cedo no hotel Esmeralda. Neste hotel, tinha até ovos mexidos no café da manhã. Um luxo nos moldes dos hotéis que ficamos. O hotel estava lotado de trabalhadores que estão duplicando a Ruta 5 para aquelas bandas. Resultado: Nossas motos ficaram trancadas, e enquanto o senhor José não retirou uns 5 carros da frente, ficamos esperando. Saindo do hotel por volta das 08:00. Fazia frio naquela manhã, estava em torno de uns 15°. A cidade fica num vale, assim como a cidade que moro, Blumenau. Havia uma grande névoa sob a cidade, baixando ainda mais a temperatura.
A saída da cidade já está preparada para as obras dos seus arredores, com grandes viadutos, onde se sobe por um lado e sai do outro, uma coisa bem complexa, mas nada absurdo, o problema é que os mapas de GPS não estão atualizados, portanto, é sempre bom estudar o mapa antes de começar a rodar e ficar atento às placas. Ainda assim, erramos um viaduto, fizemos um retorno adiante e fomos adiante.
A estrada está um misto de pista dupla e pista simples. Obras e sem obras, e neste trecho o movimento é bastante intenso. A mineração é muito forte, portanto, grandes caminhões para todo lado e muitas pick-ups vermelhas sinalizadas com faixas refletivas. Estes veículos são usados pelas empresas mineradoras. Ah, e também os diversos caminhões de carga. O Chile é um país que produz pouco do que consome, ou quase nada, portanto, quase tudo bem dos países vizinhos. Acredito que, como estávamos próximos da divisa com a Argentina, muitos destes caminhões vinham de lá ou do Brasil, carregando todo tipo de produtos.
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogger-image--836817930_zpspuvis4su.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogger-image--836817930_zpspuvis4su.jpg.html)

Mas enfim, eram muitos para e anda para todo lado, desvios gigantes continuavam a aparecer toda hora, isso atrasou bastante a viagem. Mas neste dia, não tínhamos nenhum ponto turístico para visitar, era apenas deslocamento. Porém, um deslocamento em grande estilo, algumas vezes beirando o mar, outras cercados por deserto de todos os lados.
Paramos na praia da Ferradura, em La Serena, pois o Gilmar queria colocar os pés no Pacífico, ficamos lá por alguns minutos e em seguida, voltamos para a estrada.
Durante praticamente o dia todo, a temperatura oscilava na casa dos 20º. Até que chegamos na "Cuesta Del Melón", uma grande montanha que havia um túnel para se cruzar, porém, também havia uma serra para cruzar ela. Fiquei bastante na dúvida, então, resolvi seguir o GPS, que me mandou pelo túnel. Antes do túnel, veio o pedágio, $1.900 chilenos, praticamente R$8,00. Fazer o que, já estávamos ali mesmo. Pela serra não havia pedágio, e acredito que tinha uma bela vista, mas naquele momento não havia mais o que fazer. Cruzamos o túnel, e como se estivessemos numa máquina do tempo que nos transporta grandes distâncias em poucos segundos, a temperatura passou de 22° para 37º, uma coisa impressionante. Na parada seguinte, era hora de tirar as segundas pelas, porque o cheiro de queimado era grande.
Logo, chegava ao fim a nossa saga na Ruta 5, era hora de virar a esquerda, em direção à divisa com a Argentina, estávamos muito próximos de Santiago, capital chilena, mas era hora de ir em direção à Argentina. Entramos na pequena Ruta 62, ali já mudava tudo, muito verde para todo lado, Essa região é cheia de pequenos povoados, e muitas fazendas produtoras de uvas para fabricação de vinhos. Penso que aquela região requer uma nova visita, tem muita coisa legal pra visitar por lá. Passamos por San Felipe, estava bastante quente, a temperatura já estava na casa dos 40°. No horizonte, dava pra ver grandes montanhas, era a cordilheira se apresentando novamente.

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogger-image-1220501154_zpshzlsxkgw.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogger-image-1220501154_zpshzlsxkgw.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogger-image--2020331426_zpsfjcvai6b.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogger-image--2020331426_zpsfjcvai6b.jpg.html)
Chegamos na cidade de Los Andes, muito próxima à divisa com a Argentina, o hotel Rincahue estava reservado, tinha visto no site que havia piscina, estava muito animado para relaxar, porém, chegando lá, a piscina estava desativada. Até reclamei, dizendo que se tratava de propaganda enganosa. Mesmo assim, o hotel era confortável, nos fundos tinha um grande pé de laranja, onde aproveitamos para comer uma fruta colhida do pé.
Eu e a Sara fomos dar uma volta na cidade, ainda era cedo e o comércio estava todo aberto. Fiz cambio de pesos argentinos, mas não troquei muito porque o valor não estava tão favorável.
A noite jantamos um delicioso frango com salada e arroz no hotel. E também, sentimos a temperatura cair muito durante a noite. Era a nossa última noite no Chile. Um país muito bacana que visitamos, com um povo amável, porém, alguns nem tão amáveis, um contraste que estranhei bastante, porém, isso faz parte.

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/blogger-image-175670578_zps8pouopyo.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/blogger-image-175670578_zps8pouopyo.jpg.html)

"Relato extraído do blog - www.insetonocapacete.com"
Título: Re:Expedição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Brunholi em Junho 05, 2015, 02:02:34 am
Que viajem maravilhosa.

Como e bom conquistar.

Parabens meu amigo, estou aqui viajando com o relato.

Um Super abraço para vc e todos que estavam nesta viajem.

Parabens para você e sua esposa pelo casamento.

Muito 10. e muitos km´s de felicidade.
abraço
Título: Re:Expedição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Dr.MD em Junho 05, 2015, 02:20:12 am
Mas que coisa! Tenho até medo de abrir o FOL esses dias.  :pale:

Entro no "Ver tópicos não lidos desde a última visita", leio "Expedição La Mano" e penso: lá se vão mais alguns minutos do dia . . .  hum.,

Mas tudo bem, relato é para ler mesmo. E relatos assim, detalhados, melhor ainda!  .clap

Continue!
Título: Re:Expedição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Patrick em Junho 05, 2015, 02:42:44 am
Fiquei imaginando a Sara segurando a moto pra não deitar

Viajando junto

tapatalk do Zô.

Zô, ela foi forte... pensei que tinha fraturado o dedo depois. Eu dizendo: Solta, solta solta! E nada dela soltar.. kkkk

Muito legal seu relato em relação a escultura da Mão!

Ao chegar neste local de moto, deve ser uma sensação muito louca! De desafio cumprido, uma etapa vencida!!!

Showw




André, realmente sensação única. Como eu citei, foi o marco para mim. O lugar que eu sonhei muito em chegar. Queria ter chegado no dia do meu aniversário, mas não deu, mas sem problemas.. Estive lá e isso valeu a pena demais...

Que viajem maravilhosa.

Como e bom conquistar.

Parabens meu amigo, estou aqui viajando com o relato.

Um Super abraço para vc e todos que estavam nesta viajem.

Parabens para você e sua esposa pelo casamento.

Muito 10. e muitos km´s de felicidade.
abraço

Brunholi, saudades de você e da sua família viu!
Obrigado pelas palavras..  Nem preciso dizer que foi incrível né? uauauau

Mas que coisa! Tenho até medo de abrir o FOL esses dias.  :pale:

Entro no "Ver tópicos não lidos desde a última visita", leio "Expedição La Mano" e penso: lá se vão mais alguns minutos do dia . . .  hum.,

Mas tudo bem, relato é para ler mesmo. E relatos assim, detalhados, melhor ainda!  .clap

Continue!

Dr. MD, hahahaha, aproveita aí, os relatos agora estão mais curtos, mas nem por isso menos detalhados...
Olha, se a galera curtiu, e quiser mais, tem os relatos da viagem para o Uruguai em 2014... Se quiserem, posso postar também...

Abraços
Título: Re:Expedição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: João_Biela em Junho 05, 2015, 03:14:21 am
 .clap .clap .clap .clap

Chegar nesse lugar deve ser uma sensação única, parabéns irmão!
Título: Re:Expedição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Patrick em Junho 05, 2015, 07:58:25 am
.clap .clap .clap .clap

Chegar nesse lugar deve ser uma sensação única, parabéns irmão!

Obrigado Mano Biela!!!
Título: Re:Expedição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: George.Duda em Junho 06, 2015, 04:02:38 am
 :cheguei

minunciosamente relatos e fotos....  .clap .clap .clap .clap .clap .clap .clap .clap .clap .clap .clap

 combeb04

Título: Re:Expedição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Patrick em Junho 07, 2015, 08:56:35 am
:cheguei

minunciosamente relatos e fotos....  .clap .clap .clap .clap .clap .clap .clap .clap .clap .clap .clap

 combeb04

Valeu!!!!
Título: Re:Expedição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Patrick em Junho 07, 2015, 09:05:01 am
Dia 14 - Los Andes x Mendoza - 280 Kms
Era chegada a hora de deixar o Chile, depois de 8 dias andando por aquele país, era hora de deixá-lo para trás. Mas ficaram boas histórias, bom povo, novas amizades e muitos lugares bonitos por nós visitados. Sem contar no sonho realizado, até aquele momento, praticamente tudo que estava no planejado tinha sido visitado. Estava saindo do Chile com sensação de missão cumprida.
Saímos de Los Andes por volta das 08:00, estava um pouco frio, mas o tempo estava bastante limpo, mas o frio pegava forte. Começamos a andar pela Ruta 62 novamente, e logo a frente, fizemos uma parada para fotos. Um pouco atrás de nós, parou um motociclista com uma Harley Davidson, estava só. Falou com o Alencar e disse como era bom encontrar brasileiros, seu sotaque, não escondia suas origens. Era mineiro. Conversou com o Alencar e lhe deu um adesivo, quando o Alencar me deu o adesivo, logo reconheci de quem se tratava. Perguntei à ele: Você por acaso é o escritor do livro "Caminho para o céu"? E era ele, o Rômulo Provetti, motociclista e blogueiro (vale a pena visitar www.viagemdemoto.com). Eu não o conhecia pessoalmente, porém, li seu livro que relata uma viagem dele e de um amigo ao Peru, Chile, Argentina e Bolívia. O ápice do livro é quando eles visitam o Salar de Uyuni, e, devido à temporada de chuvas, o salar estava coberto de água e o céu se confundia com o chão, daí o nome do livro. Rômulo me contou que, no dia anterior ao nosso encontro, recebera a notícia que o seu companheiro havia se suicidado. Uma notícia muito triste para ele com certeza. A propósito, Rômulo voltava do Ushuaia em viagem solo. Parabéns Rômulo pela bela viagem.
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/DSC_0163_zpsgqiha2dn.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/DSC_0163_zpsgqiha2dn.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/DSC_0167_zpsy8lfuaad.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/DSC_0167_zpsy8lfuaad.jpg.html)

Como estávamos em meio à uma grande cadeia de montanhas, o sol demorava para aparecer, dava pra ver que o céu estava bastante limpo, porém, sem sol, estava um pouco frio, continuamos andando e, logo me dei conta de onde estávamos: Os caracoles, uma grande subida com várias curvas de dar frio na barriga, são se não me engano 38 curvas. O Rômulo foi nosso guia ali, pois ele já havia passado por lá e nos sugeriu o melhor ponto para pararmos e tirar fotos. Mais um sonho realizado, sempre quis passar naquele lugar, e aquele dia estava realizando isso. Lá conhecemos um casal do Rio Grande do Sul, conversamos por um tempo e continuamos subindo.

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/DSC_0173_zpsz4hzenyk.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/DSC_0173_zpsz4hzenyk.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/DSC_0175_zpsblcu8n0e.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/DSC_0175_zpsblcu8n0e.jpg.html)



(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/DSC_0180_zpsswjnur0t.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/DSC_0180_zpsswjnur0t.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/DSC_0183_zps3erqpjbb.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/DSC_0183_zps3erqpjbb.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/DSC_0193_zpskbixg5wz.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/DSC_0193_zpskbixg5wz.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/DSC_0200_zpszjqd5f8v.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/DSC_0200_zpszjqd5f8v.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/DSC_0204_zpsvugj1klo.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/DSC_0204_zpsvugj1klo.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/DSC_0213_zpszeaagypc.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/DSC_0213_zpszeaagypc.jpg.html)

Durante a subida, existem várias espécies de túneis, porém têm outro nome, é um tipo de túnel que é vazado de um dos lados, sua finalidade é basicamente proteger os carros das pedras que rolam das montanhas, e acredito que também a neve durante o inverno. Aquela região deve ter muita neve, pois existem várias placas indicando que com neve o uso de correntes é obrigatório. Inclusive existem empresas que alugam as correntes para os mais desavisados. Mais à frente, passamos pela aduana chilena, mas esta, é apenas para quem está entrando no Chile, nós como estávamos saindo, faríamos a imigração no lado Argentino. Nos impressionou o tamanho da fila, mais de 2 kms de carros esperando para entrar no Chile. Como já falei anteriormente, a aduana chilena é bastante rigorosa e burocrática, sem contar que por se tratar de período de férias, o povo estava todo na estrada.
Mais a frente, chegamos ao túnel Cristo Redentor, situado à 3.185 metros sobre o nível do mar. É um grande túnel, e logo depois dele se chega ao primeiro posto de controle imigratório argentino. Lá, perguntei ao soldado que me deu um pequeno papel pardo e pediu que apresentássemos na aduana mais adiante. Lá paramos numa pequena lanchonete e degustamos uns alfajores argentinos. Conversei com 3 argentinos que voltavam de São Paulo de moto.
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/DSC_0229_zpsluhqjyzd.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/DSC_0229_zpsluhqjyzd.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/DSC_0233_zpscazqjvoo.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/DSC_0233_zpscazqjvoo.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/DSC_0243_zps5b10izas.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/DSC_0243_zps5b10izas.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/DSC_0248_zpsgb4p9e4n.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/DSC_0248_zpsgb4p9e4n.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/G1415889_zpsii8lmq9o.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/G1415889_zpsii8lmq9o.jpg.html)

Quando chegamos na aduana, encontramos novamente o Rômulo, que nos perguntou se tínhamos visitado o Aconcágua, e tínhamos passado direto, na minha cabeça era depois da aduana, felizmente, depois da dica do Rômulo, retornamos uns 2 kms e fomos visitar o Aconcágua. Claro, não subimos ele, seria muita pretensão, porém, há um belo parque. Fomos até ele, e seguimos até o mirante, eu desisti no meio do caminho, o Gilmar, Débora e Alencar foram além. A Sara ficou cuidando das motos.

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/IMG_0986_zpslpxuj1xt.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/IMG_0986_zpslpxuj1xt.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/DSC_0265_zpsofdufa8l.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/DSC_0265_zpsofdufa8l.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/DSC_0280_zpsek51zvgs.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/DSC_0280_zpsek51zvgs.jpg.html)

Voltamos para aduana e a fila era igual ou maior do que no lado chileno. Lá, encontramos também os amigos Robert e Nina. Aqueles do primeiro dia de viagem, donos da simpática cachorrinha Jullyta, que anda de moto. Estavam voltando do Chile também. Na aduana, ficamos muito tempo, umas 3 horas pelo menos. De todas que passamos, essa era a maior, você entra com o veículo e faz a imigração num grande galpão. Estava esquentando e não tinha jeito, tínhamos que esperar. Eram ônibus e muitos carros. Neste meio tempo, jogamos conversa fora, falamos com argentinos e com um brasileiro mochileiro que estava a 6 meses viajando pelo Chile e Argentina.
Finalmente cruzamos a aduana e seguimos, o caminho era muito bonito, em meio à várias montanhas e com um pouco de mata pelo caminho. Paramos em Uspallata para abastecer, esta é uma cidade que acho que vale uma nova visita, parece ser muito simpática e acolhedora.
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/IMG_0989_zpsc4cxavch.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/IMG_0989_zpsc4cxavch.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/G1405869_zpsh33bayoj.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/G1405869_zpsh33bayoj.jpg.html)

Chegamos super cedo em Mendoza, nossa parada naquele dia. Havia uma visita marcada para a vinícola Trapiche, porém, não deu tempo. Sem contar que não encontrávamos o hotel de jeito nenhum. Seria melhor não ter encontrado. Hotel Panamericano, muito ruim, não recomendo para ninguém.
Como eu tinha poucos pesos argentinos, fui atrás de câmbio, fui no centro da cidade e fiz câmbio numa galeria com uns caras meio suspeitos, saí de lá preocupado em ser assaltado, peguei um taxi e voltei para o hotel, felizmente tudo bem. Passei numa fruteira e comprei peras e maçãs argentinas, muito boas e baratas. Não entendo que tendo frutas tão boas e baratas lá, eles não servem no café da manhã.
O Robert e a Nina se hospedaram lá também, a noite eles saíram para jantar. A Sara e eu ficamos no hotel descansando.
Título: Re:Expedição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: em Junho 07, 2015, 10:44:37 am
Ja pensei nos vinhos

tapatalk do Zô.
Título: Re:Expedição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Patrick em Junho 07, 2015, 11:28:09 am
Passou batido zo. Apenas pernoite. :(


Enviado do meu iPhone usando Tapatalk
Título: Re:Expedição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Patrick em Junho 08, 2015, 09:04:05 am
Dia 15 - Mendoza x Córdoba - 606 kms
Mais um dia de deslocamento, agora o nosso destino era a cidade de Córdoba. Tomamos aquele pseudo café da manhã argentino naquele hotel de -5 estrelas e fomos pegar as motos na casa do dono do hotel. Nos despedimos do Robert e da Nina que seguiram para outro lado e nós rumamos para a famosa Ruta 40, porém, bem diferente dos relatos que li sobre os trechos para as bandas de quem vai pro Ushuaia. Uma grande estrada duplicada, com largo acostamento e guard rails dividindo os dois sentidos. Nada de encontrar postos pelo caminho, até que pegamos o caminho pela cidade de Lavalle, onde encontramos um posto, porém só vendia Gás Natural.
Rumamos sentido Lavalle, como sugestão do Flavildo, isso encurtou um pouco a distancia do dia. Seguimos pela Ruta 142 até chegarmos em Lavalle, grandes retas e num dos trevos eu fiquei confuso, parei e consultei o bom e velho mapa. viramos a esquerda e bora seguir por aquelas retas intermináveis. Chegamos em Lavalle e fomos para o Posto, porém, o frentista nem nos deixou colocar as motos na pista, segundo ele, aquele era o último carro que ele abastecia, depois tínhamos que esperar descarregar o caminhão com gasolina que estava ali. Na Argentina, os tanques ficam embaixo das bombas, portanto, quando estão descarregando não é possível abastecer carros e motos. Perguntamos se havia outro posto, porém, estava a uma distância que as motos não chegariam. O jeito era esperar. Aproveitamos para tomar um café e comer alfajores. O Gilmar e o Alencar, começaram a ficar com pressa de voltar para casa, então, consultando o mapa, viram que poderíamos ir mais adiante do que Córdoba. Neste momento eu concordei com a mudança nos planos, não haveria problema. Depois das motos abastecidas, voltamos para a estrada. Na divisa das provincias de San Juan e Mendoza, pegamos a Ruta 20. Nisso começamos a subir montanhas e ter muito verde nas paisagens. Neste trajeto, passamos por Villa Dolores e Mina Clavero, aparentemente locais bastante turísticos, com muitos carros e gente para todo canto, uma grande variedade de restaurantes, bares, lojas de souvernirs, etc ao longo da estrada. Estava tudo bastante lotado, parece que era uma semana de feriado de carnaval e argentino não perde tempo para viajar. Depois destas cidades, pegamos uma região serrana que mais tarde descobri se chamar "Altas Cunbres", são grandes montanhas, com várias curvas e muita gente andando por lá. Inclusive muitas motos. Começou a ficar frio e o cansaço batia. Paramos num bar no meio das montanhas, já faltavam poucos quilômetros para chegarmos em Córdoba, e também por sugestão do Flavildo, havia uma pequena cidade antes chamada Villa Carlos Paz. Era a sugestão de pouso, e eu não estava mais afim de rodar, já era umas 5 da tarde e eu e a Sara estávamos cansados. Eu, particularmente, prefiro sempre seguir o planejado, acredito que as fatalidades estão fortemente ligadas a stress, cansaço e esgotamento, e na minha opinião, aquela era a hora de ficar no local planejado, para no dia seguinte seguir viagem. Estava tudo correndo dentro do planejado até então, faltavam uns 4 dias para chegarmos, não tinha porque se arriscar. Porém, o Gilmar e o Alencar, acharam melhor seguir mais adiante, para o dia render mais. Ok, cada um faz o que quer, porém, eu não estava mais afim de continuar, então, dei tchau e seguimos para Carlos Paz. Não era esse o planejado de nos separarmos, e nem foi este o discurso dos dois desde o início, sempre deixaram bem claro que seguiriam o planejado, que não iam se preocupar com o planejamento e que era para eu fazer o que era melhor. Porém, não foi o que aconteceu. Bola pra frente.
Fomos até Carlos Paz, e estava tudo lotado, vimos uns 6 hotéis e nenhum tinha nem uma casinha de cachorro para nos hospedar. Então optamos por ir para Córdoba. E lá fomos. Córdoba é uma grande cidade, com centro histórico, muitos prédios bonitos por todo o lado, com suas fachadas preservadas e grandes ruas. Lá começamos a nossa peregrinação por hotel. Também entramos em pelo menos meia dúzia e nenhum tinha vaga. Até que entrei num hotel 4 estrelas, perguntei o preço e pedi para tentar passar o cartão, visto que tinham um quarto disponível. O cartão passou, e foi ali mesmo, pagamos a fábula de $1.500 pesos argentinos, mas tudo bem. Aproveitamos para um belo banho de piscina, bastante relaxante.
A noite fomos até um bar na esquina do hotel, chamado Sorocabana, pedimos uma porção completa para dois de petiscos, mas se enganaram e mandaram uma porção para 5 pessoas. Fizemos uma bela refeição e tomamos 2 Quilmes de 1 litro cada e fomos dormir, amanhã o dia seria longo.
Neste dia não teve fotos, apenas deslocamentos. O dia acabou com algumas lições. Boas e ruins, mas enfim, acredito que com todas elas, aprendi algo, aprendi coisas que preciso mudar e aprendi que certas coisas é melhor relevar e seguir em frente.
Título: Re:Expedição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Bastião (Giovani Buzzi) em Junho 09, 2015, 04:22:36 am
Show, Patrick.

Os Caracoles são mesmo fantásticos. Pena que passam muito rápido. Aqueles túneis aos quais você se referiu são os COBERTIZOS, servem principalmente para proteger das avalanches, muito comuns no inverno.

E quanto aos stress de relacionamento, são absolutamente normais. Acontece com todo mundo, muito mais no final da viagem, depois de vários dias de convívio intenso. Além disso, a saudade da casa e da rotina agravam a situação. Sei de casos de amizades de anos que se desfizeram e de irmãos que ficaram sem se falar depois de uma viagem. O importante é entender que a amizade vale muito mais. E que um mero desencontro de oipiniões, agravado pelo stress de ambas as partes, não pode manchar uma coisa bonita. E, como você disse, tudo é fonte de conhecimento.

Título: Re:Expedição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Patrick em Junho 09, 2015, 12:14:22 pm
Show, Patrick.

Os Caracoles são mesmo fantásticos. Pena que passam muito rápido. Aqueles túneis aos quais você se referiu são os COBERTIZOS, servem principalmente para proteger das avalanches, muito comuns no inverno.

E quanto aos stress de relacionamento, são absolutamente normais. Acontece com todo mundo, muito mais no final da viagem, depois de vários dias de convívio intenso. Além disso, a saudade da casa e da rotina agravam a situação. Sei de casos de amizades de anos que se desfizeram e de irmãos que ficaram sem se falar depois de uma viagem. O importante é entender que a amizade vale muito mais. E que um mero desencontro de oipiniões, agravado pelo stress de ambas as partes, não pode manchar uma coisa bonita. E, como você disse, tudo é fonte de conhecimento.

Obrigado Bastião

Putz, não lembrava nem a pau o nome daqueles pseudo-túneis... hhehehehe
Não me conformo de não ter visto a ponte inca e o cemitério do aconcágua, este, passamos do lado e eu não dei bola.
Com relação às amizades, pois é... Ficou estremecida mesmo. Desde então, praticamente não nos falamos, não trocamos fotos, etc... Mas reforço novamente, fica o aprendizado.
Título: Re:Expedição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Resmungão em Junho 10, 2015, 01:37:53 am

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/DSC_0193_zpskbixg5wz.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/DSC_0193_zpskbixg5wz.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/DSC_0200_zpszjqd5f8v.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/DSC_0200_zpszjqd5f8v.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/DSC_0204_zpsvugj1klo.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/DSC_0204_zpsvugj1klo.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/DSC_0213_zpszeaagypc.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/DSC_0213_zpszeaagypc.jpg.html)


Totalmente excelente estas fotos  :D  .clap .clap .clap .clap
Título: Re:Expedição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: André Latau em Junho 10, 2015, 05:25:56 am
Patrick, infelizmente alguns lugares acabamos não visitando... são lugares que ficam pra próxima rsrsrsrrs

Abraço
Título: Re:Expedição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Patrick em Junho 10, 2015, 06:30:24 am
Patrick, infelizmente alguns lugares acabamos não visitando... são lugares que ficam pra próxima rsrsrsrrs

Abraço

Verdade André. Sem contar que temos que ter motivos pra voltar.
Título: Re:Expedição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Patrick em Junho 11, 2015, 10:40:43 am
Dia 16 - Córdoba x São Borja - 994 Kms
Naquela noite choveu muito, acordei várias vezes e ouvia a chuva batendo na janela do hotel, acordamos e fui preparar a moto, pela primeira vez em toda a viagem, era necessário completar o óleo dela. Quase 7.000 quilômetros sem colocar uma gota de óleo a mais. Essa moto é um trator. Depois disso, fomos para aquele belo café da manhã do hotel, que maravilha, comida de verdade. Pães, bolos, frutas, sucos e tudo que se tinha direito. Também, pelo preço que pagamos, tinha que ser assim mesmo. O café estava muito bom, mas as 07:30 já estávamos prontos para sair novamente, com uma chuva fraca, mas que logo após entrarmos na Ruta 19, a chuva apertou. Estava bastante forte e o asfalto tinha muitas poças de água ao longo da via. Mesmo assim, os pneus Michelin Anakee 3, deram conta do recado com maestria, drenava bem a água e não dava aquela sensação de aquaplanagem bastante comum, ainda mais que estávamos rodando entre 110 e 120 km/h. Seguimos andando num ritmo bastante forte, primeira parada depois de 200kms, uma perna bastante grande do que estávamos acostumados. Neste tempo a chuva parou e assim paramos à beira da estrada para tirar as roupas de chuva, começava a esquentar. Aproveitamos para comprar uns alfajores caseiros, deliciosos. Em San Francisco fizemos nosso primeiro abastecimento, a muito custo, o posto estava lotado de carros. Tive que esperar um pouco, graças a Deus tinha combustível.
Seguimos pela Ruta 19, até a cidade de Santa Fé, lá eu estava curioso para cruzar o famoso túnel Subpluvial santa Fé Paraná. É um grande túnel por baixo do Rio Paraná, o amigo André Carrazone me indicou esse lugar e lá fomos nós. No primeiro momento, achei que tínhamos errado em algum lugar, pois entramos na cidade e passamos uma ponte, andamos vários quilômetros dentro da cidade e depois numa grande estrada de pista dupla, achei que tinha passado direto pelo túnel. Mas até começamos a avistar placas indicando o túnel. Antes de entrar nele, pagamento de 13 pesos para passar, viva os pedágios. Depois cruzamos aquele imenso túnel embaixo daquela imensidão de água, infelizmente, na entrada dele não dava pra avistar o rio, mas é uma sensação muito louca saber que se está debaixo daquele grande rio.
Na saída de Paraná, paramos para abastecer e logo pegamos a estrada de novo, este dia as puxadas eram longas e assim foi, fomos em Direção à cidade de Federal, e o calor apertava forte. Além de fortes rajadas de vento, mas à esta altura, já estávamos familiarizados com aquele vento todo.
Fizemos mais uma rápida parada e seguimos mais alguns quilometros até Paso de Los Libres, antes, paramos para abastecer, queria aproveitar para gastar um pouco dos pesos argentinos que ainda tinha.
Na aduana, para nossa surpresa, nossos amigos estavam lá, achei que já estavam no Brasil, porém, nos encontramos na aduana. A Sara foi fazer sua imigração e eu esperei na moto, não queria tirar mala de tanque, carregar capacete, etc. Depois eu fui, super rápido e já estava liberado para passar a ponte e entrar no Brasil. Nossa, como foi bom ver a nossa bandeira verde amarela, conversar com as pessoas em português, já me sentia em casa. Conversei com a Sara para avaliarmos nossas condições físicas e optamos por rodar mais um pouco, até São Borja, e lá fomos nós para mais 180 kms. A BR-285 está bastante judiada pelos caminhões que vão e vem para Argentina e também caminhões de grãos das safras da região. São muitas ondulações e este trecho se torna bastante cansativo. Mas para compensar, fomos presenteados com um belo por do sol.
Chegamos em São Borja, ainda com a luz do dia, fomos abastecer a moto e procurar hotel, desta vez, facilmente encontrado. Não queríamos sair para comer e o recepcionista do hotel nos sugeriu um lanche que entregavam no hotel, pedimos dois Mega X Salada gaúcho, comemos e cama.
Aquele dia foi animal, superação total. chuva, vento lateral, calor e uma quilometragem nuca feita por nós antes. Não dava para acreditar que no final da viagem ainda teríamos coisas a superar e a viver.

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/IMG_1013_zpsyce9bly9.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/IMG_1013_zpsyce9bly9.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/IMG_1015_zpshnztljhe.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/IMG_1015_zpshnztljhe.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/IMG_1014_zpsza4pi5v8.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/IMG_1014_zpsza4pi5v8.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/IMG_1016_zpssviqae98.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/IMG_1016_zpssviqae98.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/IMG_1018_zpsqrdwghxs.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/IMG_1018_zpsqrdwghxs.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/IMG_1028_zpswjbcyqig.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/IMG_1028_zpswjbcyqig.jpg.html)
Título: Re:Expedição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Bastião (Giovani Buzzi) em Junho 12, 2015, 04:12:16 am
Realmente, Patrick,
Viajar é ótimo. Mas voltar é ainda melhor. A sensação de chegar no posto de gasolina, e falar pro frentista "enche essa p... até o talo" sem se preocupar em ficar escolhendo palavras para se fazer entender.
Título: Re:Expedição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Diego Paz em Junho 12, 2015, 05:38:03 am
 .clap  .clap  .clap  .clap  .clap  .clap  .clap  .clap  .clap  .clap  .clap  .clap

Sensacional Patrickeeeeeeeeeeeee  .clap  .clap  .clap

Ainda mais visitando a Argentina  rit50

Muito loko!! Nos vemos amanhã é isso?  combeb04  combeb04  combeb04
Título: Re:Expedição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: João_Biela em Junho 12, 2015, 05:58:28 am
Devia ter levado o Argentino dentro do baú e largado lá jogado as traças...  kkkkk; kkkkk; kkkkk;
Título: Re:Expedição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Patrick em Junho 12, 2015, 06:20:31 am
Realmente, Patrick,
Viajar é ótimo. Mas voltar é ainda melhor. A sensação de chegar no posto de gasolina, e falar pro frentista "enche essa p... até o talo" sem se preocupar em ficar escolhendo palavras para se fazer entender.

Pois é Bastião... confesso que lá pelo décimo dia, começou a fazer falta algumas coisas, como a minha cama, etc.. Sem contar na família... Mas me obriguei a isolar estes pensamentos, senão ia atrapalhar o decorrer da viagem... Sem dúvida nenhuma, parar de escolher as palavras é bom... Mas eu já tava até me dando bem com "los hermanos", mí español és poco malo, pero se pueder entender.. acho que o final não tá certo... hehehee

.clap  .clap  .clap  .clap  .clap  .clap  .clap  .clap  .clap  .clap  .clap  .clap

Sensacional Patrickeeeeeeeeeeeee  .clap  .clap  .clap

Ainda mais visitando a Argentina  rit50

Muito loko!! Nos vemos amanhã é isso?  combeb04  combeb04  combeb04

Valeu Diego, os argentinos são muito simpáticos, pelo menos por onde andamos, diferente dos chilenos... Infelizmente não iremos amanhã... Fica pra próxima...

Devia ter levado o Argentino dentro do baú e largado lá jogado as traças...  kkkkk; kkkkk; kkkkk;

Biela, acho que eles não aceitam devolução... kkkkk
Título: Re:Expedição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Diego Paz em Junho 12, 2015, 06:34:18 am
Que pena véio (de não irem amanhã)

Que bom véio (que não aceitam devolução)  kkkkk;

Abs
Título: Re:Expedição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Patrick em Junho 12, 2015, 06:42:27 am
Que pena véio (de não irem amanhã) -

Que bom véio (que não aceitam devolução)  kkkkk; hahaha,

Abs

Pois é, tenho aula até as 05 e depois vamos pra bombinhas... Pena mesmo... Eu acho que tu deve ser procurado pela policia lá na Argentina.. uauauaua
Título: Re:Expedição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Patrick em Junho 12, 2015, 06:55:15 am
Dia 17 - São Borja x Blumenau 870 kms
Era o grande dia da volta, chegar em casa. Muito bom viajar, mas também muito bom voltar pra casa. Eu como sou uma pessoa muito ligada a minha mãe, queria dar um abraço nela, sonho realizado, era hora de voltar para o aconchego do lar. De voltar a ver as coisas do dia a dia, voltar a vida normal. Mas isso é história pra outro post.
Saímos de São Borja antes das 08:00 ainda. A meta era parar em Ijuí para abastecer e dar um abraço no nosso amigo Paulo. Continuamos na BR-285, cheia de ondulações, era cada pancada na suspensão que dava dó, mas não tinha jeito, era o caminho que tinha. Passamos pela região de São Luiz Gonzaga, onde uns meses antes nosso amigo Márcio havia caído, compreensível. Com tantas ondulações, todo cuidado ainda era pouco.
Passamos na região das missões, onde pretendo voltar, já estive lá algumas vezes, porém, a Sara ainda não conhece. Vale a pena conhecer um pouco desta parte da história do nosso país, onde os jesuítas vieram catequizar os índios e construíram grandes templos para cumprir a sua missão. Foram atacados e alguns padres mortos, existe muita história naquela região que vale a pena ser vista, recomendo a quem estiver na região.
Paramos na cidade de Entre Ijuis para abastecer. Lá, o frentista lavava a pista com uma mangueira jogando água para todo lado, isso me deixou mal. Depois de passar tantos dias presenciando uma região árida e com escassez de água, me indigna ver as pessoas desperdiçando um bem tão precioso. Confesso que revi este conceito, hoje procuro ao máximo poupar água. Ela pode faltar pros meus descendentes.
Paramos na Volvo em Ijuí para dar um abraço no nosso amigo Paulo, do Motoclube Desbravadores do Sul, ele trabalha lá, e assim como nós, adora viajar de moto. Recentemente fora até o Peru, destino este que está nos nossos planos para o futuro. Depois de um cafezinho e um pouco de conversa, voltamos para a estrada desnivelada. Paramos em Passo Fundo para abastecer e seguimos adiante novamente.
(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/10423650_355261111327092_9196994259256439856_n_zps72dtheju.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/10423650_355261111327092_9196994259256439856_n_zps72dtheju.jpg.html)

Quase em Lagoa Vermelha, um forte barulho vindo da roda traseira me assustou. Parei para ver o que era e novamente um raio quebrado. Não que tenha quebrado na viagem, mas antes de viajarmos um deles se soltou, foi consertado antes da viagem, e no último dia voltou a dar problema. Retirei ele e seguimos adiante. Em Vacaria, uma nova parada para um lanche e mais gasolina. O objetivo seria seguir até Rio do Sul para a próxima parada.
Logo após Vacaria, vimos a placa BEM VINDOS A SANTA CATARINA. Agora sim estávamos em casa, quer dizer, quase em casa. Passamos Lages e depois de Otacílio Costa, fomos forçados a parar devido à obras na estrada. Demos uma esticada e conversamos com um casal de Ituporanga, estavam aproveitando que era feriado municipal para dar uma volta com a GS1200 deles. Eles comentaram que estão se preparando para uma viagem parecida com a nossa em breve. Desejo sorte ao casal e que façam uma grande viagem.
Em Rio Do Sul, a parada é obrigatória. Eu explico: Voltar pra casa, no final sempre gera um pouco de ansiedade, e estatisticamente os acidentes acontecem próximos ao ponto de chegada, e a BR-470 a partir dali é bastante crítica, tem trânsito difícil, portanto, uma parada para uma água é fundamental. Fizemos isso, descansamos um pouco e seguimos adiante.
E assim foi, até Blumenau, trânsito pesado, muitos caminhões, carros e imprudência, toda cautela era pouca naqueles menos de 80 quilômetros que faltavam. Ou seja, poderíamos colocar a perder 8.000 kms naquele 1% da viagem que faltava. Felizmente chegamos em paz, fomos direto na casa da mãe da Sara. Ela nos esperava ansiosa, deu um forte abraço em mim e na Sara, chorou e choramos juntos. Ela nos deu os parabéns pelo nosso casamento, nos disse que rezou diariamente para que tudo corresse bem na nossa viagem.
Graças a Deus, tudo correu bem. Não tivemos nenhum susto, nenhum problema mecânico, tombo ou coisa parecida. Estávamos todos muito felizes. E eu principalmente, sonhei, planejei e idealizei aquela aventura. Tentei ser o mais minucioso possível nos detalhes, e por muitas vezes a sensação era de que eu já tinha estado em alguns lugares. De tantos relatos e textos que havia lido antes, tudo tinha sido perfeito, não acreditava que estava em casa depois daqueles 17 dias. Foi incrível.
Agradeço a Deus, aos meus pais, à Sara, que sempre esteve ao meu lado, me deu forças nos momentos de preocupação e aflição, me apoiou e compartilhou do meu sonho, foi uma grande garupa, sempre prestativa e ligada em tudo,
Eu estava realizado, de alma lavada, com o coração calmo e feliz, pois aquilo que sonhei tantos anos tinha se tornado realidade. E o melhor: Voltamos para casa em paz, sem nenhum problema.
Agradeço a todos os amigos que me ajudaram. A lista é grande e tenho receio de esquecer de alguém, portanto, todos que ajudaram direta e indiretamente, sintam-se parte integrante do meu sonho. Vocês me ajudaram a concretizar!!! Obrigado mesmo.
Foram 8.220 quilômetros rodados, 17 dias e mais de 20 cidades visitadas. Só tenho mesmo a agradecer, e claro, pensar na próxima!!!!

Não dá pra parar!!!! O mundo está aí fora, vamos conhecer!!!!

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/10959471_355325841320619_6934992394881384645_n_zpshwwj3job.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/10959471_355325841320619_6934992394881384645_n_zpshwwj3job.jpg.html)

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/10959780_355253741327829_426089435106934621_n_zps1vuqbtsf.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/10959780_355253741327829_426089435106934621_n_zps1vuqbtsf.jpg.html)

"Extraído do Blog - www.insetonocapacete.com"
Título: Re:Expedição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: André Latau em Junho 12, 2015, 07:31:53 am
Parabéns pelo relato!!!

Muito bem feito e com detalhes que certamente vai ajudar muitas pessoas.

Uma hora dessas vamos tomar umas geladas, venha conhecer a sede no nosso moto clube em Rodeio.

Abraço


Título: Re:Expedição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: em Junho 12, 2015, 07:34:23 am
Mas ja acabou??

Parabéns pela viagem e casório

tapatalk do Zô.
Título: Re:Expedição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Resmungão em Junho 12, 2015, 07:38:39 am
Show demais meu amigo  :D Parabéns pela viagem, casamento, relato e fotos  .clap .clap .clap

 combeb04 combeb04 combeb04
Título: Re:Expedição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Patrick em Junho 12, 2015, 08:08:59 am
Parabéns pelo relato!!!

Muito bem feito e com detalhes que certamente vai ajudar muitas pessoas.

Uma hora dessas vamos tomar umas geladas, venha conhecer a sede no nosso moto clube em Rodeio.

Abraço

André, com certeza, vamos em breve, me avise de qualquer evento que tiver, acho que preciso mesmo conversar contigo. Obrigado, espero muito que este relato ajude as pessoas. Tenho mais um post para fazer ainda, vou ver se até amanhã eu já faço...

Mas ja acabou??

Parabéns pela viagem e casório

tapatalk do Zô.

Acabou Zô, foi bom enquanto durou e as recordações são as melhores possíveis... Obrigado amigo.

Show demais meu amigo  :D Parabéns pela viagem, casamento, relato e fotos  .clap .clap .clap

 combeb04 combeb04 combeb04

Valeu Resmungão! Obrigado, foi tudo muito bom, inesquecível!
Título: Re:Expedição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Nicol@u em Junho 12, 2015, 10:06:37 am
Viagem emocionante, relato impecável, fotos deslumbrantes, mas a surpresa do casamento  :love foi o ápice desta trip, sem dúvida foi uma ideia brilhante e muito bem planejada. .clap
Parabéns ao casal! Felicidades, muita saúde e estradas limpas pela frente.
Título: Re:Expedição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Patrick em Junho 12, 2015, 10:15:43 am
Valeu Nicolau!!! Obrigado mesmo. Foi uma baita engenharia que deu certo. Rsrsrs
A minha mãe queria ir pra lá acredita? Eu não deixei porque não sabia se ia mesmo dar certo.


Enviado do meu iPhone usando Tapatalk
Título: Re:Expedição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Kabeça em Junho 12, 2015, 02:48:05 pm
Deixei acumular oito páginas e com isso acabei ficando várias horas colado do computador, que loucura!!!

Garanto que valeu a pena todo este tempo lendo e sonhando através deste belo relato e fotos, imagino ao casal ter vivenciado toda esta aventura, parabéns Patrick e Sara!!!!

Espero em breve fazer uma viagem desta magnitude.

Abraço!

Título: Re:Expedição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Patrick em Junho 12, 2015, 03:00:58 pm
Poxa Kabeca, obrigado cara. Fico feliz que gostou.
Mas queria dizer que também aceito sugestões de melhorias nos textos. Já vi que usei muito ETC nos finais das frases e já estou mudando isso.
Pessoal, se quiserem, posso postar os relatos do Uruguai em 2014.. Querem?? Heheheh


Enviado do meu iPhone usando Tapatalk
Título: Re:Expedição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: João_Biela em Junho 13, 2015, 12:08:36 am
Manda bala Patrick, relatos são uma fonte de pesquisa bastante importante pra quem esta se planejando pra uma viagem como essa.

Parabéns a vocês pela trip, espero ter uma oportunidade dessas um dia, sensacional!

Espero vocês em Hellbs Black pra contar pessoalmente.  ,10468 ,10468
Título: Re:Expedição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Patrick em Junho 13, 2015, 04:00:56 am
Opa!! Semana que vem eu começo a postar então.
Queremos ir a ribeirao mas acho que a data que poderemos ir não vai dar pra encontrar vocês. Mas acho que vamos mesmo assim.


Enviado do meu iPhone usando Tapatalk
Título: Re:Expedição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Patrick em Junho 13, 2015, 04:05:37 am
Bom, agora que terminei os relatos, gostaria de compartilhar alguns dados que juntei durante a viagem e que julgo ser útil para quem estiver viajando para Chile e Argentina.
Fiz anotações de gastos com hotéis e combustível durante toda a viagem. Segue alguns dados:

GASOLINA


42 Abastecimentos
500 litros consumidos
R$1.620,00 gastos
Média Geral: 16,5 Km/L
Pior Média 12,5 Km/L (última abastecida na Argentina)
Melhor Média 19,6 Km/L (Chile)
A gasolina na Argentina custa o equivalente a R$3,40 ($12 a $15 pesos argentinos) em média, e no Chile, em torno de R$2,76 (de $600 a $700 pesos chilenos). Lembrando que este custo é para a gasolina comum deles, a 95 octanas, a nossa tem 87, vê se pode. Existe uma gasolina Premium lá, mas não usei ela, portanto não sei informar os custos.

DISTÂNCIAS

8.220 Kms
2 Estados Brasileiros (Santa Catarina e Rio Grande do Sul);
2 Países (Chile e Argentina)
25 cidades visitadas
4.800 M.S.N.M maior altitude
GASTOS COM HOTEL

(http://i1199.photobucket.com/albums/aa466/P2srep/EF8969FB-567F-4A61-AE73-99CCADD78A5B_zpskd6j0omc.jpg) (http://s1199.photobucket.com/user/P2srep/media/EF8969FB-567F-4A61-AE73-99CCADD78A5B_zpskd6j0omc.jpg.html)
Os hotéis basicamente efetuei as reservas via booking.com, decolar.com e apenas 2 reservei diretamente com o hotel via email. Sempre no dia anterior, fazia as reservas.
San Pedro de Atacama, dependendo da época, recomendo reservar antes. No hotel que ficamos, víamos todos os dias pessoas procurando hotel e não encontrando quartos vagos.
Os custos de hotel foram altos, pois fui com minha esposa e sempre priorizei hotel com banheiro privativo por exemplo. Existem muitas opções de hostels com banheiro compartilhado, o preço cai bastante, e se você vai com um grupo somente de amigos, fica ainda mais barato. Se consegue quartos para até 5 ou 6 pessoas, com preços em torno de R$30,00 por pessoa.


ALIMENTAÇÃO

Não fiz levantamento de custos com comida, mas o nosso costume era, nos dias que estávamos rodando de moto, não almoçávamos, apenas comíamos um lanche leve para não ficar com sono depois do almoço. A noite, sempre tentávamos comer bem, tirávamos a barriga da miséria. Na Argentina se come muito bem e barato, os pratos lá, normalmente servem duas pessoas. Pelo menos no meu caso e da Sara, portanto, saía bem em conta. Os restaurantes normalmente não cobram taxa de serviço de 10% por lá.
Já no Chile, os pratos também são bem servidos, porém mais caros, um Lomo A Lo Pobre por exemplo, custava R$40,00. Ou seja, pra uma pessoa que sente muita fome, fica caro.
Tomamos muita água, no Chile, uma garrafa de 1,5 L, custava em torno de R$4,00 a R$5,00 dependendo do lugar que se comprava, na Argentina não me lembro, mas era na casa dos R$3,00 mais ou menos.

GASTOS TOTAIS

Contando tudo, inclusive presentes comprados na ZOFRI, como perfumes, óculos de sol pra mim e pra Sara e muitos souvenirs, a viagem custou algo em torno de R$8.000,00. A conta é mais ou menos U$150,00 por dia para duas pessoas.
Planejei por muito tempo a viagem, então tive tempo em me preparar com os gastos, felizmente fomos e voltamos com sobra e não passamos vontade. Comemos e bebemos onde achamos legal, mas cada um tem um estilo de viagem, eu particularmente não gosto de viagem e passar vontade, salvo em casos de não se ter opção. Mas como eu disse, é do gosto de cada um.
Título: Re:Expedição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: ROMERO em Junho 13, 2015, 04:41:56 am
 :cheers: .clap SENSACIONAL PARABÉNS  .clap :cheers:

Relato e fotos maravilhosas.  :thumleft:

@braços e seja bem vindo ao nosso Brasil !!  ieba
Título: Re:Expedição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Patrick em Junho 15, 2015, 08:54:17 am
:cheers: .clap SENSACIONAL PARABÉNS  .clap :cheers:

Relato e fotos maravilhosas.  :thumleft:

@braços e seja bem vindo ao nosso Brasil !!  ieba

Obrigado Romero! Que bom que gostou!!!
Título: Re:Expedição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Kabeça em Junho 16, 2015, 02:23:51 am

Mas queria dizer que também aceito sugestões de melhorias nos textos. Já vi que usei muito ETC nos finais das frases e já estou mudando isso.
Pessoal, se quiserem, posso postar os relatos do Uruguai em 2014.. Querem?? Heheheh




Sobre os etc, relaxe aqui não é nenhum livro... :thumleft:

Aguardando os relatos do Uruguai. :wink:
Título: Re:Expedição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: tom crazy em Junho 16, 2015, 03:16:53 am
Show de bola Narizudo, no aguardo do relato do Uruguai também, pode me ser util no futuro  rit50 rit50 rit50
Título: Re:Expedição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Patrick em Junho 16, 2015, 03:22:49 am
maravilha mamute. Hoje a noite começo a postar.

Kabeca, gostaria de transformar num livro sim. Será que tem jeito? Heheheheh


Enviado do meu iPhone usando Tapatalk
Título: Re:Expedição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Bastião (Giovani Buzzi) em Junho 16, 2015, 03:42:39 am
Lega, Patrick.

Parabéns pela realização e pelo relato.

Interessante o preço da gasolina. Quando fui lá, em 2012, a gasolina no Chile era mais cara que a nossa. O preço da nafta argentina era equivalente a nossa. Mas a qualidade era pior.

Quanto a comida, realmente, na Argentina se come bem e barato. No Chile detestei a carne. Sempre escassa e dura.

Título: Re:Expedição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Patrick em Junho 16, 2015, 07:05:59 am
Lega, Patrick.

Parabéns pela realização e pelo relato.

Interessante o preço da gasolina. Quando fui lá, em 2012, a gasolina no Chile era mais cara que a nossa. O preço da nafta argentina era equivalente a nossa. Mas a qualidade era pior.

Quanto a comida, realmente, na Argentina se come bem e barato. No Chile detestei a carne. Sempre escassa e dura.

Obrigado bastião!

Realmente essa questao do preço da gasolina, mas como estava o câmbio do peso chileno quando você esteve lá? Na época que fomos estava r$0,004.
Quanto a carne, só podia ser dura no Chile, os bois só tem pedra pra comer lá. Kkkkkk
Título: Re:Expedição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Bastião (Giovani Buzzi) em Junho 17, 2015, 02:39:51 am
Obrigado bastião!

Realmente essa questao do preço da gasolina, mas como estava o câmbio do peso chileno quando você esteve lá? Na época que fomos estava r$0,004.
Quanto a carne, só podia ser dura no Chile, os bois só tem pedra pra comer lá. Kkkkkk

HEHEHE
Eles importam quase tudo que é alimento. Só produzem vinhos (ótimos) e algumas frutas (que nem é tanto assim). No mais só minério.
Título: Re:Expedição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: FlaDH em Julho 14, 2015, 01:26:48 pm
 .clap .clap .clap
Título: Re:Expedição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: PedroMoraes em Setembro 30, 2015, 12:25:27 pm
Antes tarde do que nunca.

Acompanhei sua viagem em tempo real, e quis ler os relatos com muita calma para tirar o máximo de proveito. Lendo os relatos agora, parece ser outra viagem. Excelente relato.  Muitos detalhes. Certamente me será muito útil.

Estou em fase de planejamento de uma viagem como essa e 2 detalhes me chamaram a atenção:

1: No final da trip os companheiros se separaram de você, depois você os reencontrou na fronteira com Brasil; até aqui tudo bem. Mas e depois?

Tenho lido muitos relatos ultimamente e pelo que tenho lido ( talvez eu esteja lendo relatos errados ), grandes viagens em grupo é tenso. Opiniões diferentes, pontos de vista diferente, entre muitas outras coisas. Na maioria dos casos não tem dado muito certo.

Admiro pessoas/ viagens como a que acompanhei aqui do Jairo, Don e companhia. Parecia haver uma sintonia e parceria muito grande. Quando isso acontece realmente vale a pena ir em grupo.

2:  Planejamento. Em uma viagem como essa o planejamento faz toda a diferença; quando digo planejamento é nos mínimos detalhes mesmo; mas sempre lembrando que o imprevisto vai acontecer, isso faz  parte da trip. Parabéns pelo excelente planejamento.

Li outra coisa que me chamou a atenção e que preciso melhorar. Quando estamos chegando em casa a adrenalina vai a mil; é aquela vontade louca de chegar em casa. Excelente conselho: pare um pouco antes e "esfrie os nervos".

Mais uma vez parabéns pelo excelente relato. Tenha a certeza que essas informações serão úteis para muitos viajantes.
 .clap .clap .clap .clap .clap
Título: Re:Expedição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Patrick em Outubro 06, 2015, 01:15:20 pm
Muito obrigado Pedro!!!


Abraço
Título: Re:Expedição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Luigi-Bru em Outubro 07, 2015, 04:09:17 am
Napa-Man, boa tarde!!! :hihihi :hihihi :hihihi

Ainda tem livros?????

 :thumleft: :thumleft: :thumleft:
Título: Re:Expedição La Mano - Argentina e Chile - Relatos
Enviado por: Patrick em Outubro 16, 2015, 05:08:27 am
Livros enviados sargento pincel!


Enviado do meu iPhone usando Tapatalk